Indicações de uso do chá de marapuama

O chá de marapuama é popularmente usado devido à sua ação afrodisíaca, mas também combate à depressão

Combater doenças que afetam o sistema nervoso, eliminar problemas estéticos e ainda melhorar o desempenho sexual. Tudo isso pode ser alcançado usando um só remédio e o melhor, trata-se de um medicamento natural. Estamos falando sobre a Ptychopetalum uncinatum A., nome científico da marapuama, uma planta que oferece um chá benéfico ao organismo humano.

Arbusto de pequeno porte, a marapuama é uma planta nativa da região norte do Brasil. Muito usada pelos índios para diversas preparações, este remédio natural passou a ser estudado e hoje é liberado pela Anvisa para comercialização.

Também conhecida como muiratã e muirapuama, a planta pode ser encontrada em farmácias ou em lojas online especializadas em produtos naturais. Marapuama pode ser vendida em forma de pó, cápsulas ou em cascas, de onde é possível preparar o chá da planta.

Propriedades e benefícios da marapuama

Usada pelos índios, a marapuama tem como função eliminar a disfunção erétil

Esta planta atua como estimulante do sistema nervoso (Foto: depositphotos)

Está cientificamente comprovado que esta planta atua como estimulante do sistema nervoso e que por isso é considerada antidepressiva. Pessoas que sofrem com ataxia locomotora ou incoordenação do corpo também podem desfrutar dos benefícios da marapuama no sentido de combater os sinais deste problema.

A planta ainda age no sentido de eliminar a fraqueza e promover energia no corpo. Associado a estes benefícios, marapuama também é indicada para diminuir o estresse e reduzir a sensação de cansaço ou fadiga. Outros grandes benefícios deste remédio natural são: ação antirreumática, redução dos sinais da Tesão Pré-Menstrual (TPM), diminuição das dores provocadas por cólicas menstruais, anti-inflamatório e eliminação da retenção de líquidos.

Porém, de todos estes benefícios e propriedades um se destaca: a atuação afrodisíaca que a planta possui. Utilizada com esta finalidade pelos índios, a ação só foi cientificamente comprovada há pouco tempo, mas já é uma promessa natural para eliminar a disfunção erétil.

Veja também: Dia dos namorados: apimente o cardápio com alimentos afrodisíacos

Planta com ação afrodisíaca

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), 30% da população masculina do Brasil sofre com disfunção erétil, que é comumente chamada de impotência sexual. E, apesar de afetar, em sua maioria, homens com mais de 40 anos, este problema também pode surgir nos jovens.

Levando em consideração uma publicação no site da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), a disfunção ocorre quando o homem, mesmo sob o estímulo sexual, não tem condições de manter ou criar uma ereção. “A disfunção erétil pode ser de causa psicogênica ou orgânica. Na causa orgânica, ela pode estar associada à algumas doenças como a hipertensão, o diabetes, alterações no colesterol, alguns problemas cardíacos e a depressão”, explica o urologista Archimedes Nardozza Júnior.

Em outras palavras, a orgânica surge com maior frequência em homens com mais de 40 anos, devido a diminuição de testosterona. Já a psicogênica é mais comum em jovens, pois está mais ligada a problemas psicológicos. Mas, em ambas as situações, a marapuama pode ser extremamente benéfica, pois tem propriedade afrodisíaca.

Segundo a nutricionista Érika Barros, em uma publicação no Instagram da Farmácia Fitos, foi realizado um estudo clínico na França com 262 homens que não apresentavam desejo sexual. Após o uso da marapuama, 62% dos pacientes voltaram a ter.

Além de ser considerada afrodisíaca, a planta também atua como estimulante da circulação sanguínea. Sendo assim, melhora o fluxo do sangue nas regiões pélvicas, beneficiando tanto homens como mulheres nas relações sexuais.

Veja tambémReceitas de chás afrodisíacos para aumentar a libido masculina. Conheça

Como fazer o chá de marapuama?

Em uma panela junte um litro de água filtrada e duas colheres (de sopa) das cascas de marapuama. Leve o recipiente para o fogo e deixe cozinhar por cinco minutos, contando esse tempo após o processo de ebulição iniciar. Após o tempo determinado, desligue o fogo, tampe a panela e deixe em infusão por mais 10 minutos.

Depois é só coar o chá e servir. O ideal é consumir a bebida pura, sem necessidade de acrescentar açúcar, adoçante ou mel. Além disso, é mais indicado beber de duas a três xícaras do líquido por dia. O excesso é prejudicial e por isso é preciso seguir as recomendações.

Outras formas de uso

Além do chá feito com as cascas da marapuama, esta planta ainda pode ser usada de outras maneiras, aproveitando-se do pó de suas raízes. Portanto, este item pode ser aplicado no preparo de vitaminas, sucos e até mesmo no preparo de doces.

Um exemplo de sobremesa com marapuama é indicada pela nutricionista Regina Giora, que utilizou o Instagram para divulgar a receita de um brigadeiro de abacate sem açúcar. Para isso ela precisou apenas de 30 g de Whey Protein sabor baunilha; 50 g de abacate amassado; duas colheres (de sopa) de cacau em pó 100%; uma colher (de chá) de alfarroba; uma colher (de café) de maca peruana; e uma colher (de café) de marapuama.

Recomendações gerais

Marapuama, assim como outros remédios farmacológicos ou naturais, também possui contraindicações. Isto porque, nem todo organismo está preparado para receber as propriedades presentes neste medicamento. Por isso, Érika Barros alerta para alguns cuidados. “Seu uso é contraindicado para mulheres gestantes, que amamentam, hipertensos e pessoas com problemas cardíacos”, finaliza a nutricionista.

Contudo, além das contraindicações, o uso de marapuama requer cuidados com relação a quantidade utilizada. Tanto o chá como também o pó ou as cápsulas desta planta, se consumidos em excesso, podem provocar efeitos colaterais, como palpitações, tremores nas mãos e ejaculação precoce.

Veja tambémConheça receitas de chás afrodisíacos para mulheres