Couve de Bruxelas: benefícios e como fazer 7 receitas

Também chamada de repolhinho, a couve de Bruxelas é uma hortaliça que vai bem assada, cozinhada no vapor ou até mesmo compondo receitas como sopa ou risoto. Se preparada da forma correta, não atrapalha a dieta, pois é um alimento pouco calórico.

Além disso, traz alguns benefícios aos consumidores, uma vez que tem ação antioxidante e por essa razão fortalece as células do corpo. Isso sem contar na composição rica em fibras, fazendo dessa hortaliça uma “amiga” da saúde do coração.

Diante de tantos efeitos positivos, vamos explicar cada um deles e indicar sete receitas tendo a couve de Bruxelas como o ingrediente principal. Aqui você vai aprender como fazê-las e ainda tirar algumas dúvidas a respeito do sabor desse alimento.

Vai descobrir também como plantar ou escolher boas opções na hora da compra, como congelar o repolhinho da maneira correta e os tipos existentes.

Quais os benefícios da couve de Bruxelas?

Essa hortaliça contém as vitaminas A, C, E e K. Além disso, o vegetal folhoso também conta com alguns minerais, a exemplo do cálcio, potássio e fósforo. Juntos, eles são os responsáveis pelos benefícios desse alimento. (1)

Fortalece as células

Em primeiro lugar, a couve de Bruxelas fortalece as células porque é uma excelente fonte de vitamina C, a qual atua como antioxidante. Esse nutriente, apesar de importante para a saúde humana, não é produzido pelo nosso organismo, por isso precisa ser consumido através dos alimentos.

Ser um antioxidante é agir em defesa das células na luta contra o estresse oxidativo. Por exemplo, uma alimentação desequilibrada ou a exposição constante aos raios ultravioletas podem aumentar os números de radicais livres no organismo, os responsáveis por agredir as células.

Dependendo do nível dessa agressão, há o risco de desenvolver certos tipos de doenças, como o câncer. Além de contribuir com o envelhecimento precoce da pele e demais órgãos. Mas, ao fortalecermos as células, a ação dos radicais é bloqueada, assim como suas consequências.

Outro benefício, também derivado da vitamina C, é o fortalecimento do sistema imunológico. Assim, os alimentos ricos nesse nutriente, como é caso do repolhinho, podem ajudar na prevenção de resfriados e gripes. (2)

Faz bem para visão

Também devido ao poder antioxidante, esse alimento pode auxiliar na prevenção de doenças como a catarata. Mas não é apenas a vitamina C responsável por essa ação, uma vez que a vitamina E também age na proteção da degeneração ocular. (3)

Isso tudo sem falar na luteína e zeaxantina, dois carotenoides armazenados na retina e na lente do olho que estão relacionados à redução do risco de catarata e degeneração macular. Eles estão presentes nas hortaliças de coloração verde escura, como a couve de Bruxelas. (4)

Para quem ainda desconhece, a catarata é uma doença multifatorial. Isso significa dizer que há inúmeros fatores que podem provocar ou acelerar o surgimento desse problema de visão. Um desses fatores é a desnutrição, que pode ser combatida através de uma alimentação rica em nutrientes, a exemplo da couve. (5)

Ajuda a proteger o coração

As fibras presentes na hortaliça são do tipo solúveis e são responsáveis por regular a colesterolemia. Esse nome complicado nada mais é do que a elevação da taxa de colesterol no sangue, um dos fatores que desencadeia o acúmulo de gorduras nas paredes das artérias, caracterizando uma doença chamada de arteriosclerose.

Além disso, a couve de Bruxelas ainda consegue reduzir a pressão arterial, sendo um alimento aliado das pessoas que sofrem com hipertensão. (5,6)

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), uma pessoa deve consumir diariamente 25 gramas de fibras. No entanto, quem não tem o costume de comer alimentos ricos nesse composto, deve fazer o processo aos poucos, para que haja uma adaptação do organismo. Outra recomendação é beber água para ajudar a equilibrar na absorção. (7)

Contribui com a dieta

Em 100 gramas de repolhinho há 86% de água e 43 calorias. Juntos, esses dois elementos, contribuem com as dietas de emagrecimento, pois ao mesmo tempo que hidrata o corpo, não engorda.

