Gordura no fígado: qual a dieta indicada

A gordura no fígado é uma doença conhecida pelo acúmulo de gordura nas células do órgão

Sabia que quem possui gordura no fígado precisa de uma dieta indicada por um profissional. A partir da leitura desse artigo, você vai conhecer um pouco mais sobre a doença e o que comer.

Antes de tudo, é importante que você saiba que o fígado é o órgão responsável pela desintoxicação do corpo. Ele elimina substâncias que podem atrapalhar o bom funcionamento do mesmo causado pela ingestão de alimentos e medicamentos.

Sendo assim, a gordura no fígado é o acumulo de gordura nas células do mesmo. É bom ficar atento à alimentação, pois a gordura no fígado pode ser originada a partir dela e os fatores relacionados, como a obesidade.

“O fígado possui normalmente pequenas quantidades de gordura, que compõe cerca de 10% do seu peso. Quando o percentual de gordura excede esse valor, estamos diante de um fígado que está acumulando gordura”, explica o médico Juliano Pimentel.

O que comer quando se tem gordura no fígado

Depois de identificado o problema com a gordura no fígado, o mais indicado para o paciente é que ele perca peso. Dessa forma, alimentos como frutas, legumes e vegetais podem ser excelentes aliados.

Quem tem gordura no fígado precisa de uma dieta específica

Quem sofre dessa condição deve abusar de certos alimentos e evitar outros (Foto: depositphotos)

Veja uma lista com os principais alimentos que devem ser incluídos na dieta de quem tem gordura no fígado:

  • Frutas
  • Verduras
  • Grãos integrais
  • Gorduras insaturadas
  • Alimentos com pouco colesterol
  • Laticínios
  • Bebidas não alcoólicas

Depois de conhecer cada uma delas, agora chegou a hora de detalhar qual as propriedades que todos esses alimentos têm para ajudar a combater os casos de gordura no fígado. Fique atento!

Frutas

Não precisa ser nenhum expert para saber que as frutas apresentam vários nutrientes, entre vitaminas e sais minerais, que podem ser bem aproveitados pelo corpo humano, certo? Além do mais, esses alimentos apresentam baixa caloria.

Frutas como mirtilo, framboesa, cereja, laranja e mamão papaia podem ser usadas para manter a sua alimentação saudável e, consequentemente, prevenir e tratar os casos de gordura no fígado.

Veja também: Limão faz mal ao fígado? Descubra

Verduras

Assim como acontece com as frutas, as verduras e também os legumes são alimentos ideais para manter na dieta. Eles previnem uma série de doenças, incluindo a gordura no fígado. Uma dica na hora do consumo, quanto mais colorido o prato, mais saudável.

Grãos integrais

Uma das principais vantagens da inclusão dos grãos integrais na dieta é a quantidade de fibras que vai para o organismo. Esses alimentos têm a capacidade de prevenir doenças que estão diretamente ligadas a obesidade e a incidência de gordura no fígado.

Grão como aveia, triquilho, espelta, cevada e arroz integral podem substituir alimentos com carboidratos processados (pão e cereais açucarados) nos lanches e refeições. Um dos reflexos disso é o equilíbrio da taxa de glicose, por exemplo.

Gorduras insaturadas

Alguns alimentos naturais que apresentam certos tipos de gordura, como as insaturadas – que são aquelas que não prejudicam o funcionamento do corpo – devem fazer parte do cardápio alimentar para prevenir ou tratar a gordura no fígado.

Entre eles estão, azeite de oliva, óleo de canola, nozes, amêndoa e salmão. Nesse sentido, fique longe de frituras e alimentos processados que, além de fazerem mal para a saúde, contribuem para o ganho de peso.

Alimentos com pouco colesterol

Para os pacientes que apresentam gordura no fígado, ficar longe de frituras é quase que uma obrigação. Na hora de se alimentar opte por carnes magras e grelhadas, além de peixes, que são ricos em ômega 3.

Laticínios

Na hora de montar uma dieta saudável, preste atenção nos alimentos naturais de origem animal, pode ser uma boa dica para quem quer prevenir ou tratar a gordura no fígado. Leites, queijos e iogurtes semi desnatados ou desnatados são opções viáveis.

Bebidas não alcoólicas

Ficar longe das bebidas alcoólicas também ajuda a tratar e evitar os casos de gordura no fígado. Nesse sentido, aumentar a ingestão de água, água de coco e sucos pode representar mais saúde para você.

Veja também: Remédio caseiro para gordura no fígado

É necessário fazer alguma dieta específica para tratar gordura no fígado?

Para responder essa pergunta, é preciso que se avalie caso a caso. Na maioria deles, a dieta se faz mais do que necessária, justamente pelo problema ter surgido através da falta de cuidado com a alimentação e o consequente ganho de peso.

O tratamento para os casos de gordura no fígado tem como objetivo evitar que a doença piore. Porém, como o paciente tem de incorporar hábitos saudáveis no dia a dia, é possível que ele perca peso sim.

