Benefícios do mel de abelha

Entre os benefícios se destacam a ação anti-inflamatória, antioxidante e a prevenção do câncer

Você conhece os benefícios do mel? Essa delícia natural proporcionada pelas abelhas é usada no preparo de receitas de dar água na boca, mas também é ingrediente de um montão de remédios naturais caseiros. Aqui você vai descobrir tudo sobre os usos medicinais e benefícios saudáveis do mel de abelha.

Em primeiro lugar, o mel é usado desde a Antiguidade na alimentação e medicina natural. Sendo assim, estima-se que o mel seja o ingrediente que gerou o primeiro método de adoçar alimentos e receitas, mas que, desde o começo do seu uso, já se observava vantagens para a saúde.

Na medicina natural tradicional, é muito comum usar o mel para a produção de xaropes e misturas com outros alimentos medicinais. Quem nunca ouviu falar das combinações de limão com mel ou mel com alho, não é? Aqui você vai descobrir porque se usa o mel nessas misturas tradicionais.

Além disso, você sabe o que é o mel? Veja no decorrer deste artigo as principais informações sobre esse alimento de sabor inigualável.

Quais são os benefícios do mel? Conheça as propriedades medicinais

O mel é rico em propriedades medicinais que ajudam a melhorar a saúde e prevenir doenças, mas só se for bem usado.

Mel no pote

Entre os benefícios estão a ação antioxidante e o poder anti-inflamatório (Foto: depositphotos)

Desse modo, veja abaixo a lista com os principais benefícios saudáveis do mel já comprovados pela ciência:

  • É fonte de minerais e vitaminas importantes
  • Elimina micróbios, vírus e parasitas
  • Protege o cérebro e o coração
  • É anti-inflamatório
  • Possui ação antioxidante
  • Previne o câncer
  • Faz bem para a pele
  • É expectorante.

Viu só a grande quantidade de benefícios do mel de abelha? E, antes de mais nada, vale salientar que existem muitos outros benefícios (comprovados e em estudo). Nós separamos estes que foram listados, pois eles são os principais benefícios já provados como verdadeiros pela ciência.

Um pouco mais sobre cada benefício

Neste tópico, você aprenderá um pouco mais sobre cada um dos benefícios listados anteriormente. Além disso, é aqui que vamos te explicar como a ciência chegou a conclusão de que eles são verdadeiros. Confira nossas referências científicas no final do artigo para mais informações.

É fonte de minerais e vitaminas importantes

Primeiramente, vamos começar falando sobre a rica composição do mel, rica em minerais e vitaminas que melhoram a saúde e previnem várias doenças (1). Análises e estudos científicos comprovam, há muitos anos, que o mel é fonte de minerais como cálcio, ferro, magnésio, entre outros.

Além disso, também é observado há muito tempo que o mel é fonte de várias vitaminas do complexo B, além das vitaminas C, D e E. Todo esse conjunto é um ótimo combo de aumento da imunidade e defesas do corpo.

Elimina micróbios, vírus e parasitas

Outra grande vantagem saudável do consumo do mel de abelha é a sua ação antimicrobiana, antiviral e antiparasitária (1). Em algumas culturas, inclusive, uma colher de mel é oferecida diariamente às crianças como método de prevenção de doenças.

Na verdade, o mel, por si só, não substitui o tratamento contra esses agentes nocivos que causam doenças e problemas de diversos níveis de gravidade. Ele atua mais como um auxiliar, potencializando os tratamentos e prevenindo o desenvolvimento dos vírus, micróbios e parasitas no organismo.

Faz bem para o cérebro e o coração

Outro componente importante do mel é a colina, uma substância protetora do cérebro e do coração (1). Especialistas apontam, na ciência, que o mel de abelha é rico em colina e, por isso, ajuda na manutenção saudável das funções cerebrais e cardiovasculares.

É anti-inflamatório

O mel de abelha também é anti-inflamatório, o que faz muito bem ao organismo e a saúde no geral (1, 2, 3). Assim como citado anteriormente, nesse caso o mel também é um auxiliar e pode não ser a melhor opção para combater sozinho inflamações.

Uma dica é consumir o mel rotineiramente, em pequenas quantidades, para diminuir ou combater pequenas inflamações comuns do organismo humanos. Afinal, essas pequenas inflamações são conhecidas por causar dores nos ombros, lombar e articulações, que são dores comuns no dia a dia.

Possui ação antioxidante

Agora, um grande benefício: o mel tem propriedades antioxidantes, que ajudam a inibir a ação dos radicais livres e, assim, previne várias doenças sérias e o envelhecimento precoce (1, 2, 3).

Os alimentos antioxidantes previnem a ação dos radicais livres, substâncias que dificultam o ciclo de vida saudável das células, e assim, abrem as portas para o surgimento de várias doenças.

Entre as doenças que podem ser prevenidas pela ação antioxidante estão a Doença de Parkinson, Alzheimer, diabetes, câncer, envelhecimento precoce e diversas doenças degenerativas.

Previne o câncer

Vários estudos ao redor do mundo confirmam que o mel natural de abelha possui substâncias que ajudam a prevenir e combater o câncer, sendo assim um aliado do tratamento quimioterápico (1, 2, 3).

