Para que serve a água inglesa e como tomar

A Água Inglesa é um produto natural, composto por ervas de propriedades e eficácia reconhecidas e, portanto, pertencente a classe dos fitoterápicos. O medicamento é indicado para aliviar problemas digestivos e estimular o apetite.

Apesar disso, muito de sua fama se deve às grávidas, afinal, o produto é popular entre mulheres que estão tentando engravidar. Quer saber mais sobre este antigo composto e suas aplicações? Continue a leitura.

Para que serve a Água Inglesa?

Segundo a mestre em enfermagem, Mariana Castro, “a Água Inglesa age sobre a mucosa do aparelho digestivo, estimulando a produção de suco gástrico. É utilizada para auxiliar no processo de digestão, estimular o apetite, expulsar toxinas intestinais e ajudar a eliminar excessos de hormônios sintéticos do organismo, sendo essa última indicação utilizada popularmente por mulheres que querem engravidar”.

Ajuda a engravidar?

Um dos principais motivos do prestígio da Água Inglesa é seu uso entre mulheres que desejam engravidar. De fato, ela possui efeito depurativo e ajuda a limpar o organismo, inclusive, essa é a razão para que alguns especialista a indiquem para realizar a limpeza do útero no período pós-parto.

Desse modo, o produto acaba sendo usado com a finalidade de purificar esse órgão, auxiliando na eliminação das toxinas e tornando o “ambiente” propício para a fertilização. O professor e farmacêutico, Luís Marques, membro da Associação Paulista de Fitoterapia, destacou que, para esse fim, a indicação é iniciar o tratamento dois ou três meses antes do período planejado para engravidar e suspender o uso durante a gestação.

No entanto, a especialista em Enfermagem Obstétrica, Marisa Alves, ressaltou que, apesar de já difundido na população, “esse método não apresenta comprovação científica, não demonstrando relação com a fertilidade”, pontou.

Água Inglesa engorda ou emagrece?

A Água Inglesa é cercada de mitos e verdades. Alguns deles dizem respeito ao seu poder emagrecedor. As informações, no entanto, são conflitantes e, mais uma vez, carecem de respaldo científico.

Enquanto alguns ingredientes da fórmula, como a canela e a carqueja, auxiliam a aceleração do metabolismo e a eliminação da retenção hídrica, sabe-se também que a carqueja e outros dois componentes do líquido favorecem o aumento do apetite, o que pode engordar. Apesar disso, seu uso não é indicado sob a perspectiva do ganho ou perda de peso.

Como utilizar a Água Inglesa?

A dose recomendada pela bula é de 30 ml, 3 vezes ao dia antes de iniciar cada refeição. A ingestão da Água Inglesa pode causar alteração hormonal, possuir efeitos colaterais e contraindicações, logo, seu uso deve ser indicado e acompanhado por um médico.

Contraindicações

Mariana Castro acrescenta que a Água Inglesa também apresenta algumas contraindicações para quem apresenta hiperacidez estomacal, epilepsia, gastrites, úlceras gastroduodenais, gravidez, arritmia cardíaca e síndrome do intestino irritável.

Além disso, a profissional explica que devido a essa ação de “limpeza hormonal”, o uso na gravidez e lactação está contraindicado, pois não se sabe se esse efeito pode interferir no curso normal dessas condições.

É abortiva?

A Água Inglesa possui em sua composição ingredientes que estimulam a contração uterina, sendo uma de suas vantagens o efeito emenagogo, pois consegue fazer a “menstruação descer”. Contudo, não há estudos que comprovem se ela é abortiva ou não. 

Ainda assim, as grávidas devem passar longe dessa substância, visto que seu principal componente, a quina amarela, pode causar má formação fetal. A carqueja e a canela, também presentes na solução, podem causar prejuízos ao feto.

Crianças podem tomar?

A Água Inglesa é uma alternativa natural para abrir o apetite dos pequenos que apresentam dificuldades para se alimentar de forma adequada. O uso é liberado para crianças maiores de 12 anos. Para as crianças menores, só sob aval e supervisão médica.

O que é a Água Inglesa?

Segundo a enfermeira Sônia Mariza Luiz, “a Água Inglesa é um tônico fitoterápico composto por extratos de plantas medicinais (quina amarela, calumba, cetaúrea, carqueja, losna, camomila e canela da china) e, por isso, possui efeitos benéficos para o organismo”.

Há décadas é indicada para o tratamento de problemas gástricos, como azia e má digestão, bem como para aumentar o apetite. Sua eficácia pode ser justificada através da análise de cada um de seus compostos:

  • Quina amarela: indicado para aliviar azia, flatulência, diarreia e dores. É utilizada para controle do índice glicêmico no sangue e como estimulante de apetite.
  • Calumba: planta poderosa no tratamento de anemia, dores e desconfortos estomacais, cólicas, falta de apetite e vermes intestinais.
  • Cetaúrea: ajuda a aliviar os sintomas da febre, prisão de ventre, estimula o apetite e melhora a digestão através do estímulo da produção de suco gástrico.
  • Carqueja: auxilia no tratamento de infecções e inflamações das vias respiratórias, problemas circulatórios e hepáticos, desconfortos gastrointestinais e anemia.
  • Losna: eficaz contra vermes intestinais. Combate problemas gastrointestinais e má digestão, auxilia na desintoxicação do fígado e estimula a contração uterina.
  • Camomila: além de suas conhecidas propriedades calmantes, a camomila ajuda a reduzir dores e desconfortos menstruais.
  • Canela da China: poderoso termogênico, diurético e estimula a circulação sanguínea. Promove contrações uterinas, por isso deve ser evitado por grávidas.
*Artigo feito com a colaboração da Enfermeira, Mestre em Biotecnologia e Inovação em Saúde e coordenadora do curso de graduação em enfermagem da Anhanguera – Marte, Sônia Mariza Luiz de Oliveira (Registro: 351092); da Enfermeira, Mestre em enfermagem, Especialista em Neonatologia e Acupuntura e docente do curso de graduação em enfermagem da Anhanguera – Marte, Mariana Castro de Souza (Registro: 163093) e da Enfermeira, Mestre em Patologia Ambiental e Experimental, Especialista em Enfermagem Obstétrica e Ginecológica, Especialista em Enfermagem em Saúde Materna e Fetal e Docente do curso de graduação em enfermagem da Anhanguera – Marte, Marisa Alves de Oliveira (Registro: 3147420).

ATENÇÃO: Nosso conteúdo é apenas de caráter informativo. Todo procedimento deve ser acompanhado por um médico ou até mesmo ditado por este profissional.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista, especialista em Comunicação Digital e Mestre em Serviço Social. Atua como redatora e revisora freelancer. Atualmente vive como nômade digital pela Europa. Cearense de coração paraibano levando o corpo pelo mundo afora!