Faça um repelente baratinho com óleo de andiroba

Usado normalmente como repelente natural da pele, o óleo de andiroba também pode ser usado na fabricação de velas para espantar os insetos


O pé de andiroba é uma árvore de grande porte, podendo chegar até 30 metros de altura. Apesar dessa característica, não se trata de uma planta resistente, uma vez que chuvas e ventos fortes podem derrubá-la facilmente, colocando em ameaça sua existência. Já o óleo dela extraído, é um aliado da saúde, beleza e também de algumas tarefas de casa. É retirado de forma totalmente sustentável, haja vista que respeita o tempo de liberação dos frutos e sementes da planta. Sendo assim é um elemento que não prejudica sua fonte.

Como é extraído o óleo de andiroba?

Este produto natural provém das sementes da planta andiroba. Essas, por sua vez, estão localizadas nos frutos da árvore, que ao caírem, se abrem e liberam de quatro a seis sementes. Todavia, nem todas elas estão aptas para extração, por isso passam, primeiramente, por um processo de seleção antes de serem cozinhadas.

Em seguida, as sementes são amassadas manualmente. O resultado é uma massa, da qual será extraída o óleo. O procedimento para que isso ocorra pode ser feito de três maneiras: no sol, sombra ou por prensagem. Nos dois primeiros modos, a massa é colocada em uma superfície inclinada para facilitar o escorrimento da substância. A prensagem, por sua vez, é feita por uma prensa de palha típica da região amazônica.

Características do óleo

De cor amarelada, o óleo é muito amargo e pode se solidificar quando submetido a temperaturas inferiores a 25°C. De acordo com pesquisas elaboradas pelas universidades federais dos estados de Pernambuco e Pará, o consumo via oral desse elemento deve ser evitado, pois o mesmo é capaz de afetar o funcionamento do fígado. O óleo pode ser encontrado em lojas de produtos naturais físicas ou online, mas é importante lembrar de optar sempre pelo puro, isto é, livres de substâncias químicas prejudiciais à saúde.

Com relação as propriedades desse produto, pode-se citar: antisséptica, cicatrizante, anti-inflamatória, inseticida e emoliente.


Imagem de mulher aplicando repelente em perna

Foto: Depositphotos

Benefícios do produto natural

Usado normalmente como repelente natural da pele, o óleo de andiroba também pode ser usado na fabricação de velas para espantar os insetos. Além disso, pode ser utilizado na produção de sabão, o qual auxilia no tratamento de picadas e coceiras provocadas por mosquitos. Ainda sobre a pele, pode ser aplicado durante massagem. Com essa prática, os músculos são relaxados e as dores nessas regiões são aliviadas. Trata inchaços, doenças na pele, reumatismo, contusões e ainda pode combater celulite e manchas na epiderme.

Para os cabelos, o óleo de andiroba é altamente eficaz. Auxilia na hidratação dos fios, principalmente para os cabelos cacheados, crespos e muito volumosos. Proporciona maciez, devolve o brilho para as madeixas, controla o frizz e ainda repara os fios quebradiços. Se adicionado a shampoos ou cremes, ele pode combater à queda de cabelo.

Outro grande benefício do óleo de andiroba diz respeito não ao organismo humano, mas sim sobre a proteção aos móveis de dentro de casa, que ao receberem uma camada desse produto ficam livres de cupins.

Descarte correto

Jogar fora de forma inapropriada o óleo de andiroba pode causar diversos prejuízos ao meio ambiente, principalmente quando se refere a contaminação de rios. Descartar em descargas, pias ou no lixo só contribui ainda mais para a degradação da natureza. Por isso, se não for mais utilizar o produto devido a validade, procure um local que faça o recolhimento desse material de forma correta, para que o mesmo possa ser reciclado.


Reportar erro