Perda de peso acentuada pode ser sinal de hiperglicemia

O emagrecimento não-intencional seguido de outros sintomas podem ter ligação com a diabetes descompensada


Entre os sintomas que caracterizam o diabetes descompensada, a perda de peso aparece como o principal deles. Além desses, cansaço, fraqueza, visão embaçada, infecções de fungos, micoses e inflamações de pele também são sintomas que preocupam os pacientes com a doença.

Esse caso pode desencadear um problema grave nos pacientes, também conhecido por hiperglicemia. A glicose é a principal fonte de energia das células. Para que esse nutriente entre nas células é preciso que a insulina “sinalize” a presença da glicose, somente então é possível sua absorção e posterior transformação em energia.

Quando o organismo sofre alguma alteração nesse processo, as células não conseguem captar a glicose, resultando no acúmulo do açúcar circulante no sangue – a hiperglicemia.

Perda de peso acentuada pode ser sinal de hiperglicemia

Foto: depositphotos

A condição pode afetar pessoas obesas ou não, ou ainda aquelas com estilo de vida desregrado.

Emagrecimento não saudável

Nesse sentido, muitas dúvidas a respeito do assunto pode atingir, sobretudo em relação ao emagrecimento causado pela disfunção. Quando o emagrecimento acontece sem razão aparente, sem que o indivíduo faça mudanças severas na dieta ou esforços físicos além do habitual, é preciso ficar alerta.

O emagrecimento não-intencional seguido de alguns sintomas como sede em excesso, apetite exacerbado e desejo de urinar constante podem indicar que a glicemia está muito acima do normal. Esse quadro, além de representar um risco à saúde, é um dos principais indícios da diabetes descompensada.

Por se tratar de uma doença silenciosa, esses sinais podem passar desapercebidos num primeiro momento e só despertar a preocupação dos que convivem com o problema quando os sintomas já estão críticos. Para evitar esse quadro, é importante que a hiperglicemia seja detectada e tratada.


Explicações para a perda de peso

De acordo com a nutricionista, Joanna Carollo, a perda de peso relacionada à diabetes ocorre devido à falta de energia, obrigando o organismo a recorrer à outras fontes, como as reservas de gordura. Isso faz com que as pessoas sejam levadas a perda de peso não intencional. “O indivíduo come mas a glicose não chega às células, devido ao baixo nível de insulina no organismo”, diz.

O apetite exacerbado é, inclusive, outra consequência da hiperglicemia. Contudo, se não houver um controle da glicemia e da dieta, a alimentação pode até agravar o problema, aumentando ainda mais a glicose circulante.

Principais sintomas da hiperglicemia

O paciente que desenvolve a hiperglicemia apresenta alguns sintomas, a exemplo de mal estar, fraqueza, enjoos pela falta de energia, necessidade frequente de urinar, além de sede intensa. É importante que o paciente fique alerta, já que a doença é bem silenciosa.

A perda de peso não intencional deve ser sempre investigada, especialmente quando acompanhada por sintomas relacionados à diabetes. Ainda que os sinais da hiperglicemia pareçam brandos, o grande risco por trás do diagnóstico tardio é que o descontrole da glicemia acarrete em problemas renais, da visão, circulação, doenças cardíacas e leve, até mesmo, ao coma.

Como evitar a hiperglicemia e recuperar o peso?

Para identificar a razão por trás da perda de peso involuntária é fundamental o acompanhamento médico: quando decorrente da hiperglicemia, atestada por exames laboratoriais, o indivíduo deverá adotar um novo estilo de vida e novos hábitos alimentares a fim de manter a glicemia sob controle.

Por isso, a nutricionista orienta. “Pacientes diabéticos devem seguir uma dieta específica, que permita o controle glicêmico. Além de eliminar o uso do açúcar, o paciente deverá incorporar hábitos como alimentar-se a cada três horas, ter um cardápio balanceado e saudável”, destaca Joanna.

Quando se trata da recuperação da perda de peso causada pelo diabetes, é preciso que a dieta contemple o estado nutricional do indivíduo. “Neste caso, a alimentação deve ser reforçada com nutrientes que ajudem a recompor este peso, através de um cardápio específico. Caso o profissional prescreva um tratamento medicamentoso específico, os cuidados alimentares e a suplementação, não devem ser deixados de lado”, completa Joanna.


Reportar erro