Tratando naturalmente o colesterol com óleo de alho

Conheça o promissor óleo de alho que é rico em vitaminas e propriedades que atuam no controle dos níveis de colesterol aumentando o HDL e baixando o LDL


O alho é um dos alimentos mais ricos em propriedades benéficas ao organismo que consumimos em constância nos nossos pratos. O seu óleo, que pode ser encontrado também em cápsulas, é rico em vitaminas do complexo A, B e C, além de ter enzimas e sais minerais essenciais para nossa saúde. Saiba, a seguir, os benefícios desse óleo para o colesterol.

Benefícios do óleo de alho para o colesterol

Podendo ser consumido em cápsulas ou cru, o óleo de alho deve ser usado em até 500mg por dia. Esse suplemento nutricional ajuda a regular os níveis do colesterol, aumentando o HDL (colesterol bom) e reduzindo o LDL (colesterol ruim). Na Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, estudiosos afirmam que o óleo de alho ajuda, também, na viscosidade das plaquetas do sangue, o que permite que esse flua com maior facilidade. Os profissionais ainda disseram que o colesterol ruim pode ser tratado misturando o óleo de alho com o óleo de peixe, tornando o efeito mais potente através da associação.

Imagem de vidro com óleo ao lado de cabeças de alho

Foto: Depositphotos


Demais usos do óleo de alho

A fabricação do óleo de alho é feita de duas maneiras: o método de marinagem (que amassa o alho e mistura em óleo vegetal por 24 horas); e o método de destilação a vapor, que retira o óleo natural do alho. Cada método tem suas vantagens, porém ambos ajudam no colesterol, aumentam a imunidade e oferecem proteção ao organismo sobre doenças cardiovasculares – reduzindo chances de derrames e ataques cardíacos. As cápsulas, por sua vez, além de não deixarem o “bafo de alho”, atuam na indigestão e possuem DADs e DATs, que são sulfetos antioxidantes que contêm antibióticos. Já o método da marinação é mais rico em antibióticos e possui melhor capacidade de inibir a formação de coágulos no sangue devido ao composto chamado ajoene.

Consuma com cautela

Embora seja repleto de benefícios, o óleo de alho não deve ser consumido em demasia e, para certos casos, é bom ter acompanhamento médico. Pessoas que tomam diluentes de sangue ou que vão fazer cirurgia não podem fazer uso desse óleo, pois ele já afina o sangue naturalmente e pode causar hemorragia. Esse óleo também pode ter interações medicamentosas indesejadas com pílulas anticoncepcionais, anti-inflamatórios não esteroides e remédios usados no tratamento da AIDS.

Efeitos colaterais incluem dores de cabeça, inchaço, problemas digestivos, falta de apetite e alergia em casos raros.


Reportar erro