Óleo de avestruz possui os ômegas 3, 6, 7 e 9!

Os benefícios proporcionados pelos óleos vêm chamando cada vez mais atenção, sendo que cada um…


Os benefícios proporcionados pelos óleos vêm chamando cada vez mais atenção, sendo que cada um deles deve ser utilizado de acordo com o objetivo a ser alcançado, sempre observando a sua composição, indicações de uso e contraindicações. Além dos famosos óleos de milho, amêndoa, coco, argan e outros, há no mercado outro óleo com muitas propriedades benéficas à nossa saúde: é o óleo de avestruz.

Na região abdominal do avestruz há uma bolsa de gordura, local de onde é extraído o óleo. Cada avestruz fornece, em média, 15 kg de gordura, que são suficientes para a produção de aproximadamente 6 litros de óleo.

Desde tempos remotos, o óleo de avestruz já era utilizado de forma terapêutica pelos egípcios, devido às suas propriedades analgésicas, anti-inflamatórias, hidratantes da pele e regeneradoras de feridas e cicatrizantes.

As propriedades do óleo de avestruz

O óleo de avestruz é o único produto natural que contém os quatro ômegas: ômega 3 (ácido linolênico), ômega 6 (ácido linoléico), ômega 7 (ácido palmitolêico) e ômega 9 (ácido oléico).

O ômega 3 possui funções anti-inflamatórias, atua na redução de colesterol e triglicerídeos, ativa as funções cerebrais, previne doenças cardíacas e autoimunes e combate a osteoporose e problemas articulares.

O ômega 6 fortalece o sistema imunológico, atua na saúde da pele e dos cabelos e pode colaborar na queima de gordura corporal; o ômega 7 é o ácido graxo responsável pela derme e colabora no processo de regeneração celular.

Já o ômega 9 é responsável pela síntese de hormônios e ajudam a reduzir as ondas de calor, ansiedade, estresse e irritabilidade decorrentes de disfunção hormonal. Por esta razão, este ácido deve estar presente na dieta das mulheres com menopausa e das que sofrem com os sintomas incômodos e dolorosos da TPM. O ômega 9 também age na síntese de cortisol, hormônio responsável pelo acúmulo de gordura na região abdominal.

Óleo de avestruz possui os ômegas 3, 6, 7 e 9!

Foto: Reprodução


Os benefícios do óleo de avestruz

Alguns estudos vêm demonstrando a utilidade do óleo de avestruz no tratamento de doenças da pele, tais como dermatites, eczemas e psoríase. Os seus efeitos terapêuticos também podem ser observados na cosmética, como atenuante de rugas e marcas de expressão, sendo associados a cremes hidratantes e regeneradores de tecido.

Saiba mais sobre os benefícios proporcionados pelo óleo de avestruz:

Hidratante da pele

As dosagens percentuais presentes na composição do óleo de avestruz são similares à oleosidade da pele humana, característica que confere ao óleo uma propriedade hipoalergênica. Por ter elevada afinidade com a nossa pele, a penetração intradérmica do produto é mais eficiente, apresentando alto poder de hidratação e melhora da tonicidade. O óleo de avestruz hidrata e reduz as rugas e marcas de expressão com reduzido percentual de reações alérgicas.

Anti-inflamatório

Devido à presença do ácido oléico (ômega 9) em sua composição, o óleo de avestruz pode ser utilizado no tratamento de inflamações nas articulações.

Emagrecimento

Ao ser aliado a uma dieta, o óleo de avestruz auxilia no processo de emagrecimento e na perda de medidas abdominais.

Analgésico

O ácido linoleico (ômega 6) presente neste óleo atua como analgésico em casos de câimbras, fadiga, edemas e contraturas, além de combater dores reumáticas, artrites e artroses.

Como utilizar o óleo de avestruz?

O óleo de avestruz pode ser encontrado à venda em lojas de produtos naturais ou pela internet. Ele está disponível nas formas de gel, gotas, creme, banha, óleo de massagem, spray, creme para os pés e para as pernas e outros.

A dosagem depende de cada fabricante, mas é necessário ficar atento às dosagens diárias mínimas e máximas. Este produto não deve ser utilizado em excesso, pois pode causar desequilíbrio metabólico e desenvolver processos inflamatórios e diabetes. Lembre-se de consultar um médico antes de iniciar qualquer tratamento!


Reportar erro