6 receitas de chás para perder barriga

Você sabia que é possível perder a barriga tomando chá? É verdade! Alguns chás, como o chá verde e de hibisco, funcionam dando aquela ajudinha na eliminação dos quilinhos extras e ainda reduzem os inchaços, causando uma diminuição do volume abdominal.

Mas como um chá vai ajudar a perder barriga? O que acontece é que algumas ervas têm propriedades termogênicas e detox, agindo nas causas do abdômen globoso, como o acúmulo de gordura e o inchaço causado por problemas intestinais.

Mulher apertando a barriga
O chá verde, de hibisco e de gengibre são os mais usados quando o assunto é reduzir medidas (Foto: depositphotos)

Para ajudar você e ensinar formas naturais de eliminar aquela barriguinha incômoda convidamos o especialista em fitoterapia Danilo Ramon, que indicou algumas receitas incríveis e funcionais de chás que vão te ajudar a perder a barriga de maneira saudável. 

Receitas de chás para perder barriga 

1. Chá verde 

(Foto: depositphotos)

Ingredientes

  • 1 colher (de chá) das folhas de chá verde
  • 1 xícara de água filtrada bem quente. 

O chá verde promove a perda da barriga principalmente por causa da potente capacidade termogênica da erva. Ou seja, essa infusão causa um aumento da temperatura corporal, o que resulta em um maior gasto calórico e estimula a queima das gordurinhas que ficam acumuladas nos tecidos da região abdominal. 

Além disso, essa erva é rica em catequinas, substâncias que impedem a formação desses depósitos de gordura no corpo através de um processo de inibição de algumas enzimas. Resultando então na diminuição das medidas, principalmente a abdominal.

O chá verde consegue ainda evitar problemas inflamatórios que podem causar inchaço e o aumento das medidas abdominais, além de reduzir a absorção de glicose e colesterol e fortalecer os ossos. (1)

O chá também traz benefícios para a pele, já que protege contra os efeitos dos raios solares e estimula a cicatrização. (2

Essa infusão, no entanto, não deve ser consumida em excesso por causa da grande quantidade de cafeína encontrada na erva. Em exagero essa substância pode acelerar o coração, causar dores de cabeça e tonturas. Em especial em pessoas sensíveis a ela. 

Portanto, evite tomar mais do que três xícaras ao dia e também durante a noite, já que a substância prejudica o sono. (1)

2. Hibisco 

(Foto: depositphotos)

Ingredientes

  • 1 colher (de chá) das flores de hibisco
  • 1 xícara de água filtrada bem quente. 

Outro chá da nossa lista é o de hibisco que, segundo o fitoterapeuta Danilo Ramon, “além de ser diurético, ainda ajuda a regular o intestino”.

Esse benefício ajuda a diminuir a barriguinha que é causada pelo inchaço, sintoma comum em problemas intestinais, como prisão de ventre e gases.

Além disso, o hibisco auxilia na perda da barriga por ser capaz de evitar o acúmulo dessa gordura abdominal. Desse modo, a bebida age tratando duas das principais causas do abdômen globoso ao mesmo tempo. (3)

O fitoterapeuta também destaca que o hibisco “é rico em vários nutrientes, o que acaba trazendo diversos outros benefícios para a saúde”. Como controlar a pressão arterial, relaxar os músculos, proteger o cérebro e reduzir as inflamações, por exemplo.

Mas atenção, por causa do efeito diurético o hibisco pode potencializar o efeito de medicamentos para pressão alta. Além disso, ele não deve ser usado por grávidas, já que relaxa a musculatura uterina e pode provocar aborto ou parto prematuro. (4)

3. Gengibre 

(Foto: depositphotos)

Ingredientes

  • 1 colher (de chá) de gengibre fresco ou em pó
  • 1 xícara de água filtrada bem quente.

“O gengibre é excelente para acelerar o metabolismo, auxiliando na perda de peso”, destacou o profissional, indicando o chá como uma alternativa natural para estimular a queima dessa gordura abdominal.

Isso, segundo ele, acontece porque a raiz eleva a temperatura corporal por ser termogênica. 

O chá de gengibre ainda traz diversos outros benefícios, como de estimular a digestão e aliviar as náuseas e as dores, reduzir os riscos de doenças cardiovasculares, tratar infecções e fortalecer o sistema imune. (5

“Além desses e outros incontáveis benefícios para a saúde, o gengibre pode ser usado em sucos, como o verde e o detox, em conjunto com menta, abacaxi e couve, por exemplo”, disse ele.

Uma dica do profissional é adicionar canela em pau no chá de gengibre para potencializar os efeitos termogênicos da infusão.

