Especialista orienta como prevenir quedas em idosos

As pessoas da terceira idade estão mais propensas a sofrerem quedas e com isso, fraturas. Saiba como minimizar os riscos


Existem grupos de pessoas mais propensas a sofrerem quedas: as crianças, gestantes e, principalmente, os idosos.

Estes acidentes ocorrem por alguma falha no corpo, tanto pelo fato dele ainda está se desenvolvendo ou porque suas células estão em processo de desgaste. E, além das limitações físicas que estes acontecimentos podem causar, há também o fator psicológico, que também pode ser afetado.

Contudo, de todos os grupos apresentados os que mais correm risco são os idosos. De acordo com dados da última estatística do Ministério da Saúde, de 2008 a 2012 houve um aumento de quase 30% no número de fraturas em pessoas da terceira idade.

Especialista orienta como prevenir quedas em idosos

Foto: depositphotos

Levando em consideração esta taxa, a fisioterapeuta do Hospital e Maternidade São Cristóvão, Lais de Sá Fonseca, ressalta a importância da prevenção dessas quedas e explica como elas podem ser evitadas.

Mas, por que os idosos são as maiores vítimas?

Antes de saber quais são as orientações sobre como prevenir os acidentes, é importante entender o porquê que os idosos são as principais vítimas.


“Em idosos, os motivos primordiais são ossos e musculatura frágeis e a diminuição dos reflexos de proteção e equilíbrio”, explica a fisioterapeuta Lais. Ainda segundo a profissional, a osteoporose é uma das principais razões para os acidentes com pessoas da terceira idade, pois esta doença afeta a perda de massa óssea que ocorre com o envelhecimento.

Assim, a osteoporose é uma das doenças mais perigosas para quem possui mais de 65 anos, tendo em vista que ela causa fraturas no fêmur, vértebras e punhos. No caso do osso longo da coxa, esta é a fratura mais preocupante, pois pode desencadear outros problemas, como infecções. Consequentemente, pode ser gerado um alto índice de mortalidade, cerca de 20%.

Orientações da fisioterapeuta

“É importante que a casa seja adaptada quando há crianças, idosos ou gestantes. Nos casos de pisos escorregadios, o ideal é que eles não sejam encerados. Também devem evitar objetos espalhados pelo chão ou em prateleiras muito altas ou muito baixas, mantendo, portanto, os objetos de uso do dia a dia sempre à mão. É recomendável instalar protetores de quinas nos móveis. Tapetes leves e menores podem ser fixados com fita antiderrapante, porém o ideal é que sejam retirados”, aconselha a fisioterapeuta.

Outras medidas que garantem a qualidade de vida são indicadas pela especialista, como:

  • Instalação de corrimãos nas residências nos dois lados das escadas e com faixas antiderrapantes nos degraus;
  • Colocar barras de apoio próximas ao vaso sanitário e no box;
  • Inserir acentos para a realização do banho para pessoas que possuem dificuldades de equilíbrio;
  • Manter fios elétricos e extensões fora da área de circulação, prendendo-os nas paredes ou rodapés;
  • Criar ambientes espaçosos, com poucos móveis;
  • Cuidar para que a casa esteja sempre bem iluminada,  especialmente no período noturno;
  • Evitar o uso de calçados que facilitam as quedas, como chinelos e sandálias abertas;
  • Apostar em diversos dispositivos auxiliares para caminhada, como bengalas e andadores.

Reportar erro