Arroz tem glúten?

O arroz é um alimento básico da alimentação brasileira e pode ser um aliado da boa saúde

Será que o arroz tem glúten? Essa é uma dúvida que tem se tornado muito recorrente. Principalmente hoje em dia, quando prestamos mais atenção na nossa alimentação diária. Aqui você vai descobrir se o arroz tem glúten, se isso faz mal e outras dúvidas sobre o tema.

Presente todos os dias na mesa dos brasileiros, o arroz é um dos elementos básicos da dieta no Brasil. Junto com o feijão, os dois compõem a base da alimentação regular no país, com a adição de alguma carne ou proteína.

Dessa forma, é muito importante saber o que consumimos diariamente. Por isso, cada vez mais se presta atenção ao arroz, feijão, carnes e até mesmo frutas e verduras que estão nos nossos pratos do cotidiano.

Em particular, vamos falar do arroz! Tem alguma dúvida sobre as propriedades, benefícios e tipos desse alimento? Vamos responder todas elas abaixo.

Arroz é um alimento com glúten?

Por não possuir glúten, o arroz é indicado para todos os tipos de dietas e pessoas

O arroz não contém glúten, composto encontrado em cereais como o trigo e cevada (Foto: depositphotos)

[legenda: O arroz não contém glúten, composto encontrado em cereais como o trigo e cevada]

Não. O arroz não contém glúten na sua composição. O glúten é um composto presente em tipos de cereais como trigo, centeio e cevada. Pode ser encontrado também na aveia, mas no arroz ele não está presente.

A farinha de arroz, inclusive, é a principal opção de substituição da farinha de trigo para quem quer diminuir a ingestão de glúten ou tem alergia ao composto. Isto porque o trigo é tido como o alimento mais famosos por conter glúten.

Na cultura e dieta japonesa, por exemplo, a farinha de arroz é muito usada na produção de alimentos que, no ocidente, são feitos geralmente com trigo. Estamos falando de biscoitos, bolachas, pães e até macarrões. Nesse caso, são alimentos sem glúten ou com pouca presença desse composto.

Na culinária oriental também existem as bebidas alcoólicas feitas a base de arroz, como o sakê, que é uma bebida livre de glúten. Para quem não sabe, a cerveja (bebida alcoólica mais consumida no Brasil) é feita a base de cevada, uma fonte rica de glúten.

Veja também: Arroz parboilizado ou integral: Qual o melhor? Veja

O que é glúten?

De acordo com o nutricionista pernambucano Sidrack Lucas Vila Nova, “o glúten é um composto proteico usado na indústria alimentícia para dar volume e elasticidade aos alimentos”.

O especialista explica que esse composto é formado pela gliadina, glutenina, hordeína e secalina, que são proteínas encontradas em três tipos de cereais: trigo, centeio e cevada. Vestígios do glúten também pode ser encontrado na aveia, devido a contaminação cruzada.

Essa substância faz mal?

Segundo o nutricionista, o glúten em si não faz mal. Contudo, esse composto geralmente é encontrado em alimentos que não fazem muito bem para a saúde, como massas e derivados do trigo.

O glúten pode ser prejudicial apenas para as pessoas que sofrem de algum grau de intolerância à proteína ou a doença celíaca, uma doença autoimune caracterizada por reação imunológica à ingestão do glúten na alimentação.

“Nessas pessoas, a ingestão de glúten pode causar sintomas como diarreia, gases, irritabilidade e perda de peso”, explica o nutricionista. Ele complementa dizendo que, nesses indivíduos, a dietoterapia é caracterizada pela retirada do glúten da dieta.

Qual é o tipo de arroz mais saudável?

Existem vários tipos de arroz e o menos saudável é o branco

Segundo o nutricionista Sidrack Lucas Vila Nova, o arroz integral é a opção mais saudável (Foto: depositphotos)

Muitas pessoas acreditam que o melhor arroz (e também o mais saudável) é o arroz branco. De fato, esse é um alimento que não precisa de muita elaboração e adições ao seu preparo. Segundo o nutricionista Sidrack, “o arroz branco é um alimento que, pelo seu processamento, acaba se refinando e perdendo muitos de seus nutrientes”, explica.

Ele afirma que o tipo mais saudável de arroz é o arroz integral. O arroz parboilizado também é uma opção mais saudável que o arroz comum.

Ele explica: “O arroz integral é o arroz menos processado, sendo apenas descascado. Dessa forma, ele mantém grande parte de seus nutrientes e fibras, que ajudam no funcionamento e trânsito intestinal e a diminuir o índice glicêmico do arroz.

Já o arroz parboilizado, no seu processamento, sofre a parboilização. Essa etapa de pré-cozimento consiste na imersão do arroz com casca em água potável a uma temperatura acima de 58ºC, seguido de uma gelatinização do amido e secagem.

O especialista explica que este processo faz com que grande parte dos nutrientes do arroz se concentrem no seu interior, e assim, mesmo que ele perca sua casca, seus nutrientes são mantidos. Sendo assim, o processo torna o arroz mais rico em vitaminas e minerais.