Faz bem para a pele

Por outro lado, uma pesquisa italiana comprovou cientificamente que o mel tem vários benefícios dermatológicos (4). Isso é resultado da união entre a glicose, aminoácidos e proteínas do mel.

Em resumo, o mel aplicado na pele tem ação emoliente, umectante, calmante, condicionante (no cabelo). Além disso, mantém a pele jovem e retarda a formação de sardas e manchas. O mel também ajuda a regular o pH da pele e previne infecções patogênicas.

É expectorante

Por fim, mas não menos importante, o mel é expectorante (2). Isto é, ele ajuda a reduzir e eliminar a mucosa presente nas vias respiratórias. É um excelente remédio natural para diminuir o catarro da tosse e gripe.

O mel é mais saudável que qualquer tipo de açúcar

Sem sombras de dúvidas, o mel é sim a melhor opção para adoçar receitas. O açúcar refinado e branco, como todo mundo já sabe, são grandes vilões da saúde. Por isso, os açúcares mascavo e demerara surgem como alternativas mais saudáveis. Mas, mesmo assim, nenhum deles é tão saudável quanto o mel.

Além de trazer vitaminas, minerais e os benefícios citados nesse artigo, o mel tem 18% menos calorias do que o açúcar refinado e adoça duas vezes mais (1). Por isso, se você opta por uma alimentação saudável, uma boa opção é passar a usar mais o mel e menos os açúcares.

Como consumir

Em suma, você pode usar o mel como substituto do açúcar em bebidas, como chás, café e sucos. Você também pode consumir uma colher (de sopa) de mel todos os dias após o almoço, como sobremesa. Isso faz com que você obtenha os benefícios desse alimento.

Chá e mel

O mel é mais saudável e menos calórico que os tipos de açúcar (Foto: depositphotos)

O que é o mel?

O mel é uma substância adocicada de consistência líquida viscosa produzida pelas abelhas. Esses pequenos insetos recolhem pólen das flores e fontes de açúcar/glicose do ambiente, em seguida os processam pelas enzimas digestivas, produzindo o mel. Então elas armazenam a substância nas colmeias para lhe servir de alimento posteriormente.

Sua composição, no geral, se resume à açúcares simples como a glicose e a frutose, por exemplo. Esta primeira, inclusive, é a mais predominante. Além disso, o mel é composto por água, minerais e vitaminas. Por isso, devemos ser gratos às abelhas, por nos proporcionar uma alimento tão rico e saudável.

Mas se engana quem pensa que o mel é feito somente de pólen de flores e plantas. Na verdade, as abelhas têm autonomia natural para buscar fontes de glicose alternativas no ambiente em que estiverem.

Por exemplo, elas são atraídas por refrigerantes, pois são fontes ricas de açúcares. Além disso, elas podem buscar açúcares em frutas, seivas e até mesmo em outros animais.

Cuidados e contraindicações do mel

Apesar das grandes contribuições do mel, ele também pode causar muito mal se for usado da forma errada. Por isso, vamos te mostrar aqui alguns cuidados e contraindicações importantes. Confira:

  • O mel não é recomendado para pessoas diabéticas, pois é uma fonte rica de glicose
  • Crianças com menos de 1 ano de idade não devem consumir mel de abelha, porque tem pouca imunidade para possíveis agentes nocivos
  • O mel não é indicado para quem quer emagrecer, pois é uma opção calórica
  • O aroma delicioso do mel pode atrair abelhas, por isso mantenha-o bem guardado em potes fechados. Isso evita ataques.

Tendo em vista essas dicas, você poderá usar o mel como um grande aliado, e não um inimigo. Aproveite o delicioso sabor e benefícios medicinais do mel, esse alimento rico e complexo.

Referências científicas

Por fim, veja abaixo as referências científicas usadas na produção deste artigo. O Remédio Caseiro é um site comprometido com informações verdadeiras, conteúdo relevante e, claro, com a sua saúde. Sendo assim, fique sempre bem informado(a) em nosso site!

Referências

  1. GOVERNO DE SÃO PAULO – “Dia da Abelha: conheça as vantagens do mel para a saúde“. SP Notícias. Portal do Governo. 2017. Disponível em: http://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/dia-da-abelha-conheca-as-vantagens-do-mel-para-saude/. Acesso em 18 de abril de 2019.
  2. BADOLATO, M., CARULLO, G., CIONE, E., AIELLO, F., CAROLEO, M. C. “From the hive: Honey, a novel weapon against cancer“. 2017. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28797675. Acesso em 18 de abril de 2019.
  3. ABD JALIL, M. A., KASMURI, A. R., HADI, H. “Stingless Bee Honey, the Natural Wound Healer: A Review“. 2017. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28291965. Acesso em 18 de abril de 2019.
  4. BURLANDO, B., CORNARA, L. “Honey in dermatology and skin care: a review“. 2013. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24305429. Acesso em 17 de abril de 2019. 

Sobre o autor

Avatar
24 anos, é jornalista e produtor de conteúdo especializado. Atua com produção jornalística há 4 anos. Vencedor do prêmio de empreendedorismo digital “Academic Winner 2017”, promovido pela DeVry University na Califórnia, Estados Unidos. Tem no currículo trabalhos em emissoras de televisão, jornal impresso, revistas e internet. É pernambucano e tem como hobbies escrever, jogar videogames, cinema e estudos sociais.