Lavanda: para que serve seu óleo essencial

Também conhecida como alfazema, a lavanda é uma planta ornamental utilizada no tratamento de problemas internos e externos, como dores no corpo e dermatites. Para esses feitos, pode ser usada em forma de infusão ou óleo essencial.

Mas, engana-se quem acredita que o conhecimento sobre os benefícios dessa espécie são recentes. Desde a antiguidade, gregos, romanos e árabes utilizam essa planta para impedir a proliferação de micro-organismos nas mucosas. (1)

Frasco com óleo de lavanda

A lavanda tem a capacidade de acalmar, evitando picos de estresse e ansiedade (Foto: depositphotos)

Além disso, a lavanda também já era aplicada no tratamento de dores de cabeça e para combater problemas que afetam o cérebro. Atualmente, essa mesma planta possui outros usos terapêuticos, como o efeito sedativo e hipotensor.

E para aproveitar essas vantagens, é preciso saber usar o óleo essencial da alfazema de maneira correta, seja em massagens ou inalação. Para isso, o paciente deve estar atento a forma de tratamento mais apropriada para o problema apresentado.

Para que serve o óleo essencial de lavanda?

O principal uso do óleo essencial de lavanda é na aromaterapia, a terapia dos aromas para prevenção e auxilio no processo de cura de problemas físicos, emocionais e mentais. Na atualidade, esse óleo é um dos mais seguros e mais utilizados, pois pode ser usado puro, é prático e adequado para todos os tipos de pele. (2)

Auxilia no tratamento contra depressão

O óleo de lavanda tem a capacidade de agir contra a doença que é tida como o “mal do século”, a depressão. Segundo estudo, esse produto natural aumenta a capacidade do sistema nervoso de se adaptar a novas experiências e auxilia no processo de formação de novos neurônios. (3)

O efeito da alfazema também foi testado em mulheres com depressão pós-parto. Elas foram divididas em dois grupos, um recebeu a inalação e o outro a massagem com o óleo. Em ambos os casos, houve uma redução, mas nesse último os resultados foram melhores, constatando a eficácia do remédio e da técnica aplicada. (4)

Melhora o humor e combate a ansiedade

A partir da inalação do óleo é possível melhorar de ânimo e combater a inquietude. Experimentos indicaram reduções significativas da pressão arterial e da frequência cardíaca e respiratória em pacientes que foram submetidos ao tratamento. Além disso, eles se mostraram mais relaxados, mais ativos e menos sonolentos. (5)

Combate dores e relaxa

A inalação desse produto natural também está relacionada ao menor sentimento de dor. Por isso, pode ser utilizado para tratar dores de cabeça simples, enxaqueca, reumatismo, artrite e dores musculares em geral. (1,2)

Além disso, ele pode atuar como analgésico em pacientes submetidos à hemodiálise, pois a ansiedade pode agravar os quadros de dor nesses indivíduos, e como já vimos, o óleo auxilia no controle desse sentimento. (6)

Mas não só a inalação pode ser benéfica no caso das dores, as massagens com esse óleo também podem contribuir com a redução desses incômodos. Isso porque, a lavanda equilibra emoções extremas e promove a tranquilidade emocional.

Também descansa a mente e promove o bem-estar físico e mental, pois proporciona um relaxamento das ondas cerebrais, a redução do estresse e da tensão. (2)

Elimina micro-organismos

Vírus, bactérias e fungos são bloqueados pela ação da lavanda no organismo. Em muitos casos, o produto natural acaba sendo até mais eficaz que alguns antibióticos, como é o caso da amoxicilina.

Por exemplo, essa planta pode inibir o crescimento da Haemophilus influenzae, uma bactéria que causa infecção no nariz e na garganta; da Herpes simplex tipo 1, vírus que pode causar feridas genitais ou nos lábios; e da Candida albicans, fungo responsável pela doença infecciosa candidíase. (7,8)

Outros tratamentos

Como usar esse produto?

Como visto nos tópicos anteriores, o óleo pode ser aplicado nas massagens ou usado em forma de inalação. As flores da lavanda também rendem um chá utilizado tanto de forma externa como interna.

Massagens

Para fazer massagens com o óleo essencial, basta aplicá-lo diretamente na pele e realizar os movimentos ideais. Por exemplo, se o objetivo é relaxar a área massageada, então é necessário deslizar as mãos espalmadas pelo corpo. Essa técnica é indicada para descongestionar as veias, melhorando a circulação.

