Previna-se! Médico cita quais são as doenças mais comuns no verão

A temperatura mais alta pode facilitar a ocorrência de desidratação, micoses, conjuntivite e insolação


A estação mais aguardada pela maioria dos brasileiros está chegando. O verão é uma época maravilhosa para aproveitar as férias, a praia, os parques, a família, enfim, em nosso país é sinônimo de alegria e carnaval. Entretanto, o calor e a umidade podem trazer alguns riscos para a saúde.

A temperatura mais alta, a falta de higiene e de saneamento podem facilitar a ocorrência de desidratação, micoses, conjuntivite e insolação. “O calor e a umidade facilitam a proliferação dos vírus e bactérias responsáveis por essas enfermidades. Com isso em vista, tanto a higiene pessoal quanto alimentar merecem atenção redobrada nesta época do ano”, explica o médico infectologista, José Ribamar Branco.

Esses fatores em combinação com as chuvas torrenciais de verão criam também as condições ideais para procriação de vírus, como os transmitidos pelo mosquito Aedes Aegypti.

Previna-se! Médico cita quais são as doenças mais comuns no verão

Foto: depositphotos

O Ministério da Saúde publicou dados alarmantes sobre os casos de chikungunya, transmitidos pelo Aedes. Somente no ano de 2016, os casos confirmados da doença cresceu 850% em relação a anos anteriores. Sabe o que isso significa? 251 mil pessoas infectadas. Dessas, 138 vieram a óbito por conta da chikungunya.

Para se prevenir de todas essas doenças típicas de verão, você precisa se prevenir da melhor forma. Saiba como nos tópicos a seguir:

1. Fuja da conjuntivite

No verão, as bactérias se proliferam muito rápido, principalmente na água. Elas são responsáveis por causar a inflamação na membrana que reveste o globo ocular, mais conhecida como conjuntivite.


O médico José Ribamar Branco adverte: “os sintomas clássicos da conjuntivite são a vermelhidão, inchaço, ardência e a presença de secreção. Em dias muito quentes, tende a piorar. É muito importante não compartilhar com ninguém, enquanto estiver contaminado, objetos de higiene pessoal. Não é recomendável coçar os olhos. Lavar as mãos e o rosto com frequência também é essencial.”

2. Previna-se da insolação e desidratação

Tomar muito sol pode acarretar problemas de saúdes graves. Um deles tem o efeito a longo prazo que é o câncer de pele. Outros podem causar problemas imediatos como febre, pele seca e vermelha, aceleração do pulso, tontura, falta de ar e desmaio. Ao se expor ao sol passe protetor solar e tome, no mínimo, três litros de água.

Essa água é fundamental para evitar a desidratação, que é provocada pela perda de líquido e sais minerais por meio do suor, urina, fezes e saliva. “Para evitar o problema, é importante consumir líquidos frescos, alimentos leves, vestir-se com roupas leves e ficar, preferencialmente, em ambientes com sombra e arejados”, recomenda o infectologista.

3. Evite as micoses

Elas são causadas por fungos na pele. “As partes afetadas são geralmente as mais quentes e úmidas, uma vez que oferecem as condições ideais para a reprodução dos fungos. O verão favorece este processo, pois a temperatura corporal tende a aumentar e expõe-se mais a ambientes molhados”, esclarece o médico.

Para evitar as temidas micoses, o ideal é secar-se bem, não usar toalhas e sapatos de outras pessoas e não andar descalço. Além disso, você pode usar calçados mais abertos durante o verão.

4. Acabe com a dengue, chikungunya e zika

Sem dúvida, são as doenças mais graves que o verão pode propagar. “É preciso estar duas vezes mais atento a febres, manchas e dores no corpo, que podem ser sintomas de dengue, zika e chikungunya”, afirma o infectologista. Além disso, é responsabilidade de todos acabar com os focos do mosquito. Ainda assim, o uso de repelente várias vezes por dia também é indicado.


Informar erro