Os chás permitidos e negados durante a gravidez

O período de gestação é um momento delicado na alimentação da mulher. Alguns chás que…


O período de gestação é um momento delicado na alimentação da mulher. Alguns chás que podem ser tomados tranquilamente em qualquer fase da vida não podem ser ingeridos na gravidez. Alguns deles possuem nas propriedades das plantas substâncias que podem provocar alergias e até aborto.

Os chás permitidos e negados durante a gravidez

Foto: Reprodução

Ervas boas e ruins

É um grande equivoco pensar que por serem naturais todas as ervas fazem bem. Lembra aquele chazinho que a sua vó dava para você quando apareciam os primeiros sintomas de gripe? Ele pode ser um “veneno” para você e o seu filho ainda na barriga, fique atento no momento de gestação e tome apenas aqueles conhecidos e tradicionais, como a erva-doce que é o mais indicado para as mamães, camomila e capim-limão.


Chás proibidos

Arruda, cipó-mil-homens-erva-de-bicho, buchinha do norte, confrei, espirradeira e losna. Esses já possuem comprovação de serem abortivos. Além do chá de boldo ser proibido nos três primeiros meses e o chá de canela que pode causar contração nos músculos ao redor do útero. As plantas proibidas não param por ai. O chá de hortelã é ótimo para curar aquela dor de garganta, além do gosto bom que ele tem, mas por outro lado ele diminui a quantidade de leite nas mães e deve ser evitado antes e depois da gestação.

Sem dúvida um dos chás mais consumidos é o chá da erva-mate, mas ele deve ser evitado, assim como outros por ter muita cafeína e com isso acelera o metabolismo. Vários possuem a mesma quantidade da substância, como: O chá de banchá, chá preto, verde e branco. Todos devem ficar longe das futuras mamães.

Orientações

Tomar um chazinho é sempre bom, mas opte pelos chás que são mais claros, como o erva doce e erva cidreira que possuem efeitos de calmantes. Porém, não tome todos os dias, pois existem poucos estudos sobre os efeitos das plantas sobre o organismo. Portanto antes de tomar chá lembre-se sobre o que ele pode causar e para se ter sempre segurança sobre aquilo que pode ou não ingerir, peça sempre orientações ao seu obstetra.


Reportar erro