Será que os tomates podem causar pedras nos rins?

Algumas pessoas costumam associar o consumo de tomates à formação de pedras nos rins. Mas será que isso é verdade ou apenas mito? Confira


As pedras nos rins, ou cálculos renais são resultados da formação de cristais endurecidos nos rins ou nas vias urinárias. Geralmente, ocorrem por conta de distúrbios metabólicos, urina supersaturada em sais, obstrução das vias urinárias, alterações anatômicas ou grande quantidade de cálcio, fosfatos, oxalatos, cistina ou a falta de citrato. É muito comum os tomates serem associados por muitas pessoas a essa doença. Tudo isso porque possuem oxalato, uma substância que transforma o cálcio em pequenos cristais. Mas vale o aviso: os níveis desse ativo nos tomates não são tão elevados ao ponto de causar os cálculos renais.

Segundo a Consultora Sênior e Urologista do Hospital BLK Super Specialty, Dra. Aditya Pradhan, toda essa história de que tomate pode causar pedras nos rins não passa de um mito. Essa doença, costumeiramente, ocorre quando você come muitos alimentos ricos em oxalato, e esses frutos possuem um baixo nível dessa substância. Portanto, a menos que você coma quilos desse alimento todos os dias, não existe perigo de desenvolver pedras nos rins. Por isso, estabelecer uma relação entre os tomates e esse problema é um caminho muito longo.

Será que os tomates podem causar pedras nos rins?

Foto: Pixabay


Outros alimentos que não causam pedras nos rins

Alimentos como o leite ou a berinjela, geralmente, também são associados a essa doença, pois são ricos em cálcio. Mas dificilmente eles por si só podem causar pedras nos rins. Ao contrário, segundo a Dra. Pradhan, a falta de cálcio, em alguns casos, pode levar a ter a formação das pedras. Sendo assim, evitar consumir leite por conta disso não é uma boa ideia.

Quais alimentos devo evitar?

Por outro lado, alguns alimentos podem facilitar o processo de formação dos cálculos renais quando consumidos em grandes quantidades. De acordo com Pradhan, são eles:

  • Comidas que contém altos níveis de oxalato, como o café, chá, bebidas gaseificadas, espinafre, nozes e beterraba;
  • Alimentos com alto teor de sódio, como pickles, frutos do mar marinados ou até mesmo o próprio sal;
  • Carne vermelha, uma vez que possui uma grande quantidade de ácido úrico;
  • Ingestão diária de líquidos inferior a um litro e meio ou dois litros, pois pode deixar a urina “condensada”.

Reportar erro