Saiba como controlar a oleosidade excessiva da pele

Embora o óleo e a gordura sejam protetores importantes, pacientes com pele oleosa sofrem com poros dilatados, brilho em excesso e tendência à acne


As pessoas com pele oleosa sabem muito bem que as principais características são os poros dilatados, o brilho em excesso, o aspecto congestionado e a tendência à acne.

Embora o óleo e a gordura sejam protetores importantes que ajudam a prevenir rugas, pacientes com pele oleosa sofrem muito com os sintomas listados acima e, muitas vezes, não tratam o problema da maneira correta.

Embora seja uma pele que dificilmente apresenta rugas de maneira precoce, segundo a farmacêutica Silvana Masiero, devido as características, os paciente tem a vontade de lavar o rosto o tempo todo. Mas, essa não é a saída mais indicada. “É possível controlar a oleosidade e o brilho do rosto de maneira simples, com uso de ingredientes dermocosméticos adequados”, explica.

Saiba como controlar a oleosidade excessiva da pele

Foto: depositphotos

Em casos mais grave, a oleosidade é tanta que atingem até outras partes, como o couro cabeludo. “As glândulas produzem gordura (de má qualidade) com muita facilidade, principalmente quando o paciente está vivenciando uma situação de maior estresse, mudança brusca de temperatura, ou quando a alimentação está extremamente inadequada”, explica a também dermatologista, Claudia Marçal.

Como controlar a oleosidade

Para diminuir os sintomas causados pela produção excessiva de óleo pelas glândulas, as duas especialistas ensinam cinco técnicas simples, que podem ser reproduzidas em casa. Preste atenção as orientações:


1- Lavar

O primeiro passo para lidar com o problema é usar um sabonete que ajude no controle da oleosidade e que tenha ingredientes à base de extratos como hamamélis e calêndula, por exemplo. “Eles promovem adstringência e limpeza mais profunda para remoção do sebo produzido excessivamente pelas glândulas sebáceas”, orienta Silvana Masiero.

2- Esfoliar

Depois de ser limpa superficialmente, a pele deve ser submetida a uma limpeza mais profunda. Para isso, esfoliações periódicas são mais que indicadas. Elas devem ser feitas de duas a três vezes por semana, com a utilização de ativos naturais, como a casca do arroz, por exemplo.

Segundo a dermatologista Claudia Marçal, isso vai promover renovação epitelial e retirada das rolhas de queratina (proteína morta) e sebo presentes no orifício dos poros. “O ideal é usar logo após o sabonete, aplicar na pele molhada, massagear com movimentos circulares e deixar ficar por dois a três minutos e enxaguar”, completa.

3- Tonificar

Feito isso, o próximo passo é tonificar a pele. Para isso, a loção tônica adstringente é a indicação mais acertada. O produto deve conter ação seborreguladora, agindo na enzima 5-alfa redutase, que estimula a hiperprodução de oleosidade. “Ela pode conter álcool, mas em pouca concentração, para não deixar a pele seca demais ao retirar toda a gordura”, completa a dermatologista.

4- Hidratar

Se engana quem pensa que a pele oleosa não precisa ser hidratada. O segredo dessa hidratação é escolher produtos que não pesem e sejam de absorção instantânea. “Esse sérum pode ser em veículo aquoso ou à base de ácido hialurônico, e deve ser aplicado no rosto e pescoço, para promover hidratação e revitalização. Isso ajuda a manter a molécula de água na pele, evitando a produção de gordura”, destaca a farmacêutica.

5- Proteger

Por fim, utilizar fotoproteção associada pela manhã em texturas matificantes, secas ou fluidas ou oil free com fator de proteção solar sempre acima de 30. “Sempre reaplicar o produto após duas horas em exposição direta ao sol e após quatro horas em ambientes fechados”, orienta a dermatologista. No caso de peles com acne, é fundamental procurar um dermatologista para associar aos cuidados básicos o tratamento adequado.


Reportar erro