Faça um peeling caseiro para amenizar a aparência das estrias

O procedimento indicado pela dermato Maria Eduarda é totalmente natural, com produtos fáceis de encontrar e de baixo custo

Para alegria de muitas pessoas, existe um peeling caseiro para estrias. É o que conta a fisioterapeuta e dermato funcional, Maria Eduarda da Silva Santos. Esse tipo de tratamento não elimina definitivamente essas marquinhas, mas segundo a profissional pode promover uma redução significativa.

Apesar do público feminino ter quebrado alguns tabus, as estrias continuam sendo um dos terrores para muitas mulheres. As cicatrizes surgem inesperadamente, principalmente após um esticamento súbito da pele, como ganho de peso ou gravidez, e acabam tornando-se marcas que nos acompanham durante a vida.

Mas engana-se quem acha que as estrias são exclusividade das mulheres, pois elas aparecem em homens também. No entanto, existem alguns procedimentos estéticos com efeitos muito produtivos no tratamento desse problema, como o peeling, que é adotado pelas clínicas.

No entanto, algumas pessoas não podem pagar pelos tratamentos estéticos. Mesmo assim, não devem desanimar, porque junto com a dermato Maria Eduarda vamos ensinar uma receita caseira eficiente para melhorar a aparência das estrias. E o melhor de tudo: totalmente natural, com produtos fáceis de encontrar e de baixo custo.

Peeling para estrias caseiro

– Duas colheres (de sopa) de café
– Duas colheres (de sopa) de sabonete líquido

Em um recipiente, adicione os dois ingredientes e mexa. Em seguida, passe a mistura em cima das estrias e esfregue por aproximadamente 10 minutos. Depois desse processo, lave a área com água e passe o óleo para hidratar a pele. “Pode ser utilizado o óleo de rosa mosqueta rico em vitamina C, que é um ótimo hidratante e regenerador da pele”, explica a profissional.

Estrias na barriga

As estrias aparecem após um esticamento súbito da pele (Foto: depositphotos)

Segundo Maria Eduarda, esse peeling em forma de esfoliação serve para estimular a circulação sanguínea. Mas, apesar de eficiente, esse tipo de tratamento é recomendado apenas quando as estrias não estão na fase inicial.

“Quando as estrias são rosadas [fase inicial], o ideal é que a pele seja hidratada pelo menos duas vezes ao dia, nessa fase elas costumam coçar muito então a esfoliação deve ser evitada para não favorecer a ruptura das fibras”, aconselha a dermato funcional.

Ainda de acordo com Maria Eduarda, para fazer a hidratação, o óleo de rosa mosqueta pode ser utilizado em qualquer fase da estria. Isso porque, esse produto age como cicatrizante.

Tratamentos estéticos para as estrias

Além do peeling caseiro, é possível reduzir as marcas das estrias com tratamentos encontrados em centros estéticos. Segundo a dermato funcional, os procedimentos são feitos através de sessões e os preços podem variar entre R$ 60 e R$ 200.

“As estrias são sequelas irreversíveis, pois há redução no número de elementos da pele e o rompimento de fibras elásticas que não se regeneram. Porém, hoje em dia no mercado há diversas técnicas que atenuam essas estrias. As mais efetivas são: o Eletrolifting, Microagulhamento, Carboxterapia, Striort, e alguns peelings químicos“, esclarece a profissional.

Veja também: Estrias nunca mais! Esse chá vai resolver isso rapidinho

Estrias: o que causa e onde elas aparecem?

Existem teorias que explicam o surgimento das estrias. Geralmente elas são dividias em três tipos, a mecânica, endócrina e a teoria infecciosa. Além dessas justificativas, há ainda a predisposição genética, quando o paciente herda genes que são determinantes para a formação de colágeno e elastina em menor quantidade.

No primeiro caso, as estrias ocorrem quando “há estiramento ou ruptura das fibras elásticas da pele, como no caso de obesidade, gravidez, na adolescência na fase de crescimento”, explica Maria Eduarda.

Já quando se trata da teoria endócrina, a dermato explica que é um processo decorrente do uso indiscriminado de anabolizantes, distúrbios hormonais ou nutricionais. Por fim, a teoria infecciosa. Ainda segundo a especialista, “justifica o aparecimento das estrias por danos às fibras elásticas após um processo infeccioso, como por exemplo, após a febre reumática.”

É importante destacar ainda que essas marquinhas indesejáveis podem aparecer em qualquer região do corpo. No entanto, elas são comuns em alguns lugares, como: seios, abdome, quadril, coxas, braços, pernas, etc.

Quais são os tipos?

Além disso, os especialistas possuem um sistema de classificação para as estrias. Com isso, elas são divididas em: rosadas, quando estão na fase inicial; as atróficas, reconhecidas pela coloração branca, e as nacaradas. “A diferença entre elas é a coloração, o aspecto de acordo com a evolução de um grau para o outro”, explica Maria Eduarda.

Veja tambémElimine as estrias com óleo de uva

Para melhor compreensão, a fisioterapeuta e dermato explica cada tipo:

  • Rosadas: Essas são de aspecto inflamatório devido à distensão das fibras elásticas e têm a aparência rosada por causa do rompimento de alguns capilares sanguíneos. São a fase inicial das marquinhas, por isso são consideradas “jovens” e, geralmente, são mais fáceis de tratar
  • Atróficas: São de aspecto cicatricial e hipocrômicas. Além disso, são flácidas, mas a pele ainda está preservada. Também são reconhecidas pela cor branca e são consideradas as estrias “velhas”, por isso costumam ser mais difíceis para responder aos tratamentos
  • Nacaradas: Estrias que possuem flacidez, evoluindo para uma fibrose.
Estrias na coxa

As estrias são comuns nos seios, abdome, quadril, coxas, braços e pernas (Foto: depositphotos)

Como evitar as estrias?

De acordo com a dermato, a principal maneira de evitar o surgimento e desenvolvimento das estrias é seguindo um processo de hidratação do corpo. Mas não apenas a interna, a externa também é importante. Para Eduarda, é necessário combinar os dois tratamentos.

“A hidratação interna do corpo, seguindo a recomendação de beber de dois a três litros de água por dia. E a hidratação externa, prevenindo e amenizando as estrias com cremes e óleos a base de vitamina A e C, diariamente”, indica.

Mas agora que você já sabe como evitar e aprendeu como fazer um peeling caseiro contra as estrias, está na hora de cuidar ainda mais de você. Além disso, tenha sempre em mente que o seu corpo é lindo do jeito que é. Todo mundo possui diferenças e são elas que nos tornam únicos.

Veja tambémLivre-se das estrias e celulite com essa receita poderosa

Assim como outras cicatrizes, as estrias também contam histórias sobre quem você é e o que já passou. Por isso, não devem ser vistas com tanta negatividade. E lembre-se: ninguém precisa estar dentro de padrões, aceite-se como você realmente, ame-se e viva feliz consigo mesma. Esse é o segredo de estar sempre linda (o)!

*Artigo feito com a colaboração da fisioterapeuta e dermato funcional, Maria Eduarda da Silva Santos (Crefito 238739F).

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.