Calêndula: para que serve o chá e outras formas de uso

A calêndula é uma florzinha amarela muito cultivada em jardins e repleta de propriedades medicinais, motivo pelo qual ela costuma ser utilizada pela indústria farmacêutica e na medicina popular para tratar problemas como acne, psoríase e até acelerar o processo de cura de queimaduras na pele.

Para aproveitar todos os benefícios das flores da planta, que também é chamada de margarida-dourada, maravilha, virreina ou ‘bem-me-quer, mal-me-quer’, pode usá-las em banhos e compressas ou na forma de chá.

Para completar, os extratos dessa planta podem ser usados por quase todo mundo, já que não apresenta compostos tóxicos. Incrível, não? Continua lendo para saber tudo o que a ciência diz sobre os benefícios dessa florzinha milagrosa!

Para que serve a calêndula? 

Tratar e prevenir a acne 

Sabia que fazer compressas com o chá de calêndula evita a acne? Pois é, as pétalas dessa flor são ricas em compostos fitoquímicos excelentes no combate a esse problema, que pode afetar pessoas de qualquer idade.

Essa ação está relacionada com a propriedade antibacteriana da flor. O extrato dela se mostrou eficaz em impedir a proliferação das bactérias Staphylococcus aureus, Staphylococcus epidermidis e Propionibacterium acnes, que vivem na pele e são as principais causadoras das temidas espinhas

Os extratos ainda conseguem diminuir a inflamação, que é o processo que dá origem ao problema.

Por causa disso, usar a erva diminui a vermelhidão e o acúmulo de pus, melhorando a aparência da pele, acelera o processo de cura da área machucada, reduz os riscos de complicações das lesões e ainda alivia as dores.

Adicionar as flores nos cuidados com a pele pode evitar o aparecimento da acne de maneira 100% natural e sem complicações. (1)

Acelerar a cicatrização de queimaduras  

Outro exemplo do uso externo da margarida-dourada é no tratamento de queimaduras

Esse benefício é derivado da capacidade de alguns fitoquímicos encontrados na flor de estimular a vascularização de áreas lesionadas, ao aumentar o fluxo sanguíneo e o envio de células essenciais para o processo de cicatrização. 

Além disso, a calêndula auxilia a proliferação dos fibroblastos, estruturas que produzem as fibras musculares, e do colágeno, um tipo de proteína que dá elasticidade e firmeza para a pele. (1)

Essas propriedades aceleram o processo de reepitelização tecidual, que é quando um novo tecido cresce e toma o lugar do que sofreu uma lesão. (2)

Tudo isso colabora para uma melhora significativa das queimaduras e, o melhor, sem efeitos colaterais identificados. (1)

Aliviar os sintomas da psoríase

O chá de calêndula também serve para aliviar os sintomas da psoríase, doença de pele que pode causar coceira, descamação, vermelhidão e manchas.

O que acontece é que essa doença é causada por um processo inflamatório crônico, que faz com que as células que formam a pele se acumulem e causem uma irritação e essa bebida inibe o processo.

Ela age impedindo que o corpo dê início ao processo de inflamação. 

Para entender melhor: 

O processo inflamatório acontece quando o organismo se sente ameaçado com alguma coisa e começa a enviar mais sangue e anticorpos para o local onde acha que está o problema, que no caso da psoríase é na pele. 

Com isso as células de defesa começam a se acumular, causando os vários sintomas dessa doença e a calêndula ajuda justamente a impedir que isso aconteça. (3

Fortalecer a imunidade e proteger contra doenças 

Essa erva não serve apenas para uso externo. Beber o chá regularmente fortalece a imunidade pois seus fitoquímicos favorecem a produção e liberação dos linfócitos, os glóbulos brancos, no organismo. (4)

A flor estimula a ação das células Natural Killer (assassinas naturais ou NK), que são capazes de destruir invasores e até mesmo células cancerígenas.

A planta ainda possui propriedades antibacterianas, antifúngicas e antivirais, principalmente contra os microrganismos causadores de infecções intestinais, na pele ou ginecológicas.

Esses resultados creditam à infusão atuar como complemento para os tratamentos convencionais e acelerar o combate a várias doenças infecciosas.

Acalmar e diminuir a ansiedade 

Sabe aquele nervosismo que bate antes de alguma tarefa importante? Tomar uma xícara de chá da erva pode auxiliar com isso, deixando a mente mais calma.

Esse uso da calêndula é derivado da presença de fitoquímicos que atuam como ansiolíticos naturais. Isso acontece porque alguns compostos encontrados na flor atuam no sistema nervoso central para diminuir a excitação e a atividade motora.

Desse modo, ela proporciona um alívio rápido para a ansiedade e o estresse, o que pode servir para melhorar a qualidade do sono, quando a infusão for tomada à noite. (5

Aliviar as cólicas menstruais 

O chá ou a tintura de calêndula servem para trazer alívio das cólicas menstruais. Efeito que acontece porque a flor possui propriedade anti-espasmódicas. 

Ela funciona relaxando a musculatura, principalmente a uterina, o que impede os movimentos bruscos que causam as fortes dores. O resultado é que o consumo do chá traz um alívio rápido para as cólicas e não apenas as menstruais, mas também as abdominais. (6)

Como usar a calêndula?

