Tratamento para o excesso de ácido úrico no sangue

Por Daiane Silva

A hiperuricemia, ou excesso de ácido úrico no sangue é causada por algumas disfunções orgânicas, que ocasionam sua retenção no sangue e tecidos.

A presença do ácido úrico no sangue é normal, ele é gerado através da quebra de moléculas de proteínas dos alimentos ingeridos. Parte dele é excretada pelos rins e intestinos, a não ser quando a pessoa tem dificuldade em eliminá-lo ou o produz em excesso, aí podem ocorrer consequências, como a gota e até cálculos renais.

Quais as causas do aumento de ácido úrico no sangue?

Existem alguns defeitos genéticos que podem prejudicar a ação de uma enzima necessária para a excreção do ácido úrico, por isso, os níveis desse ácido aumentam. Mas não apenas isso, alguns outros fatores podem também contribuir para esse aumento:

  • algumas doenças renais;
  • leucemia;
  • anemia hemolítica;
  • consumo de álcool, principalmente a cerveja;
  • dietas rígidas demais ou jejuns prolongados;
  • ingestão excessiva de alimentos ácidos;
  • uso de diuréticos e anti-inflamatórios;
  • dietas ricas em alimentos ricos em purinas (substâncias que fazem parte das proteínas).

O excesso de ácido úrico no sangue pode ter como sintomas reações características na pele, como coceiras, descamações, bolha, vermelhidão e até feridas. As micoses, assim como as frieiras, podem se complicar com o aumento dos níveis desse ácido.

Quais as consequência?

Gota - uma das consequências do ácido úrico em excesso

Imagem: Reprodução

Uma das principais consequências é o surgimento da gota, uma doença hereditária, onde o ácido úrico se deposita nos tecidos das articulações e pode até mesmo destruí-los. Isso não significa que todas as pessoas que tem excesso de ácido úrico terão esse problema, que atinge mais os homens do que as mulheres, mas, se houver a predisposição genética, um dos sintomas iniciais da gota são as dores nas articulações, por isso, é bom ficar atento! Essa dor, que surge principalmente no dedão do pé, pode se estender aos joelhos, cotovelos, mãos e ombros.

O ácido úrico também pode se acumular em cristais nos rins e esses cristais formam os terríveis cálculos renais, ou pedras. Além disso, estudos mostraram que o ácido é capaz de aumentar em 3,5 vezes os riscos de um adulto ter calcificações nas artérias do coração, um potencial 10 a 12 vezes maior de acontecer um infarto e morte súbita.

Como é o tratamento?

Embora não exista cura para esse problema, apesar de alguns medicamentos para serem usados fora das crises em casos mais graves, pode-se controlar os níveis, especialmente com cuidados para evitar os fatores agravantes ou desencadeantes do quadro de hiperuricemia. Além disso, em casos graves, há medicamentos específicos, que são usados fora dos períodos de crises.

Quem já sofre de gota deve evitar o consumo das bebidas alcoólicas, em especial a cerveja, que contém maior quantidade de purina do que as outras. As bebidas colaboram para a formação de cristais de ácido úrico, que entram nas articulações.

Alimentos podem e quais não devem ser consumidos

ALIMENTOS A SEREM EVITADOS:

  • Peixes e frutos do mar, como: sardinha, ovas de peixe, camarão, salmão, bacalhau, ostra, truta, marisco.
  • Aves, como: peru e ganso.
  • Carnes: miúdos (fígado, coração, rim, língua,vitela, bacon, cabrito, carneiro)
  • Bebidas alcoólicas.

A ingestão de gorduras deve ser evitada também, mas cuidado com as carnes magras, já que são as maiores fontes de purinas e ácido úrico!

Alguns grãos secos, como o feijão, ervilha, lentilhas e grão-de-bico, devem ser esquecidos por alguns dias e depois voltar à dieta gradativamente. Também inicialmente, devem ser evitados os aspargos, espinafre, champignon e couve-flor, fermento biológico e a levedura de cerveja, o pão consumido não deve ser fresco, nem quente, de preferência deve ser “dormido” e até torrado.

Após a dieta ser regulada por alguns dias, ainda há alguns remédios naturais que se pode fazer uso:

  • Faça um suco com pepino, cenoura e beterraba e tome, preferencialmente, em jejum.
  • Amasse dois dentes de alho e deixe-os repousando em um copo de água por seis horas. Coe e tome três vezes ao dia ou tome duas cápsulas de alho, duas vezes ao dia.
  • Substitua um desjejum por semana pela ingestão de melancia, durante algumas semanas. A água contida na melancia ajuda a excretar o ácido úrico e limpa os filtros renais.
  • Prepare uma infusão com 3 colheres de sopa de chapéu-de-couro e malva misturados em 1 litro de água fervente. Este chá deve ser bebido de duas a três xícaras ao dia, durante a primeira semana.
  • Prepare, na segunda semana, uma infusão com os chás de hortelã e bardana misturados, usando 3 colheres de sopa para 1 litro de água. Beba de duas a três xícaras ao dia.
  • Durante a terceira semana, o chá a ser preparado é uma mistura de salsaparrilha e dente-de-leão.  Nas mesmas quantidades dos anteriores.
  • Na quarta semana, deve-se tornar a fazer a infusão da primeira semana. Deve-se alternar sucessivamente por dois meses.