Para que serve o óleo de girassol?

O óleo de girassol é rico em ácidos graxos que são essenciais para o bom funcionamento do organismo.

Além de ser extremamente rico em vitamina E, é um antioxidante poderoso que protege o organismo contra a degradação celular.

Tudo isso faz com que o óleo desempenhe uma ação importante na proteção contra problemas cardiovasculares e que costumam afetar o sistema nervoso.

Além disso, ele é um óleo rico em ácido linoleico, que atua positivamente na pele e nos cabelos.

Já quando é utilizado na alimentação, de maneira controlada, ele age dissolvendo e eliminando o excesso de colesterol do sangue e regulando os níveis do mesmo.

Com tantos benefícios assim não é de se espantar se você quiser começar a usá-lo agora mesmo. Mas calma!

Primeiro, leia este artigo para aprender mais sobre para que serve esse óleo, quais os benefícios dele na alimentação e ainda como escolher corretamente.

Afinal, para que serve o óleo de girassol?

O óleo de girassol possui várias aplicações, podendo ser usado na alimentação saudável e na estética.

Isso acontece porque esse tipo de óleo é bastante rico nutricionalmente, principalmente em vitaminas e ácidos graxos, que contribuem para o bom funcionamento do organismo. (1)

Óleo, sementes e girassol

O óleo das sementes de girassol é rico em vitaminas A, E e K (Foto: depositphotos)

Veja a seguir os benefícios encontrados nas principais formas de uso desse óleo poderoso!

Para a pele

Um dos óleos naturais para o rosto é o de girassol, pois ele tem a capacidade de proteger essa região, seja contra danos causados pelo sol, poluição e até mesmo doenças.

Isso acontece devido à poderosa composição do produto rica em ácido linoleico, também conhecido como ômega-6.

Essa substância está relacionada com a prevenção do colesterol ruim, mas também exerce outras importantes funções no organismo. Entre esses benefícios estão a proteção da pele e a regeneração celular.

O ácido funciona formando uma barreira protetora ao redor da pele. Desse modo, ele protege contra danos, ao mesmo tempo em que também garante a hidratação da região, pois a água fica retida por essa camada extra protetora. (2, 3)

Esse tipo de óleo também é rico em vitamina E, um poderoso antioxidante que completa a proteção da pele. Isso porque, os antioxidantes são substâncias que conseguem evitar os danos causados pela degradação natural das células.

Mulher mostrando óleo

Óleo de girassol protege a pele e auxilia no processo de cicatrização (Foto: depositphotos)

Além disso, é fonte de vitamina A, que juntamente com o ácido linoleico, faz do óleo de girassol um agente bronzeador e pós-sol. Isso significa dizer que ele consegue evitar queimaduras causadas pelos raios solares na pele. (3)

Por fim, o óleo também é um poderoso cicatrizante. Graças aos ácidos graxos, ele melhora a imunidade e também a regeneração celular.

Sendo assim, costuma ser indicado para o tratamento de úlceras de pressão, as feridas que costumam surgir em pessoas que passam muito tempo de cama ou sentadas.(2)

Para usufruir desses benefícios, é preciso adquirir o óleo de girassol encontrado em farmácias ou lojas de produtos naturais.

E para usar não tem segredo: é só aplicar em toda a pele e esperar que ela absorva, o que acontece bem rápido.

Para os cabelos

O óleo de girassol é mais um tipo de óleo vegetal para os cabelos, e o melhor: não deixa os fios com aspecto de sujo ou pesado, pois é um produto leve e de fácil absorção.

A forma mais comum é como umectação, quando uma grande quantidade de óleo é aplicada nos fios para repor os nutrientes perdidos.

Quando usado na umectação, o óleo de girassol ajuda a repor os nutrientes perdidos pelos fios durante as agressões diárias.

Mas esse benefício só é possível graças à presença das vitaminas A, E e K, que conseguem penetrar nos fios.

Aplicando óleo no cabelo

Esse produto natural pode ser usado na umectação e como um reparador de pontas (Foto: depositphotos)

Além disso, a presença dos ácidos graxos faz com que o produto forme uma película protetora ao redor dos fios. Desse modo, ele fica protegido de novas agressões e ainda conserva os nutrientes e a água no interior dos cabelos.

