Especialista explica o que é o glúten e o que ele pode causar ao organismo

O glúten é uma proteína presente no trigo, cevada, centeio e malte. Entenda seu efeito no organismo humano

Quando falamos em nutrição, logo nos vêm à mente os alimentos mais saudáveis para o nosso organismo. Educação alimentar, saber variar os alimentos e apostar nos mais saudáveis, como verduras, legumes e frutas, saber as quantidades indicadas e o que priorizar na dieta são todas coisas rapidamente associadas ao termo nutrição.

Mas todos nós sabemos que nem só de alimentos saudáveis se compõem a maioria das refeições das pessoas. Existem aqueles que não fazem tão bem assim. O glúten é uma substância que está presente em muitos alimentos. A Nutróloga Tamara Mazarack explica o que é e quais são as implicações do seu consumo para a nossa saúde.

O que é glúten?

Segundo a médica, “o glúten é uma proteína presente no trigo, cevada, centeio e malte. A aveia não contém glúten, mas ela fica contaminada durante o processamento. Esta proteína é que deixa o pão fofinho, ela dá liga e é utilizada no preparo de diversos produtos como iogurtes, chocolates e achocolatados, kani kama, amaciante de carne, temperos, etc. Ela também está presente em algumas bebidas, como a cerveja e o uísque. O glúten é uma proteína de difícil digestão para todas as pessoas. Alguns autores citam que provavelmente todos nós podemos ter algum grau de sensibilidade ao glúten”.

Especialista explica o que é o glúten e o que ele pode causar ao organismo

Foto: depositphotos

O que o glúten pode causar ao nosso organismo?

Tamara Mazarack afirma que, de acordo com “um estudo realizado na Nova Zelândia e publicado em 2009, o glúten pode causar sintomas intestinais (como diarreia, constipação, gases, distensão e dor abdominal) na doença celíaca, e também outros sintomas totalmente diversos por sua ação no sistema nervoso: depressão, ansiedade, insônia, enxaquecas, dificuldade de aprendizado, transtorno de déficit de atenção. Nestes casos não existe nenhum dano ao intestino, sendo que a ação negativa do glúten se restringe aos danos neurológicos”.

A doença celíaca é comum?

Apenas 1 a 2% da população possuem a doença celíaca. Mas, muitas pessoas desenvolvem sensibilidade à substância. “Neste caso, o raio de ação é muito maior, ela pode atingir de 30 a 50% das pessoas, com sintomas diversos que podem variar em gradação, desde queixas amenas até efeitos bem mais sérios”, explica a nutróloga.

Veja quais são os alimentos livre de glúten

Se você tem sensibilidade à proteína, aproveite para explorar bastante esses ingredientes nas suas receitas: frutas, legumes, polvilho doce e azedo, tapioca, verduras, farinha de arroz, creme de arroz, amido de milho, sal, açúcar, cacau, gelatina, carnes em geral, farinha de mandioca e fécula de batata. Antes de fazer uma dieta restritiva a determinados tipos de alimentos ou substâncias, consulte um profissional especializado.