Gonorreia – tratamentos naturais para amenizar os sintomas

Por João Silva

Gonorreia

Veja detalhes dos sintomas e tratamentos para esta doença | Imagem: Reprodução

gonorreia, que também é conhecida por blenorragia ou uretrite gonocócica, é uma doença sexualmente transmissível causada pela bactéria Neisseria gonorrheae, que contamina a uretra, ânus e faringe.

A bactéria se espalha pelo sangue, agredindo as grandes articulações e causa ferimentos na pele. O ato sexual não é a única forma de transmissão, embora seja um dos principais, ela também pode ser transmitida para o bebê pela mãe na hora do parto. A prática de sexo anal e oral leva a contaminação desses canais. No momento em que penetra no canal, a bactéria pode apresentar sintomas imediatos de:

  • Ardor ao urinar;
  • Vontade constante de urinar;
  • Corrimento turvo e denso do pênis;
  • Corrimento vaginal turvo, amarelo com odor desagradável;
  • Dor de estômago, no caso das mulheres;
  • Menstruação descontrolada;
  • Inflamação no ânus após relação sexual anal;
  • Inflamação na garganta também após relação sexual, oral;
  • Dor nos testículos;
  • Vermelhidão nos olhos no caso dos bebês.

Uma dificuldade encontrada para detectar a doença, é o fato de que nas mulheres ela pode não apresentar muitos sintomas, o que não ocorre no homem.

Diagnóstico

Pode-se detectar a gonorreia por histórico sexual do paciênte, já que na maioria dos casos a doença se mostra rapidamente. A coleta de secreção pode ser feita, mas a mesma já sofreu a ação de enzimas e nem sempre contém bactérias que possam diagnosticar a patologia, sendo uma forma de exame não precisa. Logo, o material é colhido diretamente da uretra, de forma indolor, mas essencial para definir o agente etiológico da doença.

Como tratar da gonorreia

Não diagnosticada, a gonorreia pode atingir vários órgãos, causando infertilidade em homens e mulheres, além de poder inflamar o útero da mulher, causando uma doença na pélvis que pode levar à morte. O tratamento da gonorréia é gratuito e ministrado por antibióticos, porém o paciente também pode optar junto ao tratamento, tratamentos medicinais alternativos e naturais.

Sugerimos o uso de frutas e hortaliças

  • Limão: Tome 1 copo de suco o primeiro dia, 2 no segundo e assim até chegar 10 dias, então, volte a tomar a quantidade inicial, sempre repetindo a quantidade. Este tratamento deve durar 20 dias e não é recomendada a paciente com úlceras ou gastrite
  • Melancia e melão: Substitua uma refeição pela melancia por 2 semanas, depois mais 2 semanas substituindo por melão.
  • Romã: Faça o chá das flores secas e tome uma xícara ao dia.
  • Alface: Faça o suco do talo do alface e tome antes de dormir, ministrando um copo pequeno por dose.
  • Salsa: Tome o chá da raiz da salsa. Cozinhe 30 ou 60 gramas para um litro de água. Tomar 3 xícaras ao dia.