Confrei: o que é, para que serve e como usar

O nome científico do confrei diz muito sobre ele: Symphytum officinale L., o primeiro nome, em grego, significa “unir”! Esse é o principal benefício dessa erva, conhecida há séculos devido a sua capacidade de consolidar ossos fraturados e restaurar bordas de feridas.

É, portanto, usada com o intuito de restaurar rupturas ósseas e da pele, mas também tem efeito sobre dores musculares e articulares, sendo eficaz na cura de entorses e contusões.

O confrei é um planta natural do norte da Ásia e do leste europeu, mas que atualmente tem seu uso difundido em grande parte do globo, sendo, inclusive, recomendado como medicamento fitoterápico pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

Ramos de confrei

O confrei é uma planta com a capacidade de cicatrizar feridas e restaurar ossos quebrados (Foto: depositphotos)

No entanto, foi descoberto que seu consumo a longo prazo desencadeava problemas hepáticos, motivo pelo qual o confrei passou a ser proibido para uso interno. No Brasil essa proibição existe desde 1992.

Como cataplasmas e emplastro é um verdadeiro elixir cicatrizante. Para saber com detalhes como ele atua no organismo e como usá-lo corretamente confira a seguir!

Principal benefício do confrei

Se o assunto é restauração, o confrei é a solução. A frase rimada é legítima. O uso do confrei é infalível no tratamento de úlceras, feridas, cortes, fraturas, anormalidades ósseas, entorses, equimoses (popularmente chamado de sangue pisado), hematomas, contusões e hemorragias.

É cicatrizante

O confrei apresenta um excelente efeito cicatrizante, pois estimula a divisão celular. Os méritos dessa atuação vão para a alantoína e mucilagem, presentes na composição dessa planta. Além da ação analgésica, a partir deles é possível neutralizar processos ulcerosos e estimular a proliferação fibroblástica (célula constituinte do tecido conjuntivo). (1)

O extrato dessa erva pode ser usado externamente como adstringente (“seca” a pele), cicatrizante (especialmente em casos de úlceras de pele), emoliente (“suaviza e amacia” a pele) e como anti-inflamatório tópico. É possível ainda utilizá-la para suavizar, ou mesmo eliminar, eczemas e psoríase. (2)

Como usar

O melhor método para extrair os benefícios do confrei é a partir da maceração em água fria. (2) Mas somente para uso externo.

Cataplasma

Use a raiz fresca da planta e rale a quantidade necessária. Aplique sobre a lesão. Repita várias vezes ao dia.

Emplasto

Esmague as folhas em água morna e coloque diretamente sobre ferimentos. Lavar e repetir até 2 vezes ao dia.

Chá

Use de 50 a 100 gramas do confrei para cada litro de água. Ferva a água, desligue o fogo e acrescente a erva. Deixe descansar por até 15 minutos e depois use como banho ou compressas.

Tintura

Retire o sumo das folhas e misture com álcool de cereal, na proporção de 1 para 5. Essa mistura é usada para preparar pomadas e cremes.

Contraindicações e efeitos colaterais do confrei

Uma pesquisa sobre o uso homeopático e fitoterápico do confrei, realizada pela Universidade Estadual Paulista (Unesp), afirmou que foram identificados alcaloides pirrolizidínicos (AP) na sua estrutura.

Essas substâncias, quando consumidas a longo prazo, poderiam causar doença veno-oclusiva hepática (DVO), que causa a destruição de pequenos ramos do fígado acarretando em fibrose e cirrose, e até mesmo câncer no órgão. (3)

O mesmo estudo constatou que a raiz da planta é mais tóxica do que as folhas. Neste caso, consumir o chá ou qualquer forma dos extratos do confrei é contraindicado.

Os efeitos colaterais desse consumo são lesões hepáticas irreversíveis e aborto. Mesmo o uso externo deve ser evitado na gravidez, lactação, em crianças menor e em portadores de doenças hepáticas e renais, pela possibilidade de absorção através da pele, principalmente se estiver lesada. (2)

Apesar da precaução, não há referências a efeitos colaterais significativos no uso externo adequado da erva.

Características da planta

O confrei nasce em terrenos ricos e úmidos, na proximidade de cursos de água, nas zonas pantanosas e nas pradarias. Seu caule muito ramoso sustenta folhas levemente peludas e finas. As flores rosa e violeta surgem em cachos de maio a setembro. Ela também é conhecida como consólida, língua de vaca e leite vegetal.

Além de seu efeito como planta medicinal, devido ao seu alto teor de nutrientes, vitaminas e sais minerais, o confrei foi utilizado como alimento para animais domésticos e como fertilizante.

CURIOSIDADE

Em termos nutricionais, é um dos poucos vegetais que tem a vitamina B12 e entre todas as plantas do reino vegetal, é uma das que contêm maior teor em proteínas, sendo conhecida como a mais rápida na produção dessas moléculas do mundo. Ela possui em torno de 33% de proteínas totais (quase como a soja). O que justifica uma de suas nomenclaturas populares: leite vegetal.

Referências

(1) SANTOS, Catarina R.; Brito, Vitória F.; SILVA, Alexsandro M. Uso de confrei, camomila e calêndula no tratamento de úlceras causadas por diabetes. Simpósio de assistência farmacêutica, 2015. Disponível em: http://www.saocamilo-sp.br/novo/eventos-noticias/saf/2015/SAF035_15.pdf . Acesso em: 25 de setembro de 2019.

(2) Fitoterapia. Prefeitura Municipal de Londrina – PR. Disponível em: http://www.londrina.pr.gov.br/dados/images/stories/Storage/sec_saude/fitoterapia/publicacoes/confrei2.pdf . Acesso em: 25 de setembro de 2019.

(3) LIMA, Ana Paula de. Efeito do Symphytum officinale L. (confrei) fitoterápico e homeopático na reparação óssea em tíbias de ratos. Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2012. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/104565/lima_ap_dr_sjc.pdf?sequence=1&isAllowed=y . Acesso em: 25 de setembro de 2019.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Lívia Mota
Jornalista (DRT-PE: 4909), possui especialização em marketing e acumula experiência de mais de 10 anos no ramo da comunicação. Seu currículo reúne conhecimento nas áreas de produção e monitoramento de conteúdo para web, em comunicação empresarial interna e externa e na prestação de assessoria. Trabalhou no jornalismo impresso e digital com repórter, tendo passado pelas editorias de política, economia, cultura, polícia e cidades. Atualmente é editora da empresa iHaa Network, conglomerado de sites no qual o Remédio Caseiro faz parte.