Saia-branca – Benefícios e propriedades

Também conhecida como trombeta, canudo, zabumba ou trombeteira, a saia-branca e uma planta cujo nome…


Também conhecida como trombeta, canudo, zabumba ou trombeteira, a saia-branca e uma planta cujo nome científico é Brugmansia suaveolens. Pertencente à família das Solanaceae, a planta é originária da América do Sul e é puramente ornamental devido às suas belíssimas e grandes flores. Pode ser usada ainda na medicina alternativa.

Alguns povos primitivos usavam a planta para complementar rituais místicos e religiosos, além dos tratamentos de doenças. No entanto, muitas pessoas as usavam antigamente para entorpecer vítimas para poder matar ou roubar aos outros. Esta tem ação semelhante ao “boa noite cinderela”, popularmente conhecida como a droga das baladas.

Saia-branca – Benefícios e propriedades

Foto: Reprodução

Histórias antigas

A planta foi mencionada em “A Odisséia”, obra de Homero, onde Ulisses chegou à ilha onde residia Circe, a Ninfa. Esta, ao chegarem lá, deu aos marujos uma poção de saia-branca para que pudessem se esquecer de tudo sobre sua terra natal e sua antiga vida.

Existem ainda alguns relatos de que os índios que viviam no Brasil usavam a planta como um meio de castigar aos índios da tribo que cometiam crimes. Estes recebiam o chá desta planta e eram trancados em uma oca com muitas formigas. Estas ficavam como uma forma de tortura aos índios até que se cansassem, ou até que o efeito do chá passasse.


Propriedades e benefícios

A planta anticolinérgica pode ser facilmente encontrada em muitas regiões do Brasil e suas principais substâncias ativas são a escopolamina, atropina e hiosciamina, sendo indicadas para tratamento de asma e de mal de Parkinson. Sua infusão pode trazer sensação de relaxamento, alívio de espasmos musculares, broncodilatação e tratamento de infecções urinárias, problemas cardíacos e efeitos da tensão pré-menstrual.

Possui propriedades antiasmática, anticonvulsivante, cardiotônica, dilatadora, emética e narcótica. Suas partes utilizadas são as folhas, flores e sementes usados para uma infusão.

Contraindicações e precauções

Atenção: a planta pode causar delírios, perda da consciência, alucinações, coma e até mesmo a morte quando usada fora das doses indicadas e sem supervisão médica. Popularmente usada como droga no Brasil, sua circulação passou a ser controlada pelo Ministério da Saúde em especificação em portaria da ANVISA. O controle da planta, no entanto, é um tanto complexo devido a facilidade como é encontrada no país.

A ingestão da planta pode causar ainda boca seca, taquicardia, dilatação das pupilas, rubor da face, estado de agitação, sonolência, perda da coordenação motora, desconcentração e hipertermia. Os componentes dessa planta são muito potentes e perigosos, nunca consuma sem o consentimento de um profissional de saúde.


Reportar erro