Remédios naturais para a falta de memória

Por Daiane Silva

Descubra as causas e tratamentos para a falta de memória

Descubra as causas e tratamentos para o esquecimento  | Imagem: Reprodução

A falta de memória pode nos colocar em situações embaraçosas ou até mesmo de prejuízos morais e financeiros, dependendo da  situação em que a falha acontece. Qualquer pessoa, de qualquer idade pode ter falhas de memória. Aliás, é bastante comum que jovens tenham seus lapsos e arquem com as consequências disso e não só as pessoas mais idosas, como se costuma pensar.

As pessoas de mais idade, realmente tem maior dificuldade em manter a memória ativa, devido à degeneração natural da idade, mas, mesmo nos casos de pessoas idosas, é possível, sim, manter uma boa memória!

Alguns fatores podem prejudicar

Apesar de termos a memória como uma “coisa”, devemos saber que ela não é um espaço do cérebro, ou, ao menos, é o que tudo indica. A memória é sim, uma série de dados armazenados em determinado espaço de nosso cérebro, como num arquivo, ou HD de computador. Essas informações são armazenadas de maneira a nos aparecerem na hora em que necessitamos delas e aí é que mora o problema: os métodos de armazenamento!

Determinadas circunstâncias favorecem ao esquecimento, como estados negativos, que são fatores voluntários ou involuntários que inibem o bom funcionamento da memória. Situações de estresse elevado ou medo, como num assalto ou sequestro relâmpago, por exemplo, em que a vítima diante do caixa eletrônico, esquece a senha da conta, ou o candidato a uma vaga de emprego que esquece algum dado ou de mencionar detalhes importantes sobre sua experiência devido ao medo.

E o famoso “branco” durante provas de escola? O aluno passa horas tentando se lembrar e entrega a prova em branco! Por quê? Ansiedade, estresse ou medo, gerado pela insegurança.

Por isso, esses estados negativos podem nos boicotar ao vermos alguma situação com pessimismo ou medo. Veja outros exemplos onde o negativismo faz com que esqueçamos as coisas facilmente:

MÁ VONTADE:

Ao executarmos uma atividade com má vontade, certamente não memorizaremos coisa nenhuma do que estivermos fazendo. Essa é a razão porque um estudante não memoriza uma linha sequer de algum livro que esteja lendo sem motivação, ou um colaborador que execute alguma tarefa na empresa sem entusiasmo, certamente algum prejuízo profissional virá.

ESTRESSE:

Este é fácil de exemplificar: se você já tentou ler um texto quando estava muito estressado, perturbado, preocupado com alguma situação, certamente você lembrará desse momento, mas de jeito nenhum lembrará do texto! O estresse inibe todos os mecanismos para a memorização!

DEPRESSÃO:

A depressão faz com que a pessoa se torne desinteressada de qualquer assunto, já que ela reforça os insucessos passados dessa pessoa, desestimulando-a. A depressão impede dessa forma a boa memorização.

ANSIEDADE:

A ansiedade também é inimiga da memória no instante em que cria um círculo vicioso: a pessoa ansiosa costuma não empenhar toda a atenção e acaba esquecendo nomes ou rostos, por exemplo; sabendo dessa sua dificuldade, todas as vezes em que precisar enfrentar uma nova situação, a pessoa criará um estado de ansiedade que a prejudicará para memorizar qualquer coisa nova.

Esses aspectos negativos podem ainda ser somados por:

  • medo;
  • raiva;
  • desinteresse;
  • preguiça;
  • ressaca;
  • cansaço físico e mental.

Todos eles nos desconectam de nossa memória de alguma forma, por isso, para se manter “ligado”, comece tentando controlar qualquer um desses estados!

Como podemos ajudar nossa memória a funcionar bem?

Um dos benefícios do Ômega-3 está relacionado a otimizar as funções do nosso cérebro

Otimize sua memória, sua reação e capacidade de concentração! | Imagem: Reprodução

Alguns alimentos são benéficos ao nosso cérebro, de modo geral, o consumo dos antioxidantes é importante para ajudar a memória, já que eles previnem o envelhecimento precoce das células.  A lista de alimentos com poderes antioxidantes é extensa, podemos citar alguns, como o tomate, a linhaça, cenoura, cacau, frutas cítricas, uva, etc.

O ácido graxo Ômega-3, presente em peixes de águas profundas, como o salmão, a sardinha, entre outros e em muitas outras fontes alimentares, pode reforçar as defesas e contribuir para a boa memória.

E, finalmente, temos ervas medicinais que também ajudam a reforçar as estruturas cerebrais para colaborar na manutenção da nossa memória:  Gingko Biloba, Ginseng, chá-verde e cúrcuma, ou açafrão, são alguns deles.

Aqui, uma receita com alecrim, que também ajuda a estimular a memória:

– Coloque 20g de alecrim em uma xícara e cubra com água fervente. Aguarde esfriar e beba.