“Projeto Verão” pode afetar a saúde cardíaca! Saiba como evitar

Quem decidiu se exercitar deve iniciar um cronograma de atividades e observações diante do próprio condicionamento físico


Com o verão vem o desejo de estar com o corpo mais enxuto, a silhueta ideal e com uma aparência mais atlética. Para conseguir alcançar estes objetivos vale a pena apostar em um “Projeto Verão”, composto por corridas no parque, treinos na academia, caminhadas no bairro etc.

Mas, será mesmo que a prática de exercícios físicos sem o acompanhamento médico é a forma mais indicada para perder peso e ficar de bem com a saúde?

Bom, é possível que com estes hábitos o indivíduo consiga diminuir os números das roupas. Porém, quem encontra-se sedentário pode ter problemas com a saúde do coração. Por isso, de nada adianta ter academias lotadas e dietas radicais se o atleta não se preocupa com a saúde no geral.

“Projeto Verão” pode afetar a saúde cardíaca! Saiba como evitar

Foto: depositphotos


De acordo com o médico do esporte Renato Estrella, especialista em Fisiologia do Exercício e Reabilitação Cardíaca do CECAM, instituição médica referência em cardiologia esportiva, não é preciso ter cuidado apenas com lesões, mas também com o funcionamento cardíaco.

O funcionamento do coração nos esportes

Segundo Estrella, quem deseja se exercitar precisa conhecer o próprio corpo, mas é imprescindível procurar ajuda médica. Assim como os músculos podem não suportar tanta atividade física, o coração também pode não dar conta dos exercícios e acabar desencadeando paradas ou insuficiências cardíacas. Este cuidado é inevitável, pois a saúde cardíaca é um fator determinante para atletas iniciantes.

Desta forma, quem decidiu se exercitar deve iniciar um cronograma de atividades e observações diante do próprio condicionamento físico. O que o especialista em Fisiologia do Exercício e Reabilitação Cardíaca dividiu em:

  • Avaliação Física: Há quem acredite que este tipo de avaliação serve apenas para protocolar o paciente. Contudo, este tipo de atividade antes dos exercícios físicos é essencial para identificar os riscos cardiovasculares e osteomusculares. Por esta razão, é essencial ser feita em qualquer pessoa, especialmente nos iniciantes;
  • Sinais de alerta: Se o paciente faz a avaliação e depois segue para a bateria de exercícios, é importante ressaltar que ele deve ficar atento aos acontecimentos do corpo. Da mesma forma quem não passa pelos exames, caso que merece ainda mais atenção. Isto deve ser levado em conta pois o organismo pode enviar sinais de alerta, como dor no peito, cansaço exacerbado e até mesmo desmaios. Em todos esses casos, o médico deverá ser informado;
  • Histórico do paciente: Pessoas que possuem casos familiares de hipertensão, diabetes, colesterol alto e morte súbita, devem informar ao médico no momento da avaliação física. Assim como os indivíduos que tomam certos tipos de medicações. Em todos estes casos, o especialista deve ser comunicado, tendo em vista que os pacientes precisam de uma atenção a mais;
  • Ajudar o coração: Acima destes quesitos já mencionados está o cuidado que cada indivíduo precisa ter com sua própria saúde. Por isso, as dicas que Estrella dar envolvem a proibição de fazer jejum antes das atividades físicas e a hidratação, principalmente nos dias mais quentes;
  • Respeitar os limites: Conhecer o corpo é a forma de evitar os excessos e os problemas de saúde. “Uma série de fatores genéticos vão guiar a resposta do seu corpo em relação ao exercício e você deve saber respeitar isso. Não adianta você querer ser forte e ter aquela aparência hipertrofiada se seu organismo não nasceu para isso”, explica Estrella;
  • Chega de “Projeto Verão”: É preciso colocar um fim nestes projetos mirabolantes e procurar ter mais saúde, ao invés de estar com um corpo mais “bonito”. “Exercício físico é remédio e não tem idade. Idosos, crianças, todos devem praticar uma atividade física de forma constante e progressiva, e não apenas para estar bonito para o verão”.

Reportar erro