Para que serve o chá de graviola e suas folhas

Enquanto algumas pessoas perguntam se o chá da folha de graviola cura o câncer, outras se questionam se a mesma bebida emagrece. Mas, essas dúvidas só existem, pois há quem utilize a planta popularmente para esses fins.

No entanto, cientificamente, o efeito anticancerígeno ainda está sendo estudado. Na verdade, a relação entre a infusão e essa ação vem chamando a atenção de pesquisadores há, pelo menos, 40 anos. (1)

Graviola no pé com folhas
O chá das folhas da graviola inibe a degradação das células atuando com anticancerígeno (Foto: depositphotos)

Além desses efeitos, o chá da folha de graviola também é utilizado no tratamento de diabetes e problemas digestivos. Sem contar no benefício de baixar a pressão em quem possui hipertensão arterial.

Mas, mesmo com todos esses efeitos positivos, é preciso tomar alguns cuidados no preparo da infusão. Ficando esperto também com relação as contraindicações e efeitos colaterais.

Para que serve o chá de folha de graviola?

Quando fizer o chá para tratar problemas internos, não descarte as folhas cozidas no preparo. Isso porque, elas podem ser usadas topicamente no tratamento de reumatismo e abcessos. (2)

Confira a seguir os principais benefícios dessa infusão!

Previne e trata o câncer

O efeito anticâncer das folhas de graviola se dá por diversas razões, uma vez que o vegetal possui diferentes substâncias capazes de impedir as células cancerígenas, como as acetogeninas anonáceas.

De acordo com um estudo elaborado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e a Universidade Estadual de Campinas, esses compostos são derivados de ácidos graxos. No corpo, as acetogeninas agem com citotoxicidade, pois promovem a morte de células nocivas. (1)

O efeito antiproliferativo é outra importante arma na luta contra essa doença. Em outras palavras, o extrato da planta consegue impedir a reprodução celular do câncer, principalmente dos de cólon e pulmão. (2)

Outras variedades dessa enfermidade podem ser inibidas, são elas: mama, ovário, próstata, leucemia, renal, hepática, oral, melanoma, pancreática e cervical. (3)

Tudo isso graças também à ação antioxidante que auxilia no combate aos radicais livres. Essas moléculas consideradas instáveis são responsáveis por atacar as células saudáveis do corpo, tornando-as ofensivas à saúde. (4)

Baixa a pressão

Outro benefício da infusão é a redução da pressão arterial que ocorre graças ao antagonismo de cálcio, o qual possibilita a regulação do ventrículo esquerdo.

Isso significa dizer que a parte responsável por bombear o sangue do coração para todo o corpo tem seu desempenho melhorado. Portanto, não há uma sobrecarga sobre o ventrículo.

Com esse efeito, o organismo só tem a ganhar pois, com o controle da hipertensão, doenças cardíacas podem ser evitadas. E somando-se a isso, há ainda a redução dos níveis de triglicerídeos e colesterol total. (2,5)

Combate problemas digestivos

As folhas da gravioleira possuem substâncias que ajudam a proteger a parede gástrica, como é o caso dos antioxidantes. O que ocorre é a redução da oxidação no tecido gástrico, impedindo lesões nessa região.

Para você ter uma melhor noção do efeito no estômago, pesquisadores assemelham os benefícios da planta com os do medicamento omeprazol. Assim como o remédio sintético, o natural promove uma proteção gástrica, evitando machucados.

Além disso, o decoto feito com essas folhas pode ser utilizado para tratar distúrbios gastrointestinais como a diarreia. (2,4,6)

Ajuda no tratamento de obesidade e diabetes

Popularmente, esse chá é utilizado como um agente emagrecedor. Cientificamente, tal benefício é comprovado através de estudos que avaliam a relação da bebida com a obesidade.

Segundo um estudo brasileiro feito na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), o extrato aquoso da graviola pode auxiliar no combate à obesidade e as alterações metabólicas acompanhadas por essa condição.

