Agave – Benefícios e propriedades desta planta

O agave é uma planta nativa de áreas como o México e pode substituir o açúcar

Você já ouviu falar em agave, assim como os benefícios e propriedades da planta? Caso já tenha procurado um médico em busca do controle do açúcar, certamente ela não é desconhecida. Mas para quem não sabe nada sobre o agave, a partir da leitura desse artigo, tudo ficará mais claro!

O agave é uma planta nativa de áreas como o México, a América do Sul e o sudoeste dos Estados Unidos. Agave é, na verdade, o nome de um gênero que contempla quase 30 espécies de plantas diferentes.

Uma de suas características mais impressionantes é a versatilidade: quase todas as suas partes podem ser utilizadas de alguma forma. O xarope da planta tem a mesma quantidade de calorias que o açúcar comum, mas adoça quase duas vezes mais e atua na prevenção de diversas doenças.

Quais são as características do agave?

O agave é uma planta ornamental que apresenta folhas grandes e acinzentadas, com espinhos pontiagudos nas pontas. Ela é muito utilizada em parques e jardins públicos. Quando chega a certa idade produz uma flor que chama bastante atenção.

A planta é resistente ao sol. Para o seu desenvolvimento, ela não exige água com frequência, o que a torna bem resistente.

Planta agave

A planta agave ficou conhecida graças a sua capacidade de substituir o açúcar como adoçante natural (Foto: depositphotos)

O agave também é considerado uma planta medicinal. Ela possui minerais como ferro, zinco, cálcio, potássio e magnésio e pode atuar na prevenção de diversas doenças. Apesar disso, o que a tornou popular foi seu papel na produção da tequila.

Outro ponto que a tornou conhecida foi a capacidade de substituir o açúcar como adoçante natural. Seu néctar tem aparência parecida com a do mel e é mais doce que o açúcar, mas se torna uma opção saudável por possuir menor índice glicêmico.

A característica permite que ele demore mais tempo para liberar glicose no sangue, o que evita os picos de produção de insulina e prolonga a sensação de saciedade.

Benefícios e propriedades do agave

O agave tem diversos nutrientes capazes de trazer benefícios para o organismo. Por ser rico em saponinas e possuir diversas fibras, ele ajuda a combater o colesterol alto e reduz a absorção de gorduras no corpo, além de promover melhoras no trato digestivo.

Outra vantagem é a sua concentração de frutose, o principal açúcar natural presente nas frutas. A substância é menos prejudicial para a saúde do que a sacarose, que é o popular açúcar branco refinado, o que o torna um aliado na missão da perda de peso.

A carga glicêmica do agave consegue ser inferior até à do mel. Enquanto a planta possui entre 75% e 90% de frutose, o mel possui uma proporção de 50% de glicose e 50% de frutose. Por adoçar bem mais, ela pode ser consumida em menor quantidade.

Suas propriedades antissépticas e anti-inflamatórias também podem ajudar no tratamento de machucados e lesões e seus fitoquímicos possibilitam o combate de certos tipos de bactérias nas feridas, impedindo que elas entrem no corpo e causem infecções.

A planta apresenta uma função laxante, mostrando-se bastante eficiente em prisões de ventre e outros problemas intestinais e distúrbios digestivos, e pode ser utilizada até como antisséptico bucal.

Além disso, ela pode ser útil na prevenção de doenças como osteoporose e diabetes, no tratamento de úlceras no estômago, no combate à artrite e na hidratação da pele e é considerada um ótimo suplemento de ferro, potássio, cálcio e magnésio.

Onde comprar o agave

O agave pode ser encontrado em lojas especializadas em alimentos naturais. Nesses estabelecimentos, o quilo da calda pode ser comercializado por um valor médio de R$ 90. Além disso, é possível comprar o adoçante em pó, com um custo que chega a R$ 280 o quilo.

Para os adeptos da jardinagem, outra opção é comprar a muda da planta, já que ela é fácil de ser cultivada. O valor varia entre R$ 20 e R$ 60, dependendo da espécie.

Como consumir o agave

Como foi mencionado, o agave é uma planta bastante versátil e inteiramente comestível. As folhas, o caule, as flores e o néctar podem ser consumidos na forma de xarope, de chá ou de suco.

Uma preocupação frequente para quem está em dietas nutricionais é a substituição do açúcar. E o agave faz esse papel muito bem. Porém, o médico precisa ser consultado para que a substituição ocorra com responsabilidade.

Como o ingrediente está relacionado a várias doenças (como diabetes, obesidade e inflamações) e possui muitas calorias, sua eliminação pode ser um ponto chave na missão de perder peso ou de adotar hábitos mais saudáveis de alimentação.

Além de substituir o açúcar refinado para adoçar bebidas, ela pode ser utilizada em receitas de bolos, panquecas e outros doces e pode acompanhar frutas e cereais.

Conheça a utilização de cada um das suas partes.

Néctar

Sem dúvidas, o néctar é a parte mais popular da agave. Proveniente de folhas maduras, com cerca de 15 anos de idade, o suco é extraído e depois filtrado e aquecido para quebrar os carboidratos complexos.

O resultado é um líquido doce e ligeiramente viscoso. Como ele é bem doce, a sugestão é que, na hora das receitas, seja utilizado um terço a menos do néctar do que seria usado com o açúcar.

