,

Descubra o conceito de medicina pró-longevidade e o que essa especialidade trata

Junto com o aumento da longevidade, surge também o interesse de querer envelhecer com qualidade

A velhice ainda é um tabu na sociedade do século XXI, isto porque muitas pessoas preferem pintar os cabelos para esconder os fios brancos que revelam a idade avançada. Outras apostam em tratamentos estéticos ou recorrem as cirurgias plásticas etc. Mas, está mais que óbvio que a juventude eterna não é algo que pode ser conquistado, mesmo que a medicina venha desempenhando estudos e pesquisas a fim de evoluir nesta área.

Contudo, de acordo com a nutróloga Tamara Mazaracki, junto com o aumento da longevidade, surge também o interesse de querer envelhecer com qualidade, seja ela relacionada à saúde ou a beleza.

“O conceito pró-longevidade engloba uma série de procedimentos que visam melhorar o funcionamento celular e orgânico, aumentar o nível de energia e obter uma aparência mais jovem”, explica a especialista.

Junto com o aumento da longevidade, surge também o interesse de querer envelhecer com qualidade

A medicina pró-longevidade visa melhorar o funcionamento celular e orgânico (Foto: depositphotos)

Desta forma, emerge na área médica o conceito de medicina pró-longevidade, que “se baseia nas reações bioquímicas para prevenir o desgaste orgânico e tratar desequilíbrios metabólicos que levam às doenças e ao envelhecimento precoce”, informa Tamara. E tudo isso só é possível com o avanço nas pesquisas sobre a bioquímica funcional e os processos de envelhecimento.

Quando colocar em prática e medicina pró-longevidade?

Este tipo de medicina funciona como uma forma preventiva para todas as mudanças físicas e mentais relacionadas ao envelhecimento. Por esta razão, a nutróloga recomenda que as pessoas entre 35 e 40 anos que comecem a notar estas diferenças busquem um profissional que trabalhe com esta perspectiva médica. A especialista ainda lista algumas destas alterações, como:

  • Redução da vitalidade energia;
  • Fadiga;
  • Aparecimento de rugas;
  • Redução da massa muscular;
  • Acúmulo de gordura corporal;
  • Dificuldade de perder peso;
  • Flacidez cutânea;
  • Perda de cabelos;
  • Redução da memória;
  • Depressão,
  • Desanimo;
  • Sintomas de menopausa e andropausa;
  • Redução da libido;
  • Alterações na tireoide.

Funcionamento deste método

“Após uma consulta minuciosa e realização dos exames laboratoriais necessários, procede-se ao tratamento que consiste na correção dos erros alimentares e na administração de suplementos de vitaminas, minerais e antioxidantes, sempre de acordo com as necessidades e deficiências específicas de cada pessoa”, explica a nutróloga.

Ainda segundo a médica, há também, em alguns casos, uma necessidade de reposição hormonal, que é feita por hormônios biocompatíveis, com precursores hormonais ou fitoterápicos. “Como o tratamento é individual o paciente só repõe o que realmente necessita. A adoção de hábitos de vida saudáveis e uma reeducação alimentar caminham juntas para devolver o bem estar, a disposição e a qualidade de vida”, finaliza Tamara Mazaracki.

Viva bem e melhor fazendo 6 exercícios de pilates na bola