A obesidade é diretamente ligada com a gordura no fígado

Verduras, frutas e grãos integrais são alguns dos alimentos liberados (Foto: depositphotos)

Vale ressaltar que as dietas realizadas sem orientação médica podem fazer com que a gordura no fígado persista, mesmo com a perda de peso. Em casos em que essa perda de peso acontece de forma rápida, o fígado pode continuar com gordura.

O uso de medicamentos também pode ser o causador do problema. Entre os mais comuns, destaque para tetraciclina, antibióticos, estrógenos, que são hormônios e antirretrovirais de alta eficácia, como os usados no tratamento de HIV.

Mediantes todos esses fatores, o mais aconselhado é que o médico seja consultado. A partir de uma avaliação mais aprofundada, ele terá subsídio suficiente para montar uma dieta que seja viável para combater a gordura no fígado.

Como se elimina gordura do fígado?

Apesar dos avanços da medicina, não existe uma forma específica para tratar os casos de gordura no fígado. Porém, o problema tem cura, apenas sendo necessário que o paciente passe a incorporar hábitos saudáveis na sua rotina.

Veja também: Gordura no fígado: Como tratar em casa

O cuidado com a alimentação é o primeiro deles, seguido da inclusão de atividades físicas regulares. Dependendo da gravidade do problema, na consulta médica, alguns medicamentos podem ser prescritos.

Na lista de motivos para o desenvolvimento do problema, alguns fatores são levados em consideração. Além da má alimentação, o consumo indiscriminado de álcool pode contribuir para o desenvolvimento de gordura no fígado.

Doenças como hepatite, diabetes e obesidade podem estar diretamente relacionada a incidência de gordura no fígado.

Sintomas de gordura no fígado

Dependendo do grau de gordura no fígado apresentado pelos pacientes, alguns sintomas podem ajudar a denunciar a doença. Por isso é bom ficar atento para, aos primeiros sinais, procurar um médico.

Nos casos mais comuns, os pacientes apresentam tontura, enjoos seguidos de vômitos, dores de cabeça constantes, inchaço na região abdominal, falta de apetite e dores abdominais do lado direito do corpo.

Outro sintoma que também denuncia a doença é a pigmentação amarelada da pele e olhos. “Existem vários indícios e problemas de saúde que podem surgir, portanto alguns podem não estar presentes; isso depende do organismo e como ele reage”, explica Pimentel.

As diferentes formas de classificar a gordura no fígado

Dependendo da quantidade de gordura presente no fígado, a doença pode ser classificada em diferentes graus. “Existem vários níveis de gordura no fígado, portanto, o seu tratamento é muito mais fácil e eficiente se ela for diagnosticada rapidamente!”, diz Pimentel.

Veja também: Gordura no fígado: Sintomas e tratamentos caseiros

A gordura no fígado, se não tratada, pode evoluir para uma cirrose

Os sintomas da gordura no fígado variam de acordo com o grau da doença (Foto: depositphotos)

Veja os graus de classificação da gordura no fígado de forma mais detalhada:

Grau 1

Para os pacientes classificados nessa fase, os sintomas são inexistentes. Como a variação nos níveis de gordura, através de adequações na alimentação e a prática de exercícios físicos é possível fazer com que o fígado volte a ser saudável.

Grau 2

Diferente do grau anteriormente descrito, no grau 2, os pacientes já começam a apresentar sintomas que identificam que o fígado está com gordura. O inchaço da barriga, dores abdominais ou fezes brancas são os mais comuns.

Quando o acúmulo de gordura é causado pelo consumo excessivo de álcool, a cura pode ser um pouco mais complicada, já que a força de vontade do paciente em largar o consumo da bebida é fator determinante.

Grau 3

Como já era de se esperar, esse grau de gordura no fígado é considerado o mais grave. Em muitos casos, a doença evolui para esteato-hepatite, uma inflamação no fígado causada pelo grande acúmulo de gordura.

Dependendo da gravidade, o paciente pode apresentar fibroses, além de ter a capacidade do órgão reduzida. Em muitos casos, o órgão fica até ineficiente, causando a cirrose. Neste estágio, a doença é extremamente perigosa.

Veja também: Melancia faz mal para o fígado? Fique sabendo

Para tratar a gordura no fígado

Por tudo que foi esclarecido nesse artigo, certamente você deve ter bem acumulado bem mais conhecimento a respeito da gordura no fígado. Mesmo com as recomendações alimentares passadas, não deixe de procurar o seu médico.

Apesar de se tratarem de alimentos naturais, seguir uma dieta montada especificamente para você faz toda a diferença. É importante que você saiba que o problema tem tratamento. Daí voltar a levar uma vida saudável, só vai depender de você!

Sobre o autor

Formado em Jornalismo pela UniFavip | Wyden. Já trabalhou como repórter e editor de conteúdo em um site de notícias de Caruaru e em três revistas da região. No Jornal Extra de Pernambuco e Vanguarda de Caruaru exerceu a função de repórter nas editorias de Economia, Cidades, Cultura, Regional e Política. Hoje é assessor de imprensa do Shopping Difusora de Caruaru-PE, Seja Digital (entidade responsável pelo desligamento do sinal analógico no Brasil), editor da revista Total (com circulação em Pernambuco) e redator web do Remédio Caseiro.