Mas esses não são os únicos a contribuírem com o processo de emagrecimento, uma vez que as fibras desempenham um papel importante no controle do peso. Isso acontece porque os alimentos ricos nesse composto exigem mais mastigação que os demais. Consequentemente, tornam maior a sensação de saciedade após as refeições. (1,7)

7 receitas com repolhinho

Alguns temperos combinam perfeitamente com a couve de Bruxelas, são eles: pimenta, cebola, cheiro verde, limão, vinagre, manjericão e mostarda. Uma outra dica é sempre optar pelo cozimento à vapor para preservar os nutrientes dessa hortaliça, princialmente a vitamina C que é sensível a altas temperaturas. (8)

1. 3 em 1: couve de Bruxelas assada, cozinhada e salteada

Nesse vídeo, a chef Yamily Benigni ensina como fazer três preparos diferentes com a couve de Bruxelas. Ela também explica os cuidados que se deve ter antes de começar as receitas, e como higienizar bem.

2. Em conserva com brócolis e outros legumes

Pote com couve de Bruxelas em conserva

(Foto: depositphotos)

Ingredientes

  • ½ xícara (de chá) de sal
  • 25 buquês pequenos de couve-flor
  • 250 g de cenoura baby
  • 10 rabanetes pequenos limpos
  • 1 litro de vinagre de maçã
  • 1 litro de água
  • 25 buquês pequenos de brócolis
  • 15 couves de Bruxelas limpas
  • 2 talos de salsão sem as folhas
  • 10 unidades de mini-batata
  • 10 minimilhos.

Modo de preparo

O primeiro passo é lavar bem todos os ingredientes, sem precisar retirar as cascas da batata. Em seguida, coloque-os em um escorredor de aço e reserve. Depois, junte em uma panela a água, o vinagre e o sal, levando tudo para o fogo.

Quando começar a ferver, encaixe o escorredor com os legumes e deixe cozinhando por 10 minutos. Assim que os ingredientes estiverem no ponto al dente, retire-os e deixe esfriando por 20 minutos.

Separe 1,5 litro do líquido do cozimento, despeje os legumes em um frasco de vidro com tampa. Acrescente o líquido reservado e tampe. Essa conserva pode ser guardada na geladeira ou em temperatura ambiente, e pode durar até 2 meses.

Receita retirada e adaptada do site Cyber Cook.

3. Sopa

Prato com sopa de couve de Bruxelas

(Foto: depositphotos)

Ingredientes

  • 500 g de couves de Bruxelas
  • 1 cebola
  • 2 dentes de alho
  • 1 alho-poró
  • 1 colher (de sopa) de manteiga
  • 2 chuchus
  • Sal.

Modo de preparo

Lave e corte ao meio as couves. Em seguida, descasque a cebola e os alhos, cortando-os em picadinhos. Depois lave o alho-poró, corte em rodelas e refogue com o alho e a cebola na manteiga, acrescentando posteriormente as couves.

Tempere tudo com sal e deixe saltear um pouco. Adicione 1 litro de água e deixe cozinhar por 20 minutos. Mexa sempre que possível e sirva após o tempo determinado. Essa receita costuma render quatro porções.

Receita retirada e adaptada do site Petit Chef.

4. Risoto

Prato com risoto de couve de Bruxelas

(Foto: depositphotos)

Ingredientes

  • ½ kg de couve de Bruxelas cozida
  • 3 colheres (de sopa) de manteiga
  • ½ xícara (de chá) de creme de leite fresco
  • 1 xícara (de chá) de arroz arbóreo
  • 2 colheres (de sopa) de azeite de oliva
  • 4 colheres (de sopa) de vinho branco
  • 1 cebola média picada
  • 1 colher (de chá) de mostarda
  • Sal a gosto.

Modo de preparo

Em uma panela, coloque o azeite, a manteiga e as cebolas. Leve para o fogo e refogue, até a cebola dourar. Acrescente o arroz, a couve, a mostrada e refogue por mais dois minutos. Adicione o sal, reduza o fogo e coloque água quente aos poucos, para cozinhar a couve e o arroz ficar no ponto al dente. Mas atenção, durante todo esse processo mexa sem parar.

Por fim, acrescente o restante da manteiga, o vinho branco, creme de leite e corrija o sal. Cozinhe por três minutos ou até ferver o conteúdo, mexendo de vez em quando.  Depois é só retirar do fogo, tampar a panela durante dois minutos e servir logo em seguida. (8)

5. Salada

Salada com couve de Bruxelas, ervilhas e tomates

(Foto: Reprodução | Receitas Nestlé)

Ingredientes

  • 1 colher (de sopa) de azeite
  • 200 g de couve de Bruxelas lavadas, com as pontas cortadas e aferventadas
  • 100 g de ervilhas frescas aferventadas
  • 3 fatias de pão de forma esfarelado
  • 150 g de tomates-cereja.

