Os benefícios e modos de usar o mastruço

Encontrado em quase todo o Brasil, o mastruço é uma planta utilizada para fins medicinais…


Encontrado em quase todo o Brasil, o mastruço é uma planta utilizada para fins medicinais desde o descobrimento do Brasil. Da família das Brassicaceae, o mastruço também é conhecido como erva-de-santa-maria, erva-vomiqueira, erva-formigueira, mentruz-rasteiro, mastruz-miúdo e mastruço-dos-índios. Com caule ramificado e prostrado, a planta pode alcançar até 70 cm de altura, suas folhas são divididas e suas flores, muito pequenas, possuem coloração esbranquiçada. Seu fruto, também pequeno, apresenta duas sementes que se separam. O mastruço é uma planta de crescimento espontâneo, aromático e, quando amassado, exala um odor semelhante ao do agrião. Suas partes utilizadas são as folhas, as flores e as sementes.

Os benefícios do mastruço

Foto: Reprodução

Benefícios e propriedades

Com ação antibiótica, colerética, digestiva, expectorante e tônica pulmonar, a planta pode ser usada para combater a anemia, bronquite, contusões e dores musculares, escorbuto, escrofulose, gota, infecções respiratórias, raquitismo, vermes e excesso de ácido úrico. Além disso, é eficaz ainda na eliminação de catarro brônquico e muco espesso, tratamento de reumatismo e traumatismos, além de problemas digestivos.

Modo de usar

A planta pode ser usada de diversas formas. Para preparar seu chá, use a proporção de uma xícara de café de planta com as sementes para cada meio litro de água. Leve a água ao fogo e adicione a planta, deixando ferver. Ao alcançar fervura, deixe por mais 10 minutos, desligando em seguida. Deixe a mistura descansar até amornar, coe e consuma uma xícara de 6 em 6 horas.


O suco pode ser feito com um copo da planta picada para dois copos de leite. Coloque os dois ingredientes no liquidificador e bata até misturar bem. Consuma um copo por dia, por três dias seguidos.

Quando macerada, a planta pode ser usada na forma de compressas, abluções e banhos, com fins diuréticos, vermífugos, sudoríficos, tratamento de infecções pulmonares e contusão, além de agir como cicatrizante.

As folhas, quando cozidas com sal, podem ser aplicadas na pele para tratar pernas gotosas, afecções da pele, distúrbios renais, cólicas, dores de estômago e tuberculose. Além disso, em ramos, a planta pode ser usada para eliminar pulgas e percevejos quando colocada em baixo dos colchões.

Contraindicações e efeitos colaterais

Quando usada em grandes quantidades, é uma planta venenosa. Além disso, pode causar irritações na pele e mucosas, vertigem, vômitos, dores de cabeça, danos nos rins e fígado, colapso circulatório e, raramente, morte. O consumo é contraindicado para pacientes gestantes, pois a planta pode contrair o útero e causar aborto.


Reportar erro