Pós-parto: alimentação ideal e sem riscos à saúde

Saiba como deve ser a alimentação pós-parto para a manutenção da saúde da mãe e do bebê. Confira alimentos indicados e contraindicados.


Normalmente as mães, após dar à luz ao seu bebê, pensam que a alimentação balanceada que era necessária durante a gestação pode ser abandonada, porém, engana-se que assim pensa. Durante a amamentação, segundo Fernanda Amorim, professora de nutrição do Centro Universitário Celso Lisboa, no Rio de Janeiro, o bebê ainda recebe muitos nutrientes necessários para o desenvolvimento e, com isso, podemos chegar à conclusão de que a alimentação da mãe continua sendo essencial.

Mas o benefício disso não é somente o leite ser adequado para o bebê, mas também a recuperação mais rápida do peso saudável. O que muda diante da dieta seguida durante a gestação é, basicamente, a quantidade, e não a qualidade.

O que a lactante pode comer?

Priorize alimentos que sejam ricos em água, como as frutas, em proteínas, como as carnes, leite e ovos, antioxidantes, como frutas e vegetais, e ferro sempre acompanhados de vitaminas C.

Pós-parto: alimentação ideal e sem riscos à saúde

Foto: Reprodução/ internet

A dieta, de forma bem resumida e direta, deve conter todos os grupos de alimentos, principalmente o cálcio, e não existem muitas restrições, somente em casos de alergias. É importante não consumir álcool e evitar chocolates, café, pimentas, alimentos ricos em enxofre e condimentos fortes durante esse período. Estes últimos causam cólicas nos bebês.


Prefira alimentos naturais que sejam livres de conservantes, corantes e aditivos, e prefira alimentos cozidos ou assados ao invés dos fritos. Faça pelo menos cinco refeições diárias: café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar.

Não siga dietas ‘da moda’

Dietas da sopa ou de restrição para perda de peso rapidamente, assim como qualquer dieta da moda ou outra sem acompanhamento médico é totalmente contraindicada para as lactantes. Elas podem causar desnutrição tanto da lactante quanto do bebê devido à carência de vitaminas e minerais importantes.

Dietas muito liberais também devem ser evitadas, pois muita gordura e açúcares poderão promover o excesso de peso materno e modificar o perfil nutricional do leite, sendo prejudicial à saúde do bebê.

Se você está preocupada com o peso e por isso quer seguir dietas mais restritas, lembre-se que a própria produção de leite demanda muita energia de seu corpo e será um promotor do emagrecimento, desde que você se alimente de forma equilibrada.

Quadros de risco

Mulheres que tiveram um quadro de gestação de risco – como casos de diabetes gestacional – devem ter um acompanhamento mais restrito, pois deve-se garantir que a alimentação não trará um alto nível glicêmico.


Reportar erro