Descubra por que você deveria deixar de comer margarina

O processo de fabricação da margarina inclui o uso de muitas substâncias que podem trazer muitos problemas para o corpo humano


Para minimizar a ingestão de calorias e gorduras no dia-a-dia, certamente você já cogitou a hipótese de trocar a manteiga pela margarina, certo?

Pois saiba que essa é uma troca muito desvantajosa para a sua saúde. O processo de fabricação da margarina inclui o uso de muitas substâncias que podem trazer muitos problemas para o ser humano.

Na história, a margarina existe desde o século XX, quando foi criada como alternativa mais barata do que a manteiga.

Ela era constituída por uma mistura de leite desnatado, sebo de vaca, partes menos nobres do porco e da vaca e bicarbonato de sódio.

Com a evolução das técnicas de conservação, hoje a fabricação do produto inclui ainda solventes de petróleo, ácido fosfórico, soda e um tratamento com ácido clorídrico ou sulfúrico.

O resultado é uma substância rica em gordura “trans”, insólita na natureza e de efeitos nocivos ao homem.

Descubra por que você deveria deixar de comer margarina

Foto: depositphotos

Riscos para quem consome margarina

Depois de conhecer um pouco sobre o processo de produção da margarina, chegou o momento de saber os riscos para a saúde que o consumo do produto pode trazer.


Por ser um ingrediente rico em gordura, os problemas relacionados estão ligados diretamente a ela.

Ingerir margarina causa danos no fígado, aparelho digestivo, pulmão, órgãos reprodutivos, transtornos do metabolismo do colesterol e problemas vinculados ao ganho de peso.

Além disso, ela causa disfunções imunológicas, diminuição na capacidade de aprendizado e crescimento, doenças cardíacas, incremento de aterosclerose e aumento no risco de desenvolver algum tipo de câncer.

Vale a pena substituir a margarina pela manteiga?

Embora a manteiga seja um produto extraído a partir da gordura animal, ou seja, feita da nata do leite batida até o ponto de emulsão, tanto ela quanto a margarina são prejudiciais para a saúde.

O consumo exagerado pode gerar os mesmos problemas de saúde citados anteriormente.

De acordo com especialistas em nutrição, uma saída para continuar consumindo o produto sem trazer tantos danos para a saúde é optar por uma variedade que apresente o selo “livre de gordura ‘trans’”.

Outra dica é não exagerar no consumo. Sobre esse ponto, o indicado é que o consumo diário não ultrapasse as oito gramas.


Reportar erro