Alimentos inflamatórios: Conheça os mais perigosos

Da mesma forma que existem alimentos que evitam problemas, também existem os que causam eles

Sabia que existem alimentos inflamatórios altamente perigosos? Nesse texto você vai conhecê-los e descobrir de que forma agem a ponto de favorecer o processo inflamatório do corpo. Acompanhe a seguir!

A alimentação é a base para uma vida saudável. O poder dos nutrientes é capaz de evitar doenças e prevenir inúmeros outros problemas relacionados ao organismo. Mas nem sempre todos os ingredientes fazem bem à saúde. É o caso dos alimentos inflamatórios.

De acordo com Dr. Juliano Pimentel, médico e fisioterapeuta, a inflamação é um processo natural que ajuda o seu corpo a se defender de doenças. Porém, ela se torna um transtorno maior quando se torna crônica. Entenda os perigos dessa situação e saiba quais alimentos evitar.

O que é um processo de inflamatório?

Por mais contraditório que possa parecer, a inflamação é uma espécie de defesa do organismo. “É a maneira que o seu corpo encontra para se proteger de uma infecção, doença ou lesão.

Como parte da resposta inflamatória, seu organismo aumenta a produção de glóbulos brancos, células imunes e substâncias chamadas citocinas que ajudam a combater a infecção”, explica o doutor Pimentel no seu site.

A inflamação é um processo natural, mas pode ser um problema caso se torne crônica

A inflamação é uma espécie de defesa do organismo (Foto: depositphotos)

A longo prazo uma inflamação se torna crônica e é possível provocar diabetes, doença no fígado, cardíacas e até câncer! Além disso, o excesso de gordura ou o estresse do dia a dia também podem causá-la.

Alimentos perigosos que causam inflamações

Por outro lado, determinados tipos de comidas também podem agravar inflamações ou até provocá-las. O doutor Pimentel elenca no seu site quais são os mais perigosos. Confira:

Carboidratos refinados

Entre os alimentos inflamatórios mais perigosos está o pão

Os carboidratos refinados viram açúcar no organismo (Foto: depositphotos)

Os carboidratos refinados sempre figuram na lista de vilões, não é mesmo? Também pudera! Eles têm baixíssimas concentrações de nutrientes e viram açúcar no nosso organismo! Portanto, fuja do pão branco e massas brancas.

Veja tambémPão: alimente-se sem medo de engordar e garanta benefícios

Bebidas açucaradas

Entre os alimentos inflamatórios mais perigosos está o refrigerante

Por ter muito açúcar, o refrigerante é um dos vilões (Foto: depositphotos)

No topo dessa categoria estão os refrigerantes! Eles são cheios de açúcar e muito prejudiciais. Os sucos de caixinha também são bastante perigosos para quem não quer ter inflamações.

Carne processada

Entre os alimentos inflamatórios mais perigosos estão os embutidos, como salame e salsicha

Para aumentar sua duração, essas carnes recebem aditivos nocivos (Foto: depositphotos)

Quando falamos em carne processada nos referimos a aqueles derivados industrializados, como salsicha, calabresa, mortadela, salame, presunto entre outros embutidos. O consumo, mesmo que pequeno desses elementos podem prejudicar bastante os processos inflamatórios.

Veja também: Veja quais os malefícios para o organismo de comer mortadela

Álcool

Entre os alimentos inflamatórios mais perigosos está a bebida alcoólica, como a cerveja

O consumo excessivo do álcool favorece o aparecimento de inflamações (Foto: depositphotos)

O álcool também não é a melhor escolha para quem quer ter uma vida longa. O seu consumo excessivo pode agravar inflamações pelo corpo e contribuir para outras doenças graves.

Industrializados

Entre os alimentos inflamatórios mais perigosos está o biscoito recheado

Os biscoitos, doces e bolos possuem açúcar e sódio em excesso (Foto: depositphotos)

Alimentos industrializados em geral, como biscoitos, doces, sorvete e bolos são ricos em ingredientes que geram inflamações. Eles são ricos em açúcar, gorduras trans e sódio, um trio perigoso.

Veja também: Os malefícios de comer biscoito recheado. Coma com moderação

Como a alimentação influencia?

Já diz um famoso ditado judaico que “a sabedoria para o espírito é como a comida para o corpo”. Logo, nada mais inteligente do que ingerir os ingredientes certos para manter o corpo mais saudável.

Portanto, procure ingerir alimentos anti-inflamatórios. Na maioria dos casos, eles são ricos em substâncias antioxidantes que funcionam como operários do nosso organismo que destroem os radicais livres. Esses últimos são os grandes vilões das inflamações.

Consuma mais vitaminas, fibras, minerais e muita água. No dia a dia, o médico Pimentel sugere incluir a dieta mediterrânea, cujas frutas, hortaliças, cereais, leguminosas, oleaginosas, peixes, leite e seus derivados, vinho, azeite de oliva e ervas fazem parte do cardápio.

Como evitar a inflamação?

Algumas doenças podem ser evitadas. Por mais radical que essa afirmação possa parecer, ela é verdadeira. Para o doutor Pimentel é fundamental ter hábitos de vida que incluam atividades físicas, boas noites de sono e rotina sem estresse.

Veja também: Cure a inflamação da garganta com gargarejos!

Diante disso, os resultados podem ser vistos na redução do sintomas de doenças autoimunes, que são justamente aquelas que apresentam inflamações recorrentes; e em outras situações, como você abaixo:

Menos peso

Evitar gordura, açúcar e alimentos industrializados já é um grande caminho contra a obesidade e processos inflamatórios. Atrelado a isso, você abstém-se de doenças gravíssimas como as cardíacas, diabetes, pressão alta e até alguns tipos de câncer.

Sem dor

As pessoas que sofrem com osteoartrite, artrite reumatoide, artrite psoriática e artrose sofrem bastante com dores e inflamações. Além disso, os pacientes apresentam dificuldades de movimento, vermelhidão, inchaço e descamação.

Mais imunidade

Os radicais livres, que desencadeiam os processos inflamatórios, dificultam bastante a vida de quem já sofre com doenças autoimunes, como diabetes tipo 1, lúpus, tireoidite, vitiligo e artrite reumatoide. Ao consumir menos alimentos inflamatórios, você estará contribuindo para a menor incidência de complicações como essas.

Melhoria da energia

Comer os alimentos certos, melhora a energia no dia a dia. Quando você consome muito açúcar, gordura e sódio acaba direcionando os esforços do seu organismo para combater as inflamações, isso detona a sua vitalidade e as consequências são sonolência, cansaço, fraqueza muscular e indisposição.

Veja também: Descubra o conceito de medicina pró-longevidade e o que essa especialidade trata

Por fim, o doutor Juliano Pimentel aconselha: “em muitos casos, nossos comportamentos alimentares causam inflamação ou as tornam piores. Em vez disso, escolha um estilo de vida anti-inflamatória para melhorar a saúde e o bem-estar. A decisão é sua em mudar de vida e isso vai refletir na sua saúde. Escolha ser mais feliz e deixar de sofrer com a inflamação”.