Chás que ajudam a tratar pedras nos rins

Existem métodos alternativos para ajudar no tratamento desse problema

O corpo humano é uma máquina em movimento e cada órgão é uma peça que faz a engrenagem do maquinário funcionar. Se alguma dessas peças não exercer sua função corretamente, haverá prejuízos de uma maneira geral. Por exemplo, quando os rins, que são responsáveis por filtrar o sangue e eliminar substâncias nocivas ao organismo, não atuam como o esperado é possível surgir alguns problemas de saúde, como a famosa pedras nos rins.

Também chamada de litíase urinária, este problema de saúde afeta entre 10% a 15% da população brasileira, de acordo com o médico Hilário Antônio, especialista em endourologia avançada. E esta situação é ainda mais grave no verão, quando, segundo a Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), os casos aumentam em 20%.

A verdade é que existem diversas razões que justificam a formação de pedras nos rins. Inclusive, esta mesma doença pode ser dividida em quatro tipos, conforme explica o urologista Alberto Ambrogini em uma publicação no Instagram. São elas: pedras de cálcio, pedras de ácido úrico, pedras de estruvita/infecção e pedras de cistina.

Existem 4 tipos de pedras nos rins: de cálcio, de ácido úrico, de estruvita/infecção e de cistina

Existem métodos alternativos para ajudar no tratamento desse problema (Foto: depositphotos)

“Entre 70% e 90% dos cálculos são expelidos de forma natural. Se isso não ocorrer, uma intervenção cirúrgica faz-se necessária”, explica Hilário, em um artigo publicado no site do médico. Mas, existem outros métodos alternativos para ajudar no tratamento desse problema, como os chás. Confira algumas ervas que podem contribuir para uma melhora no quadro de pacientes com litíase urinária.

Chás para tratar pedras nos rins

1. Dente-de-leão

Uma das mais importantes propriedades do dente-de-leão é a ação diurética que essa planta possui. Por esta razão, a erva é indicada para o tratamento de pedras nos rins, uma vez que estimula a produção de urina. Para isso, é preciso colocar para ferver duas colheres (de sopa) da planta em um litro de água filtrada. Após o processo de ebulição, deve-se deixar o chá abafado por 10 minutos. Depois é só coar e beber até três xícaras por dia.

2. Cavalinha

Os brotos da cavalinha são usados no preparo de um chá capaz de combater infecções bacterianas do trato urinário. Por esta razão, a cavalinha é uma boa opção para prevenir a formação de pedras nos rins. Neste caso, o paciente deve preparar um chá com 3g dos brotos e 200 ml de água fervente. Após misturá-los, é preciso esperar 10 minutos para que a infusão possa ser utilizada. Mas não deve ser ultrapassado o limite de três vezes por dia.

Veja também: Conheça os medicamentos mais nocivos aos rins

3. Salsinha

Com poderes diuréticos, o chá de salsinha também é eficaz no tratamento contra a litíase urinária. Só deve ser evitado na gravidez ou no período de lactação. Para usar dos benefícios desta bebida, é preciso preparar um chá com cinco ramos de salsinha e um litro de água. Depois é só esperar ferver por cinco minutos e só deve consumir após esfriar.

4. Sementes de melancia

Todo mundo sabe que a melancia é uma fruta muito benéfica a saúde, mas poucos conhecem os efeitos protetores que as suas sementes possuem. Um desses benefícios é a ação diurética que pode ser aproveitada quando o chá das sementes for consumido. Para isso, basta ferver meio litro de água com duas colheres (de sopa) dos caroços da melancia. Depois é só esperar esfriar e beber.

5. Mistura de ervas

Uma colher (de sopa) de boldo, mais uma de camomila e outra de alecrim. Estas são as quantidades das ervas indicadas para o tratamento de pedras nos rins. Após unir todas estas plantas, é preciso colocá-las em infusão com uma xícara de água fervente. Após 10 minutos de espera, o chá está pronto para ser aproveitado.

Veja também: Tratamentos naturais para pedras nos rins

Como evitar litíase urinária?

Mesmo existindo formas para tratar este problema, a melhor alternativa é evitá-lo. Por isso que os médicos recomendam alguns cuidados com a saúde, como aumentar a ingestão de água durante o dia. Além disso, Alberto alerta para outros pontos, como:

  • Reduzir o consumo de sal na alimentação;
  • Ingerir a quantidade correta de cálcio, que deve ser prescrita por um especilalista em nutrição;
  • Diminuir o consumo de alimentos com baico nível de oxalato, a exemplo de beterraba, cacau, espinafre etc;
  • Ter uma alimentação balanceada, rica em legumes e frutas;
  • Consumir menos proteína de origem animal;
  • Praticar exercícios físicos de forma regular;
  • Ter uma vida livre de estresse.

Todos estes itens são indispensáveis para quem deseja ter uma vida mais saudável. Porém, se caso alguns sinais surgirem é necessário buscar ajuda médica o mais rápido possível. “Enquanto os cálculos renais se formam, é possível que o paciente não apresente sintomas. A dor aparece quando eles começam a se movimentar dentro do rim ou dos outros órgãos do trato urinário”, explica Hilário.

Sendo assim, é importante ficar atento aos seguintes sintomas: dores intensas na região da lombar, dor ao urinar, urina rosa ou com presença de sangue, vômito, necessidade de urinar constantemente, náusea e até febre, nos casos de infecção. Diante desses sinais, é preciso buscar auxílio médico.

Veja também: Chás para aliviar dor nos rins

Sobre o autor

Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.