4. Cáscara Sagrada 

(Foto: depositphotos)

Ingredientes

  • 1 colher (de chá) das cascas da cáscara sagrada 
  • ½ litro de água filtrada.

Outro chá indicado pelo profissional para quem quer perder a barriga é o de cáscara sagrada, que segundo ele “é um poderoso laxante e normaliza as funções intestinais de forma suave”.

Essa propriedade, ainda de acordo com o especialista em fitoterapia, faz com que a erva aja em uma causa bastante comum para o grande volume abdominal, que é a prisão de ventre.

Mas como isso funciona? Você pode estar se perguntando. O que acontece é que a cáscara sagrada estimula os movimentos intestinais e a liberação de alguns tipos de secreções que ajudam a deixar as fezes com uma consistência mais líquida, fazendo com que sejam eliminadas mais rápido. 

O resultado disso é uma diminuição do tempo que os nutrientes ficam em contato com a parede do intestino, ação que também diminui a absorção de gorduras e calorias. Benefícios ligados diretamente a perda de peso e gordura abdominal.

Essa, no entanto, é uma erva que deve ser utilizada com bastante cuidado pois o uso em excesso pode causar diarreia, inflamação intestinal, cólicas abdominais e ainda causar dependência. (6

Além disso, o chá é totalmente contraindicado para grávidas, lactantes e pessoas que sofrem de problemas intestinais, como colite ulcerativa, doença de Crohn, diarreia crônica, síndrome do intestino irritável e apendicite. 

Por conta desses efeitos negativos o chá não deve ser consumido mais do que duas vezes ao dia e nunca por um período superior a duas semanas. (7

5. Sene 

(Foto: depositphotos)

Ingredientes

  • 1 colher (de chá) de sene 
  • 1 xícara de água quente.

Sabe quando a “barriguinha saliente” é causada por problemas como gases e prisão de ventre? Pois o chá de sene é perfeito para quem está passando por isso.

Segundo o especialista em fitoterapia “o sene pode superar a cáscara sagrada como purgante, porém seu efeito laxativo pode causar leves cólicas em quem tem prisão de ventre visto que essa planta remove impurezas da parede intestinal que impedem um bom funcionamento do intestino e absorção de nutrientes”. 

Desse modo, a infusão age de maneira semelhante ao chá de cáscara sagrada, eliminando as gorduras e impedindo a absorção de alguns nutrientes, por isso deve ser consumido com cuidado. Em uma quantidade de, no máximo, duas xícaras ao dia e por períodos alternados de tempo. 

A boa notícia é que além de ajudar a reduzir o tamanho da barriga, o chá de sene também auxilia no tratamento de infecções, principalmente as que atingem o trato gastrointestinal, graças ao efeito antibacteriano da erva. (8)

No entanto, o chá é contraindicado para consumo durante a gravidez, pois aumenta os riscos de aborto e má formação. 

Já durante a amamentação, a bebida pode causar cólicas nas crianças, pois as substâncias laxativas da erva passam através do leite. Além disso, a infusão pode piorar os sintomas de quem já sofre com problemas inflamatórios intestinais. Portanto, também deve ser evitada. (9

6. Psyllium 

(Foto: depositphotos)

Ingredientes

  • 1 colher (de chá) de psyllium 
  • 1 xícara de água.

Modo de preparo

Leve o psyllium com a água ao fogo e deixe ferver por cinco minutos. Em seguida basta beber o chá sem coar, para absorver todas as fibras do alimento. 

O psyllium é outra ótima substância para quem almeja diminuir as medidas abdominais decorrentes não só de problemas como prisão de ventre e gases, mas também pelas gordurinhas extras.

Tudo isso por causa da composição desse suplemento, que é rico em substâncias que auxiliam a perda de peso e estimulam o funcionamento intestinal. 

De acordo com o fitoterapeuta, o psyllium ajuda a acabar com a ‘barriga de chopp’ graças “ao alto teor de fibra solúvel e mucilagem, que possuem uma infinidade de benefícios para a saúde e provaram ser eficazes no tratamento da síndrome do intestino irritável e ótimo para reduzir o abdômen globoso”. 

O profissional destaca ainda que cada 100 gramas do suplemento fornece 80 gramas de fibra solúvel, chamada de higroscópica. Ou seja, que absorve água e aumenta de tamanho, se transformando em uma massa gelatinosa no intestino. 

“Esse gel volumoso limpa a parede intestinal, transporta toxinas e resíduos e tem um excelente efeito laxante, sem causar diarreia ou dores abdominais”, destacou.

Tudo isso faz com que o psyllium facilite a remoção da gordura e glicose, substâncias que se acumulam na barriga. O suplemento também serve para aumentar a sensação de saciedade já que a massa de fibras tomam conta da maior parte do estômago ao serem consumidas.

