Trate a disfunção erétil, com três chás para o tratamento

Por Daiane Silva

Impotência sexual

Impotência sexual | Imagem: Reprodução

Esse é um dos “fantasmas” que perseguem os homens, até porque, uma das características masculinas é a necessidade de auto-afirmação quanto à sua sexualidade. Então, quando surge uma situação que foge ao seu controle, pode parecer o “fim do mundo” para alguns!

O QUE PODE CAUSAR A DISFUNÇÃO ERÉTIL?

Esta situação pode ter diversas causas, desde orgânicas às psíquicas. Muitas vezes não é recorrente, pode ocorrer em uma fase específica, mas assusta bastante a quem sofre dela. Outra questão que vem sendo estudada é a ligação da disfunção erétil ao sobrepeso, ou, em especial, o acúmulo de gordura na região da cintura. Um dos estudos mostra que isso afeta a capacidade do corpo enviar sangue ao pênis e também de produzir testosterona, o hormônio que dispara os gatilhos eróticos, como cheiro, tato, visão, som ou memória, os quais fazem com que o pênis entumesça para a atividade sexual.

Quando há alguma falha na reação em cadeia que faz com que os estímulos sejam identificados pelo cérebro, que “desperta” e ativa o órgão sexual, isto acaba não acontecendo, e eis que o homem tem um problema!

  • TESTE PARA OS HOMENS: Fique de pé, bem ereto (o corpo!) e olhe para sua barriga, se não conseguir enxergar seu pênis, a disfunção erétil tem grande chance de ocorrer.
  • CAUSAS ORGÂNICAS: embora essa seja uma causa importantíssima a ser avaliada, não é a mais comum, normalmente as causas psicológicas são as mais corriqueiras. A consulta a um urologista, especialmente em casos recorrentes, sem causa psiquica aparente, é aconselhável para investigar as causas da disfunção.
  • CAUSAS PSÍQUICAS: essas são as mais comuns, podem ser apenas ocasionais, como o estresse, preocupações,etc. ou do tipo profunda e permanente, exigindo terapia e tratamentos de acordo.
  • Fatores que podem predispor o indivíduo: ter vivido uma experiência sexual traumática anteriormente (tanto abuso sexual quanto humilhação por parceira, por exemplo); educação rígida ou educação sexual limitada, o que pode acarretar culpas e repressão sexual; problemas, preocupações com trabalho,etc.; tipo de personalidade que pode ser mais propensa ao problema.
  • Fatores que podem precipitar a situação: o aumento da idade exige maior tempo de preparação para a ereção, maiores estímulos, se a parceira não souber reconhecer essa necessidade e se mostrar ansiosa ou impaciente, a disfunção é precipitada; a infidelidade também é um possível precipitador de disfunção  erétil; quando há expectativas de um ou de ambos os parceiros em relação à performance e essa é frustrada, a disfunção acontece; a depressão e a ansiedade são grandes precipitadores, além de alguns medicamentos usados para tratamento de depressão; quando o homem fica viúvo, se divorcia ou separa, pode acontecer de ficar impotente por um tempo.
  • Fatores que mantém a dsifunção: a ansiedade com relação à performance após um episódio de disfunção, acarreta a formação de um “círculo vicioso”, fazendo com que ela volte a ocorrer, esta pode ser a principal causa psicogênica da situação; quando a atração sexual pelo parceiro diminui; quando o casal não conversa a respeito dos problemas sexuais, o problema pode crescer e se exacerbar; quando o homem tem medo da intimidade; os mitos sexuais, criados pela educação sexual escassa, podem se fixar e agravar a disfunção; quando acontece a disfunção num relacionamento sexual “morno”, ou pobre, ela pode ser de difícil solução.

Apesar dos diversos medicamentos e meios para se garantir uma ereção disponíveis na área farmacêutica, o ideal é que nenhum seja usado sem um parecer médico sobre o problema, já que, de nada adianta solucionar artificialmente um problema que pode ter causas que necessitem de tratamentos específicos. Aliás, esse é um grande entrave na solução do problema, já que os homens raramente buscam ajuda profissional para se tratar, tudo por causa da vergonha, do receio de “parecerem” menos másculos, preferem ficar frustrados e sem solução à admitir a disfunção.

Estes, especialmente, em vez de partirem para as famosas pílulas azuis sem consultar um médico, podem se valer de tratamentos caseiros e sem contraindicações, que ajudarão a recobrar a confiança no desempenho de seu “melhor amigo”!

Veja receitas poderosas para tratar o problema

Remédio natural

Remédio natural | Imagem: Reprodução

  • Junte em uma vasilha: 100 gramas de cada um dos chás: chapéu de couro, catuaba e alecrim e misture muito bem. Ferva um litro de água e coloque 20 gramas (cerca de duas colheres de sopa) dessa mistura de chás, desligue o fogo e abafe, deixando repousar por 15 minutos. Beba essa infusão ao longo do dia. Faça isso todos os dias, por sete dias e não modifique as quantidades de chá e água.
  • Misture: uma xícara e meia de mel, uma colher de guaraná em pó, uma colher de folhas de hortelã e uma colher de ginseng em pó. Tome uma colher de sopa todas as manhãs. Não deve ser usado por gestantes, lactantes, hipertensos ou diabéticos. É um poderoso estimulante que facilita a circulação sanguínea e melhora o desempenho;
  • Ferva 750 ml de água e acrescente 40g da raiz de catuaba, deixando ferver por 10 minutos. Coar e tomar 3 xícaras ao dia. Dizem que a catuaba é tão eficaz, que seus efeitos já são sentidos logo após os primeiros trinta minutos!