Modo de preparo

Comece salteando as couves e as ervilhas em uma frigideira com azeite durante 5 minutos. Reserve e aproveite a mesma panela para dourar o pão até ficar crocante. Em um recipiente, coloque todos os ingredientes misturados e sua salada estará pronta para o consumo.

Receita retirada e adaptada do site Receitas Nestlé.

Curiosidades

1. Afinal, o que é couve de Bruxelas?

Essa é uma hortaliça da família Brássicas, parente de alimentos muito conhecidos, como: o repolho, couve-flor e mostarda. Sua aparência lembra uma miniatura de repolho bem verdinho, podendo ter até 4 centímetros. (8)

2. Qual o sabor?

O sabor desse alimento é muito semelhante ao paladar do repolho e das demais couves.

3. Como comprar ou plantar?

Chegando ao supermercado ou em feiras livres, procure por unidades que sejam firmes, compactas e que tenham uma cor verde brilhante. Descarte opções que estejam deterioradas, com folhas amareladas ou murchas. Perceba também como está o cheiro, uma vez que quando estão velhas, essas hortaliças apresentam um odor muito forte. (8)

Agora se você é daqueles que gosta de ter a sua própria horta, confira as dicas que a Isla Sementes oferece.

4. Como congelar?

Para congelar, basta remover as folhas externas danificadas e lavar bem. Coloque-as em água fervente por três minutos e logo em seguida em uma bandeja com água e gelo por mais três minutos.

Retire a água, coloque as couves em uma panela que caiba todas elas em uma só camada. Leve para o congelador e deixe por 30 minutos. Após esse tempo, você pode armazenar os vegetais em um saco ou vasilha de plástico, colocando de volta no congelador. Nessas condições, esse alimento pode durar até seis meses. (8)

5. Quais são os tipos de couve?

Além da couve de Bruxelas, que apresenta um tamanho bem menor, a Brassica oleracea, nome científico das hortaliças Brássicas, possui outras classificações, como:

  • Couve
  • Repolho
  • Couve-flor
  • Couve-brócolis
  • Couve-rábano
  • Couve chinesa. (9)
Referências

(1) Serviço de Pesquisa Agrícola do Departamento de Agricultura dos EUA. “Brussels sprouts, raw“. Disponível em: https://fdc.nal.usda.gov/fdc-app.html#/food-details/170383/nutrients. Acesso em: 9 de outubro de 2019.

(2) CAVALARI, Tainah G. F.; SANCHES, Rosely Alvim. “Os efeitos da vitamina C“. Revista Saúde em Foco, Centro Universitário Amparense (UNIFIA), 2018. Disponível em: http://portal.unisepe.com.br/unifia/wp-content/uploads/sites/10001/2018/09/086_Os_efeitos_da_vitamina_C.pdf. Acesso em: 9 de outubro de 2019.

(3) Programa de Promoção de Saúde Infantil em Municípios. “História das Couves“. Disponível em: http://mun-si.com/wp-content/uploads/Hist–ria-das-Couves.pdf. Acesso em: 9 de outubro de 2019.

(4) Revista Aditivos & Ingredientes. “Hortaliças“. Disponível em: https://aditivosingredientes.com.br/upload_arquivos/201603/2016030217827001459277023.pdf.  Acesso em: 9 de outubro de 2019.

(5) Conselho Brasileiro de Oftalmologia. “Catarata“. Disponível em: https://www.cbo.net.br/novo/publico-geral/catarata.php. Acesso em: 9 de outubro de 2019.

(6) PAULA, Priscila Barsanti de; RAMOS, Eneida Gomes da Cunha; SANTOS, Ana Claudia. “Fibra alimentar: sua importância para a saúde“. Serviço de Nutrição Clínica do Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE), 2010. Disponível em: http://apps.einstein.br/revista/arquivos/PDF/1911-EC_V8_N4_p212-3.pdf. Acesso em: 9 de outubro de 2019.

(7) Unimed. “Fibras alimentares“. Disponível em: http://www.unimed.coop.br/portalunimed/cartilhas/fibras/pdf/cartilha.pdf. Acesso em: 9 de outubro de 2019.

(8) Embrapa. “Couve-de-Bruxelas“. 2017. Disponível em: https://www.embrapa.br/documents/1355126/31107372/COUVE-DE-BRUXELAS_CCCC_2017.pdf/a4eee338-cc79-7dd1-f9ac-6bc1e518fb2f. Acesso em: 9 de outubro de 2019.

(9) Centro Paranaense de Referência em Agroecologia (CPRA). “Brassica oleracea“. Disponível em: http://www.cpra.pr.gov.br/arquivos/File/Brassica_oleracea.pdf. Acesso em: 9 de outubro de 2019.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.