Desse modo, você acaba comendo menos, resultando na diminuição da quantidade de calorias e gordura ingeridas ao longo do dia. 

O melhor de tudo é que todo mundo pode consumir o suplemento, seja no chá ou usando a farinha de psyllium nos alimentos, pelo menos três vezes ao dia.

Chás para emagrecer com saúde

Cuidados com os tratamentos caseiros

Danilo Ramon destacou que o volume globoso pode ter várias causas e a maioria dessas causas é derivada de uma má alimentação.

Entre as principais razões para a barriguinha estão o acúmulo de gordura nos tecidos, principalmente no fígado, prisão de ventre, gases e problemas inflamatórios intestinais.

Portanto, antes de iniciar qualquer tratamento, seja ele natural ou não, é preciso primeiro identificar qual é a causa do problema, para só então começar a tratá-lo de maneira efetiva.

Além disso, nunca se deve usar nenhum desses chás esperando um incrível efeito milagroso na perda de medidas, já que isso não existe e a perda da barriga é resultado de um conjunto de fatores, que inclui uma alimentação saudável e a prática de exercícios físicos, além de ter o acompanhamento de um profissional de saúde especializado. 

*Artigo escrito em parceria com o naturopata especialista em acupuntura, fitoterapeuta e iridologia Danilo Ramon (CRTH – 1224 – BR).

Referências

(1) SENGER, Ana Elisa Vieira; SCHWANKE, Carla H. A.; GOTTLIEB, Maria Gabriela Valle. Chá verde (Camellia sinensis) e suas propriedades funcionais nas doenças crônicas não transmissíveis. Scientia Medica, v.20, n.4, p.292-300, 2010. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/scientiamedica/article/viewFile/7051/5939. Acesso em: 30 de agosto de 2019. 

(2) HSU, Stephen. Green tea and the skin. Journal of the American Academy of Dermatology, v.52, n.6, p.1049-1059, 2005. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1016/j.jaad.2004.12.044. Acesso em: 30 de agosto de 2019.

(3) UYEDA, Mari. Hibisco e o processo de emagrecimento: Uma revisão da literatura. Saúde em Foco, n.7, p.82-90, 2015. Disponível em: http://portal.unisepe.com.br/unifia/wp-content/uploads/sites/10001/2018/06/11hibisco_emagrecimento.pdf. Acesso em 30 de agosto de 2019.

(4) ALI, Badreldin H.; WABEL, Naser Al; BLUNDEN, Gerald. REVIEW ARTICLE Phytochemical, Pharmacological and Toxicological Aspects of Hibiscus sabdariffa L.: A Review. Phytotherapy Research, v.19, p.369-375,2005. Disponível em: http://dx.doi.org/0.1002/ptr.1628. Acesso em: 30 de agosto de 2019.

(5) MISHRA, Rajesh; KUMAR, Anil; KUMAR, Ashok. Pharmacological activity of Zingiber officinale. International Journal of Pharmaceutical and Chemical Sciences, v.1, n.3, p.1073-1079, [2012]. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/305723299_Pharmacological_activity_of_Zingiber_officinale. Acesso em: 30 de agosto de 2019. 

(6) LÔBO, Clariane Ramos. Cáscara Sagrada (Rhamnus purshiana): Uma Revisão de Literatura. Revista de Divulgação Científica Sena Aires, v.1, n.2, p.171-178, [2012]. Disponível em: http://revistafacesa.senaaires.com.br/index.php/revisa/article/view/28. Acesso em: 30 de agosto de 2019. 

(7) COATES, Paul M. et al. Encyclopedia of Dietary Supplements. Marcel Dekker: Nova York, 2005.

(8) VISWANATHAN, Shyamala; NALLAMUTHU, Thangaraju. Phytochemical screening and antimicrobial activity of leaf extracts of Senna alexandrina Mill. against human pathogens. International Journal of Current Sciences, v.2, p.51-56, 2012. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/236646443_Phytochemical_screening_and_antimicrobial_activity_of_leaf_extracts_of_Senna_alexandrina_Mill_against_human_pathogens. Acesso em 30 de agosto de 2019. 

(9) COSTA, Kassiane Cristine da Silva et al. Medicinal plants with teratogenic potential: current considerations. Brazilian Journal of Pharmaceutical Sciences, v.48, n.3, 2012. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1984-82502012000300009. Acesso em 30 de agosto de 2019. 

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (Mtb-PE: 6770) com formação completa no curso de Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo (UniFavip-DeVry). Experiência prática de dois anos em produção jornalística para TV e rádio. Atualmente atua na área de redação para web, nas áreas de educação, beleza e saúde alternativa. Além da formação no curso superior, possui experiência em produção de vídeo, diagramação de livros e revistas e marketing.