Ervas medicinais que ajudam a engravidar

Muitas mulheres têm dificuldade para engravidar, e para ajudar, algumas ervas medicinais podem ser usadas. Descubra quais são elas.


Muitas mulheres carregam um sonho em comum: ser mãe. Nem todas, no entanto, têm facilidade para engravidar, e a espera para poder realizar esse sonho pode ser extremamente angustiante.

Algumas dessas mulheres, em decorrência dessa dificuldade, acabam recorrendo à receitas caseiras, simpatias e consultas médicas para encontrar a melhor forma de realizar esse sonho o quanto antes. Com todo o avanço da medicina, ainda assim algumas mulheres não conseguem engravidar, seja por pressão psicológica, medo ou problemas hormonais.

A dica que o Remédio-Caseiro encontrou para essas mulheres é usar plantas medicinais, que podem ser auxiliares, mas atenção: sempre consulte um médico antes de consumir qualquer medicamento, mesmo que natural.

Ervas medicinais que ajudam a engravidar

Foto: Pixabay

As ervas

Desde muitos anos, os índios já usavam plantas como formas de tratamentos médicos, e alguns deles, inclusive, associavam algumas plantas à facilidade para encontrar a gestação em sua vida.


A garrafada, por exemplo, é uma mistura de ervas que é excelente para este fim. Contém pé de perdiz, barriguda, beijo branco, algodãozinho e anis estrelado, que juntas ajudam a fortalecer o útero, assim como as trompas da mulher, facilitando o processo de fertilização para mulheres que querem engravidar naturalmente.

Outras ervas

Algumas outras ervas além das que citamos acima no chá garrafada, podem ajudar na causa. Confira:

  • Vitex agnus castus – Vitex -: consuma 40 gotas do extrato – deve ser usada, por meses, com orientação médica para que possa ter seus benefícios observados.
  • Turnera diffusa – Damiana -: vendida na forma de chá ou comprimidos.
  • Glycyrrhiza glabra – Alcaçuz -: são usadas as raízes, mas é contraindicada para pacientes com pressão alta.
  • Angelica sinensis – Dong quai -: usado também para o tratamento da infertilidade masculina.

Cuidados

É preciso, no entanto, tomar cuidado, pois mesmo as plantas possuem contraindicações e interações medicamentosas. É importante consumir por períodos curtos e, no máximo 15 dias, com intervalos entre os tratamentos. Os organismos humanos de cada um respondem de formas distintas e, por isso, não se garante a eficácia em todas as mulheres.

Procure sempre orientação médica antes de consumir medicamentos por conta própria, principalmente se for paciente que utiliza medicamentos contínuos. As plantas podem apresentar contraindicações e efeitos colaterais.


Reportar erro