Garcínia cambogia: para que serve e poderes emagrecedores

Apesar de ser uma fruta tropical utilizada em pratos culinários, a garcínia cambogia também vem ganhando destaque nas farmácias de manipulação. Tudo isso graças aos seus efeitos emagrecedores, capazes de auxiliar no tratamento contra obesidade.

Além desse benefício, a espécie pertencente à família Clusiaceae ainda age como antioxidante, diurética e anti-inflamatória. No entanto, assim como qualquer outro remédio, é necessário saber como usar e tomar.

Frutos de garcínia cambogia

A garcínia Cambogia é usada para tratar problemas gastrointestinais, como úlceras (Foto: depositphotos)

Também é importante conhecer os efeitos colaterais da garcínia, assim como suas contraindicações. Desta forma, o consumo pode contribuir com a perda de peso, sem colocar em risco a saúde do paciente.

Para que serve garcínia cambogia?

O controle do peso corporal não é o único benefício dessa planta, pois ela também pode ser usada para proteger as células do corpo, aumentar o volume da urina e tratar distúrbios gastrointestinais. (1,2,3)

Iniciando o debate sobre os usos dessa planta, podemos citar os efeitos de constituintes como xantonas, flavonoides e benzofenonas. Essas substâncias estão presentes nas cascas da garcínia e são conhecidas pelo efeito antioxidante, por isso previnem as células da degradação provocada pelos radicais livres.

De acordo com um estudo feito na Índia, os antioxidantes presentes nessa fruta podem contribuir com a redução significativa do nível de necrose tumoral e da intolerância à glicose. Isso porque suas enzimas não permitem a atuação do estresse oxidativo celular. (1)

Outro benefício é ação diurética encontrada nas folhas secas da garcínia, aumentando a excreção de sódio. Para quem não sabe, a eliminação desse mineral é um importante fator na regulação da pressão arterial. Contudo, o produto natural também contribui com a perda de potássio na urina, mineral necessário para manter adequada as função dos músculos cardíacos e esqueléticos. (2)

Por fim, mas não menos importante, esse vegetal ainda atua no tratamento de problemas como doença inflamatória intestinal (DII) e úlcera gástrica. No primeiro caso, a eficácia desse recurso terapêutico foi comprovado devido aos seus efeitos anti-inflamatórios. Já no caso da úlcera, trata-se do efeito antiulcerogênico da planta. Com isso, ela é capaz de proteger a mucosa gástrica e diminuir a acidez do suco gástrico. (3,4)

Ajuda na perda de peso mesmo?

Frutos de garcínia cambogia com fita métrica

Esse fruto consegue inibir o apetite, sendo um forte aliado contra a obesidade (Foto: depositphotos)

O extrato obtido dos frutos secos da cambogia apresenta efeitos positivos no processo de perda de peso, redução do apetite, diminuição do percentual de gordura corporal, triglicerídeos, níveis de colesterol e glicose. (5)

Uma das razões pelas quais a planta é conhecida pela ação antiobesidade é a regulação da serotonina, um neurotransmissor capaz de provocar a saciedade no organismo. Assim, o paciente passa a consumir menos alimentos, pois não tem a sensação de fome constantemente.

Ao mesmo tempo, esse vegetal contribui com a oxidação da gordura, principalmente durante o exercício. Além de aumentar o tempo de atividade física até a exaustão. Tudo isso graças ao efeito do ácido hidroxicítrico (HCA). (6)

Apesar desses benefícios, é importante ressaltar que cada organismo funciona de uma maneira própria. A obesidade, por exemplo, é uma doença multifatorial, podendo estar relacionada à questões biológicas ou ambientais.

Portanto, para ter um bom resultado nas dietas de emagrecimento, é necessário realizar uma mudança de hábitos de vida. Isso significa dizer que a garcínia cambogia é apenas uma aliada do processo de perda de peso, devendo estar associada à uma dieta balanceada e à pratica de exercícios físicos. Assim, garantindo a diminuição de medidas e sua manutenção. (7)

Cápsulas ou chá: como usar essa planta?

Essa planta pode ser encontrada de duas formas, em cápsulas ou frutos secos para a elaboração do chá e, em ambos os casos, é utilizada para o emagrecimento.