A calêndula é uma planta medicinal que pode ser usada de várias maneiras. Segundo o Ministério da Saúde, as flores servem para o preparo de infusões, tinturas e extratos, que podem ser bebidos ou usados na pele. 

O primeiro método, a infusão, é feito de maneira bem simples. Basta acrescentar 1 colher (de chá) das flores em 1 xícara de água fervente, deixar descansar por 10 minutos, para em seguida coar e beber até 3 vezes ao dia

Para a tintura você pode ingerir de 20 a 40 gotas para cada xícara de água, 3 vezes ao dia. Já o extrato, deve ser usado de maneira externa. Ou seja, aplicando na pele. (1)

A margarida-dourada também podem ser comida, viu?! As flores são ingredientes de saladas ou doces, além de ser um tipo popular de decoração comestível. (7)

Existem contraindicações?

A calêndula é considerada de baixa toxicidade, por isso pode ser usada por quase todo mundo. 

Mas atenção, devido a capacidade de relaxar o útero a erva não deve ser consumida por grávidas, uma vez que aumenta os riscos de aborto e parto prematuro. Além disso, mulheres que amamentam devem evitar o uso por causa dos riscos de intoxicação para o bebê devido aos fitoquímicos que passam através do leite.

Um alerta! Pessoas que têm alergia a plantas da mesma família que a calêndula, como: camomila, crisântemo ou margarida, também podem ter sensibilidade a ela. (1)

Onde encontrar e dicas de como cultivar a flor 

Você pode encontrar o extrato, tintura ou as flores secas de calêndula para o preparo do chá em lojas de produtos naturais e fitoterápicos por valores que variam entre R$20 e R$50. Mas, caso não ache na sua região, você pode cultivar a erva no jardim. Confira algumas dicas de como fazer isso!

Em primeiro lugar a margarida-dourada deve ser plantada, através de mudas ou sementes, em solo bem drenado e rico em matéria orgânica (húmus).

Para que consiga se desenvolver a planta também precisa receber no mínimo quatro horas de sol todos os dias e não é necessário regar com frequência já que ela prefere climas mais secos.

Sabe o melhor? Essa é uma planta perfeita para ser cultivada em vasos, porque cresce apenas 60 centímetros de altura e as flores, que podem ser amarelas ou laranjas, são ótimas como plantas ornamentais. (7)

Referências

(1) MINISTÉRIO DA SAÚDE. Monografia da espécie Calendula officinalis L. (Calêndula), 2014. Disponível em: http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2014/novembro/25/Vers–o-cp-Calendula.pdf. Acesso em: 7 de outubro de 2019.

(2) GAZOLA, Amanda Monique et al. O uso da Calendula officinalis no tratamento da reepitelização e regeneração tecidual. Revista Uningá Review, v.20, n.3, p.54-59, 2018. Disponível em: http://revista.uninga.br/index.php/uningareviews/article/view/1600. Acesso em: 7 de outubro de 2019. 

(3) MULEY, B.P.; BANARASE, N.B.; KHADABADI, Smruti S. Phytochemical Constituents and Pharmacological Activities of Calendula officinalis Linn (Asteraceae): A Review. Tropical Journal of Pharmaceutical Research, v.8, n.5, p.455-465, 2009. Disponível em: http://dx.doi.org/10.4314/tjpr.v8i5.48090. Acesso em: 7 de outubro de 2019.

(4) BRAGA, Pier Carlo et al. Antioxidant Activity of Calendula officinalis Extract: Inhibitory Effects on Chemiluminescence of Human Neutrophil Bursts and Electron Paramagnetic Resonance Spectroscopy. Pharmacology, v.83, p.348-355, 2009. Disponível em:  http://dx.doi.org/10.1159/000217583. Acesso em: 7 de outubro de 2019.

(5) ANITA, Rani; CHANDER, Mohan. Pharmacological and Phytochemical Evaluation of Calendula officinalis Linn. For Anti-Anxiety Activity. International Journal of Pharmacognosy and Phytochemical Research, v.9, n.1, p.119-122, 2017. Disponível em: http://impactfactor.org/PDF/IJPPR/9/IJPPR,Vol9,Issue1,Article22.pdf. Acesso em: 7 de outubro de 2019.

(6) BASHIR, Samra et al. Studies on Spasmogenic and Spasmolytic Activities of Calendula officinalis Flowers. Phytotherapy Research, v.20, n.10, p.906-910, 2006. Disponível em: https://doi.org/10.1002/ptr.1980. Acesso em: 7 de outubro de 2019.

(7) CITADINI-ZANETTE, Vanilde; NEGRELLE, Raquel R.B.; BORBA, Elder Tschoseck. Calendula officinalis L. (Asteraceae): Aspectos botânicos, ecológicos e usos. Visão Acadêmica, v.13, n.1, p.6-23, 2012. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5380/acd.v13i1.30013. Acesso em: 7 de outubro de 2019.

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (Mtb-PE: 6770) com formação completa no curso de Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo (UniFavip-DeVry). Experiência prática de dois anos em produção jornalística para TV e rádio. Atualmente atua na área de redação para web, nas áreas de educação, beleza e saúde alternativa. Além da formação no curso superior, possui experiência em produção de vídeo, diagramação de livros e revistas e marketing.