Também é possível usar esse produto como um finalizador ou reparador de pontas. Assim, o óleo protege os fios contra a ação do sol e da poluição, diminui o frizz e ainda reduz o volume. (3)

Na alimentação

O óleo de girassol é um daqueles produtos multi-usos, por isso pode ser usado no preparo dos alimentos, substituindo outros tipos de óleos, como o de coco e o azeite.

Como vimos, esse produto natural é benéfico ao organismo devido à sua composição rica em vitaminas e ácidos graxos essenciais. (1, 4)

De acordo com a Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (TACO), o óleo não contém colesterol ou carboidratos.

No entanto, assim como qualquer outro alimento rico em gorduras, é bastante calórico. Cada 100 gramas contém em média 880 calorias. Portanto, cuidado com os excessos. (5)

Óleo em uma colher

O óleo de girassol pode ser um substituto mais saudável para os demais óleos utilizados na cozinha (Foto: depositphotos)

Mesmo assim, o alimento ainda ajuda a proteger contra doenças crônicas, como hipertensão e diabetes. Tudo isso graças aos ácidos graxos e às substâncias antioxidantes.

Optar por esse óleo no preparo dos alimentos também pode ajudar a reduzir o colesterol e, como consequência, melhorar a saúde cardiovascular. (1)

Além de todos esses benefícios já citados, o óleo de girassol melhora a imunidade por aumentar a produção das células de defesa (4) e melhorar a produção de hormônios pelas glândulas. (3)

Como escolher o óleo de girassol?

Primeiramente, não adianta pegar o óleo de girassol que é vendido geralmente nos supermercados, pois eles são misturados com outros tipos de gorduras e refinados.

Desta forma, eles podem não apresentar todos os benefícios citados anteriormente e, em alguns casos, podem até fazer mal para a saúde.

Portanto, escolha apenas produtos que sejam extraídos por meio de prensagem a frio, pois esses retêm os nutrientes da semente.

Além disso, o óleo não deve ser refinado, para não perder as substâncias benéficas que possui naturalmente.

Sendo assim, você vai encontrar desse tipo de óleo de girassol em farmácias, voltado para uso na pele e cabelo, e em lojas de produtos naturais e especializadas em alimentação saudável, para utilizá-lo na cozinha. (6)

Referências

(1) MANDARINO, José Marcos Gontijo et al. “Óleos: alimentos funcionais“. Londrina: Embrapa Soka, 2005. Disponível em: https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/handle/doc/468843. Acesso em 14 de julho de 2019.

(2) FERREIRA, Adriano Menis; et al. “Utilização dos ácidos graxos no tratamento de feridas: uma revisão integrativa da literatura nacional“. Rev. esc. enferm. USP online, vol. 46, n. 3, pp. 752-760, 2012. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342012000300030. Acesso em 14 de julho de 2019.

(3) MENDES, Débora Bambirra et al. “Teor de ácido oléico nos óleos de girassol, milho e soja“. Revista de Trabalhos Acadêmicos, v.3, n.6, p.19-25, 2012. Disponível em: http://revista.universo.edu.br/index.php?journal=1reta2&page=article&op=viewArticle&path%5B%5D=746. Acesso em 14 de julho de 2019.

(4) SELFNutritionData. “Oil, vegetable, sunflower, high oleic (70% and over)“. Disponível em: https://nutritiondata.self.com/facts/fats-and-oils/623/2. Acesso em 14 de julho de 2019.

(5) Unicamp. “Tabela Brasileira de composição de alimentos“. NEPA – UNICAMP, 4ª edição, 2011 Disponível em: http://www.nepa.unicamp.br/taco/home.php?ativo=home. Acesso em 14 de julho de 2019.

(6) SANTOS, R.D. et al. “I Diretriz sobre o consumo de gorduras e saúde cardiovascular“. Arq. Bras. Cardiol. online, vol. 100, n.1, pp. 1-40, 2013. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0066-782X2013000900001. Acesso em 14 de julho de 2019.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (Mtb-PE: 6770) com formação completa no curso de Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo (UniFavip-DeVry). Experiência prática de dois anos em produção jornalística para TV e rádio. Atualmente atua na área de redação para web, nas áreas de educação, beleza e saúde alternativa. Além da formação no curso superior, possui experiência em produção de vídeo, diagramação de livros e revistas e marketing.