Flores

As flores de agave são consideradas muito aromáticas. Para consumi-las, é necessário cozinhá-las na água ou no vapor. Depois disso, elas podem ser grelhadas, fritas ou adicionadas a outros pratos, como ovos mexidos. A recomendação é que as pontas de pólen sejam removidas antes do preparo para evitar o sabor amargo.

Folhas

Geralmente colhidas no inverno ou na primavera, as folhas de agave podem ser assadas ou torradas. No segundo caso, elas assumem um forte sabor de caramelo, mas, por serem altamente fibrosas, não podem ser engolidas. Assim como acontece com a cana de açúcar, devem ser apenas mastigadas e descartadas.

Talos e coração

Para extrair o “coração” do agave, é necessário cortá-la na base e remover os caules e folhas. Essa parte parece com um enorme abacaxi verde e pode ser assada.

As principais variações do agave

Como foi citado anteriormente, existem quase 30 espécies do agave. Dentre elas, duas se destacam com ênfase devido a sua utilização. São elas, o agave tequilana e o agave americano. Veja mais sobre cada uma delas!

Agave tequilana

O agave tequilana serve como base para a produção da tequila (Foto: depositphotos)

Agave tequilana

O agave tequilana, também conhecida como agave-azul, é nativo do estado mexicano de Jalico. A parte que serve como base para a produção da tequila é retirada do centro da planta, quando ela atinge doze anos de idade.

Após a extração, ela é aquecida para a separação da seiva, que é fermentada e destilada. O líquido produzido também serve como base para a produção de outras bebidas típicas do México, como mezcal e pulque.

Além disso, pesquisas recentes apontam que os compostos desta parte da planta podem ser úteis no transporte de medicamentos para o intestino, auxiliando no tratamento de patologias como a doença de Crohn e a colite.

Agave americana

Conhecida como pita ou piteira, a agave americana era comum no litoral brasileiro, mas tem se tornado escassa. Seu crescimento é bastante peculiar: a haste floral, que costuma atingir 6m de altura, só começa a florescer após um período de 4 a 8 anos de vida da planta.

Como as outras plantas do gênero, ela é bastante versátil: Da parte floral, extrai-se a medula, que é rica em fibras e sílicas e pode ser utilizada para afiar equipamentos de corte. Das folhas, é possível extrair uma fibra utilizada para tecer cestos e peças de vestimenta. Além disso, a seiva é utilizada para preparar bebidas fermentadas e para gerar açúcar.

Em diversas regiões das América Latina, suas folhas são utilizadas para tratamentos homeopáticos de doenças estomacais, gonorreia, hidrofobia e escorbuto, varizes, hemorroidas e úlceras.

Por possuir diversas propriedades curativas, ela é considerada antiescorbútica, antissifilítica, antisséptica, depurativa do sangue, digestiva, diurética, estomáquica, expectorante, hemostática, hepática, laxante e vulnerária.

No Brasil, seu uso é destinado para combater anemia, catarro, feridas, problemas no fígado, hemorragia, icterícia, inchaços das pernas, inflamação no intestino, irritações na pele, lepra, queda de cabelo, problemas nos rins, seborreia, sífilis e tosses.

Contraindicações do agave

Apesar de possuir poucas calorias e inúmeros nutrientes, o agave não é indicado para todos os públicos. Mesmo sendo mais saudável do que o açúcar comum, também deve ser evitado por diabéticos que apresentam altos índices de glicose.

Além disso, o suco e o xarope da planta também não são recomendados durante os períodos de gravidez e amamentação. De acordo com algumas pesquisas, o consumo dessas receitas pode estimular o útero e causar contrações.

A planta agave também pode causar alergias quando aplicada na pele, especialmente se as folhas estiverem secas. Os efeitos colaterais podem incluir inchaço, vermelhidão e ferida na pele.

Como não há pesquisas suficientes sobre a segurança do agave, também é recomendado que pessoas que possuem condições médicas especiais consultem médicos e nutricionistas antes de adicionarem o alimento à rotina alimentar.

Em todos os casos, é importante tomar cuidado com doses exageradas ou muito concentradas de consumo. Quando ingerida em excesso, a agave pode provocar distúrbios digestivos.

O agave e seus benefícios

Ao chegar ao fim desse artigo, agora sim, você pode dizer que conhece muito sobre o agave. Você também teve oportunidade de saber como ele pode ser utilizado, como cultivá-lo e até onde encontrar disponível para a venda.

Já em relação a sua utilização no dia-a-dia, o recomendado é que um médico faça o acompanhamento. Pois, mesmo sendo tão benéfico, ele pode trazer algumas consequências para a saúde quando utilizado de forma incorreta.

Sobre o autor

Avatar
Formado em Jornalismo pela UniFavip | Wyden. Já trabalhou como repórter e editor de conteúdo em um site de notícias de Caruaru e em três revistas da região. No Jornal Extra de Pernambuco e Vanguarda de Caruaru exerceu a função de repórter nas editorias de Economia, Cidades, Cultura, Regional e Política. Hoje é assessor de imprensa do Shopping Difusora de Caruaru-PE, Seja Digital (entidade responsável pelo desligamento do sinal analógico no Brasil), editor da revista Total (com circulação em Pernambuco) e redator web do Remédio Caseiro.