Ainda levando em consideração esse trabalho, doses de 50 mg/kg e 100 mg/kg são suficientes para reduzir o peso corporal. Sem contar nos benefícios já citados com relação as taxas de gordura no sangue. (4,5)

Somando-se a esse efeito, a planta também consegue diminuir a taxa de glicose no sangue, favorecendo a prevenção e o tratamento contra a diabetes. (6)

Combate inflamações

Doenças como asma, Alzheimer, diabetes, artrite e problemas cardiovasculares podem ter a inflamação como um ponto em comum. Isso porque o processo inflamatório crônico pode contribuir para o desenvolvimento dessas enfermidades.

Diante disso, há um interesse por anti-inflamatórios naturais, como é o caso das folhas de graviola. Esse vegetal possui flavonoides que agem amenizando a dor e a inflamação. (6)

Como fazer?

Coloque duas colheres (de sopa) de folhas de graviola secas em um litro de água fervente. Deixe descansar por 10 minutos, coe e consuma de duas a três xícaras sempre após as refeições.

Uma boa dica é deixar o chá na geladeira, para consumir ao longo do dia e gelado. (7)

Posso tomar o chá de graviola todos os dias?

A recomendação é usar da infusão até que os sintomas do problema apresentado diminuam ou sumam. Mas é importante consumir até três xícaras por dia. (8)

Contraindicações e efeitos colaterais

Pacientes com caxumba, grávidas, pessoas com aftas ou ferimentos na boca devem evitar o consumo. Além desses, os hipotensos (com pressão baixa) também não devem usar, pois um dos efeitos da planta é diminuir ainda mais a pressão arterial. (7)

Referências

(1) FREIRE, Verônica. Compostos extraídos da gravioleira têm potencial ação inseticida e antitumoral, Embrapa, 2017. Disponível em: https://www.embrapa.br/busca-de-noticias/-/noticia/29077977/compostos-extraidos-da-gravioleira-tem-potencial-acao-inseticida-e-antitumoral. Acesso em: 19 de novembro de 2019.

(2) MOGHADAMTOUSI, Soheil Zorofchian; et al. Annona muricata (Annonaceae): A Review of Its Traditional Uses, Isolated Acetogenins and Biological Activities, Internacional Journal of Molecular Sciences, 2015. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4519917/. Acesso em: 19 de novembro de 2019.

(3) RADY, Islam; et al. Anticancer Properties of Graviola (Annona muricata): A Comprehensive Mechanistic Review, Oxidative Medicine and Cellular Longevity, 2018. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6091294/.  Acesso em: 19 de novembro de 2019.

(4) BARATA, L. E. S.; et al. Plantas Medicinais Brasileiras. IV. Annona muricata L. (Graviola), Revista Fitos, Vol. 4, nº 1, 2009. Disponível em:   https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/19163/2/12.pdf . Acesso em: 19 de novembro de 2019.

(5) SASSO, Sandramara. Efeitos do extrato aquoso da folha da graviola (annona muricata linn) em modelo experimental de obesidade, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, 2017. Disponível em: https://repositorio.ufms.br:8443/jspui/handle/123456789/3111. Acesso em: 19 de novembro de 2019.

(6) QAZI, Asif Khurshid; et al. Emerging therapeutic potential of graviola and its constituents in cancers, Carcinogenesis, 2018. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5888937/. Acesso em: 19 de novembro de 2019.

(7) SIMÕES, Ricardo Santos; BRUNO, Luciana de Oliveira; MATTOS, Leandro Sabará. Plantas e frutos com propriedades medicinais mais utilizadas no dia a dia. Disponível em: http://anatomia-papel-e-caneta.com/wp-content/uploads/2018/10/Livro-de-plantas-medicinais.pdf . Acesso em: 19 de novembro de 2019.

(8) BENTO, Elisangela Beneval; et al. Estudo etnofarmacológico comparativo na região do Araripe da Annona muricata L. (Graviola), Revista Cubana de Plantas Medicinales, 2016. Disponível em: http://scielo.sld.cu/pdf/pla/v21n1/pla02116.pdf. Acesso em: 19 de novembro de 2019.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6750), formada em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, pela UniFavip-DeVry, escreve artigos para os mais diversos veículos. Produz um conteúdo original, é atualizada com as noções de SEO e tem versatilidade na produção dos textos.