Jejum intermitente funciona? Quais vantagens e quais perigos?

Acredita-se que, se a pessoa ficar um período sem ingerir alimentos, acontece a ativação de alguns fatores no organismo, responsáveis pelo metabolismo


O mundo das dietas vive de modismo. O mais recente é o jejum intermitente. Você já ouviu falar? O nutricionista Murilo Pereira concedeu uma entrevista ao programa ‘Falando Francamente’ no qual explicou como funciona e quais os benefícios dessa dieta.

O que é jejum intermitente?

O conceito de jejum intermitente surgiu a partir de uma teoria de restrição calórica a qual acredita-se que, se a pessoa ficar um período sem ingerir alimentos, acontece a ativação de alguns fatores no organismo que são responsáveis pelo controle do metabolismo.

Essa dieta funciona?

É importante entender que não existe o “bom para todos ou o ruim para todos”. O que existem são estratégias nutricionais aliadas às atividades físicas. O jejum intermitente se utiliza de várias técnicas para atender diferentes necessidades nutricionais.

Jejum intermitente funciona? Quais vantagens e quais perigos?

Foto: depositphotos

O que é fundamental para começar a fazer um jejum intermitente?

A pessoa interessada nesse tipo de dieta deve procurar os profissionais especializados que pode ser um nutricionista, um médico endocrinologista ou um nutrólogo, que é um médico com especialização em nutrição.


Quais são os intervalos do jejum?

Somente um profissional poderá orientar cada pessoa em relação ao número de horas que ela deve ficar sem ingerir alimentos. Há teorias que pedem quatro dias com jejum de 12h e três com jejum de 16h. Outras falam em 24h. Mas isso depende do diagnóstico de cada pessoa. O fundamental é a atuação de um especialista.

Como a gordura é eliminada?

Um período sem comer realiza a ativação de substâncias capazes de queimar mais gordura e diminuir os radicais livres, que em contato com a circulação sanguínea são grandes vilões para a saúde.

Essa dieta lembra muito os hábitos alimentares das pessoas mais antigas, como nossos avós, que faziam uma refeição às 18h da noite e depois só se alimentavam no café da manhã. Hoje, as pessoas têm o hábito de comer pizza tarde da noite e dormir apenas 3 ou 4 horas. Isso faz com que o intestino seja atacado por nutrientes e não se recupere até a próxima refeição.

Existe algum perigo?

Sim. Se o jejum intermitente for feito de forma incorreta pode ocasionar danos musculares. Ou seja, ao invés de perder gordura, o paciente começa a perder massa muscular. Quando isso acontece você diminui a taxa de metabolismo basal e, com isso, o alimento ingerido torna-se gordura, ao invés de ser fracionado em nutrientes.

Esse jejum deve durar quanto tempo?

Sabemos que qualquer tipo de restrição alimentar a longo prazo não funciona muito bem, pois o organismo se adapta e não responde mais aos estímulos como antes. Portanto, é fundamental consultar um profissional e manter o equilíbrio sempre. Comer comida de verdade, frutas, galinha caipira. Evitar álcool, excesso de pão. Enfim, voltar a ingerir a “comida da vovó”.


Informar erro