Para fazer o chá, basta colocar 1 colher (de sopa) dos frutos em 1 xícara de água fervente. Depois, deve-se deixar tampado por 5 minutos e consumido logo em seguida, sem adicionar açúcar. O consumo da infusão deve ser feito em até três vezes por dia, antes das principais refeições.

Já para quem não gosta de beber chá ou não aprovou o sabor dessa infusão em específico, tem a opção de consumir as cápsulas. Nessa situação, é indicada a dosagem diária de 1g a 3g, dividida em duas ou três doses.

Além disso, a recomendação é de ingerir o comprimido manipulado cerca de 30 minutos ou 1 horas antes das refeições. (8)

Onde comprar?

As cápsulas podem ser encontradas em farmácias de manipulação. Já os frutos para fazer o chá podem ser adquiridos em lojas de produtos naturais, principalmente as lojas online. Todas essas opções podem ser adquiridas sem receita médica.

Quais são os efeitos colaterais da garcínia?

Se seguir as orientações de consumo, não há efeitos colaterais desse remédio natural. No entanto, doses elevadas podem causar náuseas, vômitos, cólicas e diarreia. (7,8)

A garcínia pode estar relacionada à insuficiência hepática. (9) Por essa razão, é importante consultar um médico de confiança antes de iniciar algum tratamento à base de garcínia cambogia.

Contraindicações

Esse produto não deve ser utilizado por grávidas, lactantes e crianças. (7) Também deve ser consumido com cautela por diabéticos ou pessoas predispostas à hipoglicemia.

“Pessoas que fazem uso de medicamentos hipolipemiantes, hipolipidêmicos, incluindo inibidores da lipase, devem fazer o uso do extrato de garcinia sob orientação do médico e/ou nutricionista.” (8)

Referências

(1) SRIPRADHA, Ramalingam; MAGADI, Sridhar Gopalakrishna. “Efficacy of Garcinia Cambogia on Body Weight, Inflammation and Glucose Tolerance in High Fat Fed Male Wistar Rats“. Journal of Clinical & Diagnostic Research, 2015. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4378731/. Acesso em: 19 de agosto de 2019.

(2) MATHEW, Githa E; et al. “Diuretic Activity of Leaves of Garcinia Cambogia in Rats“. Indian Journal of Pharmaceutical Sciences, 2011. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3267310/#ref5. Acesso em: 19 de agosto de 2019.

(3) SB; dos Reis; et al. “Attenuation of colitis injury in rats using Garcinia cambogia extract“. 2009. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/18979524. Acesso em: 19 de agosto de 2019.

(4) MAHENDRAN, P.; VANISREE, AJ.; SHYAMALA, Devi CS. “The antiulcer activity of Garcinia cambogia extract against indomethacin-induced gastric ulcer in rats“. 2002. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11807973. Acesso em: 19 de agosto de 2019.

(5) FASSINA, P.; et al. “The effect of garcinia cambogia as coadjuvant in the weight loss process“. 2015. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26667686. Acesso em: 19 de agosto de 2019.

(6) CHUAH, Li Oon; et al. “Updates on Antiobesity Effect of Garcinia Origin (−)-HCA“. Evidence-Based Complementary and Alternative Medicine, 2013. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3748738/. Acesso em: 19 de agosto de 2019.

(7) Governo de Londrina. “Garcínia – Garcinia cambogia H.“. Disponível em: http://www1.londrina.pr.gov.br/dados/images/stories/Storage/sec_saude/fitoterapia/publicacoes/garcinia.pdf. Acesso em: 19 de agosto de 2019.

(8) Iberoquímica Magistral. “Garcinia cambogia 50%“. 2014. Disponível em: https://www.dermomanipulacoes.com.br/assets/uploads/Garcinia_Cambogia.pdf. Acesso em: 19 de agosto de 2019.

(9) SHARMA, Akshay; et al. “Acute Hepatitis due to Garcinia Cambogia Extract, an Herbal Weight Loss Supplement“. Case Reports in Gastrointestinal Medicine, 2018. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6083529/. Acesso em: 19 de agosto de 2019.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.