Veja também: 10 utilidades do arroz que você nem desconfiava

Quais são os outros tipos?

Além do arroz branco, integral e parboilizado, existem outros tipos de arroz que têm ficado famosos nas dietas fit e saudáveis. Vamos falar um pouco sobre eles, mas antes é preciso ressaltar que o valor calórico de todos os tipos é bem parecido.

Em uma escala geral, 100 g de qualquer arroz cozido corresponde de 100 a 130 calorias. Contudo, os benefícios de cada tipo são diferentes. Entenda:

Arroz negro

 O arroz negro tem quase o dobro de fibras se comparado ao arroz integral

O arroz negro é antioxidante e ajuda na prevenção de doenças como diabetes e câncer

Esse tipo é bastante benéfico. Fonte de propriedades antioxidantes, o arroz negro ajuda na prevenção de várias doenças, como diabetes, câncer e problemas do coração.

Consegue ser uma opção ainda mais saudável que o arroz integral, mas não é tão fácil de encontrar e nem tão barato. O arroz negro tem mais proteínas e quase o dobro de fibras se comparado ao arroz integral.

Arroz vermelho

O arroz vermelho previne doenças do coração

O arroz vermelho ajuda na digestão e na redução do colesterol

Essa variedade é ótima para ajudar na digestão, pois contém monocolina, substância digestiva. O arroz vermelho também é indicado para reduzir os níveis de colesterol e na prevenção de doenças do coração.

Arroz selvagem

O arroz selvagem tem menos gordura que os tipos de arroz

O arroz selvagem é uma substituição menos gordurosa do arroz comum

Esse tipo não é um arroz de verdade, mas um tipo de grão bem parecido com o cereal. O arroz selvagem é rico em proteínas, aminoácidos e fibras, e também tem menos gordura que os tipos de arroz.

Benefícios do arroz

Conheça agora um pouco mais sobre os benefícios do consumo do arroz de um modo geral. Existem vários tipos do cereal, alguns mais saudáveis que outros, mas em resumo todos contribuem para o bem do organismo. Veja:

Rico em nutrientes

O arroz é rico em minerais e vitaminas essenciais para o corpo e que ajudam o organismo a trabalhar mais e melhor. Fonte de ferro, potássio e magnésio, o arroz não fica muito atrás do feijão quando o assunto é ser fonte de nutrientes.

Entre as principais vitaminas presentes no arroz estão a vitamina A, B1, B2, B3, B6 e E. Elas contribuem para a formação dos glóbulos vermelhos do sangue e estimulam a regeneração celular.

Equilibra a pressão arterial

O consumo diário do arroz (principalmente o integral ou o arroz negro) faz muito bem para equilibrar a pressão arterial. Mas para alcançar esse benefício é preciso prestar atenção na alimentação completa.

Não adianta apostar no arroz para diminuir a pressão alta e comê-lo junto a uma carne super gordurosa, por exemplo.

Controla os níveis de colesterol

Assim como equilibrar a pressão alta, o arroz também consegue controlar o nível de colesterol do organismo. Isto se deve a sua composição, baseada em carboidratos, fibras e proteínas.

Previne a diabetes

O arroz ajuda a prevenir a diabetes tipo 2. Isto se deve ao amido presente na composição do cereal, que fornece energia ao corpo e ajuda no controle da glicose.

Veja tambémLeite de arroz para emagrecer

Dieta sem glúten emagrece?

Nesse artigo você viu que o arroz não tem glúten e também conheceu um pouco mais sobre os tipos e benefícios desse cereal tão popular no Brasil. Mas você ainda deve estar se perguntando sobre o consumo de glúten e se deve ou não fazê-lo. Vamos falar agora mais sobre a dieta sem glúten.

Nos últimos 5 anos, a dieta sem glúten virou moda entre muitas pessoas. Isto se deve ao fato de ser uma dieta restritiva feita por pessoas famosas que acabam perdendo peso de forma eficaz.

Entretanto, segundo o nutricionista, a perda de peso não se dá pela retirada exclusiva do glúten. Mas sim por retirar alimentos de sua dieta como biscoitos, bolos, pizza, etc (alimentos de alto valor calórico que contém glúten).

A retirada do glúten por si só não emagrece nem faz mal à saúde. Essa restrição é recomendada apenas para os pacientes celíacos. Por isso, retirar o glúten da dieta pensando que vai emagrecer é um engano. No fim, o que faz engordar ou emagrecer são as calorias, e não as propriedades dos alimentos.

Uma dieta saudável e balanceada sempre é a melhor opção para se emagrecer com saúde e de forma rápida.

Sobre o autor

24 anos, é jornalista e produtor de conteúdo especializado. Atua com produção jornalística há 4 anos. Vencedor do prêmio de empreendedorismo digital “Academic Winner 2017”, promovido pela DeVry University na Califórnia, Estados Unidos. Tem no currículo trabalhos em emissoras de televisão, jornal impresso, revistas e internet. É pernambucano e tem como hobbies escrever, jogar videogames, cinema e estudos sociais.