Outra maneira de otimizar a circulação, ao mesmo tempo em que trata os músculos, é usando a compressão. Isso significa dizer que deve-se comprimir determinadas áreas com as mãos, fazendo leves pressões. (2)

Inalação

Ferver um litro de água e despejar em uma bacia. Depois, adicionar 30 gotas do óleo e, em seguida, posicionar a cabeça para receber toda a vaporização desse método. (1)

Chá das flores de lavanda

A infusão de lavanda é feita com 20 gramas de flores secas em um litro de água fervente. Esse chá pode ser consumido em até três vezes por dia e auxilia nos tratamentos internos.

Já para quem deseja utilizar essa mesma infusão no tratamento tópico, como banhos de assentos e compressas, é indicado usar de 50 gramas da planta em um litro de água quente. (1)

Contraindicações e efeitos colaterais

O uso interno da planta, como no caso do chá de suas flores, só deve ser feito sob supervisão médica. Isso porque, esse remédio pode irritar as mucosas. Também é recomendado evitar esse uso de forma prolongada.

No grupo das contraindicações estão as pessoas que sofrem com úlceras gastro-duodenais ou hematúria (sangue na urina), grávidas e lactantes. Além disso, o óleo essencial de lavanda em doses altas pode causar sonolência, então é importante evitar o uso antes de dirigir. (1,8)

Referências

(1) Prefeitura de Londrina. “Alfazema – Lavandula officinalis Chaix (L. spica L.) (L. vera DC) (L. angustifolia Miller)“. Disponível em: http://www1.londrina.pr.gov.br/dados/images/stories/Storage/sec_saude/fitoterapia/publicacoes/alfazema.pdf. Acesso em: 20 de agosto de 2019.

(2) FERREIRA, Jaqueline Drielle; ELIMIANO, Silvani. “Aromaterapia – Óleo de lavanda e os benefícios para a massagem relaxante“. Universidade Tuiuti do Paraná (UTP), 2010. Disponível em: https://tcconline.utp.br/media/tcc/2017/06/AROMATERAPIA-OLEO-DE-LAVANDA-E-OS-BENEFICIOS-PARA-A-MASSAGEM-RELAXANTE.pdf. Acesso em: 20 de agosto de 2019.

(3) VIDAÑA, Sánchez; et al. “Lavender essential oil ameliorates depression-like behavior and increases neurogenesis and dendritic complexity in rats“. Neuroscience Letters, 2019. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0304394019301429?via%3Dihub#!. Acesso em: 20 de agosto de 2019.

(4) ALVES, Bárbara. “Óleo essencial de Lavanda (Lavandula angustifolia) no tratamento da ansiedade“. Universidade Federal de São João del-Rei, 2018. Disponível em: https://ufsj.edu.br/portal2-repositorio/File/coqui/TCC/Monografia-TCC-Barbara.pdf. Acesso em: 20 de agosto de 2019.

(5) MPHAM, Winai Sayorwan; et al. “The effects of lavender oil inhalation on emotional states, autonomic nervous system, and brain electrical activity“. Journal of the Medical Association of Thailand, 2012. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/225051306_The_Effects_of_Lavender_Oil_Inhalation_on_Emotional_States_Autonomic_Nervous_System_and_Brain_Electrical_Activity. Acesso em: 20 de agosto de 2019.

(6) TASAN, E.; OVAYOLU, O.; OVAYOLU, N. “The effect of diluted lavender oil inhalation on pain development during vascular access among patients undergoing haemodialysis“. 2019. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/31003654. Acesso em: 20 de agosto de 2019.

(7) WINSKA, Katarzyna. “Essential Oils as Antimicrobial Agents—Myth or Real Alternative?“. 2019. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6612361/. Acesso em: 20 de agosto de 2019.

(8) RIVA, Alcione Dalla. “Caracterização morfológica e anatômica de Lavandula denatata e L. angustifolia e estudos de viabilidade produtiva na região centro norte, RS“. Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária da UPF, Passo Fundo, 2012. Disponível em: http://tede.upf.br/jspui/bitstream/tede/518/1/2012AlcioneDallaRiva.pdf. Acesso em: 20 de agosto de 2019.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.