Chá de fucus vesiculosus – Benefícios e propriedades

Alga marinha encontrada no Mar do Norte, Mar Báltico e no Oceano Atlântico e Oceano…


Alga marinha encontrada no Mar do Norte, Mar Báltico e no Oceano Atlântico e Oceano Pacífico, o fucus vesiculosus foi descoberto em 1811 como fonte de iodo, e foi desde então usada para tratar o bócio – inchaço na glândula da tireoide em decorrência da falta de iodo. No ano de 1860, seu consumo foi defendido como um estimulante da tireoide, que funcionava como uma forma de combater a obesidade aumentando a taxa metabólica.

A espécie é abundante em regiões de costas rochosas abrigadas e, apesar de viver em regiões temperadas e frias dos oceanos, as algas preferem ter como habitat as águas límpidas e arejadas. Sua presença não é comum em regiões de ondas. Muito usada na composição de remédios para o emagrecimento, a alga pertence a um grupo de algas multicelulares de coloração castanha, cuja cor é derivada do pigmento fucoxantina. De talo plano e ramificado dicotomicamente, a alga possui pequenas dilatações cheias de ar, chamadas de aerocistos, que garantem a flutuação do talo. Conhecidas como bodelha e fava-do-mar, as algas são colhidas durante a maré baixa e são secas ao sol. Podem ser usadas para produção de um chá com diversas propriedades medicinais.

Chá de fucus vesiculosus - Benefícios e propriedades

Foto: Reprodução

Como preparar o chá de focus?

Para preparar, use a proporção de uma colher de sopa para cada 500 ml de água. Adicione as algas e a água em um recipiente e leve ao fogo. Ao alcançar a ebulição, deixe cozinhar durante três ou quatro minutos e então desligue. Tampe a mistura e deixe repousar por aproximadamente dez minutos. Após esse período, coe e consuma uma xícara duas vezes ao dia.


Propriedades e benefícios

De consumo comum entre os japoneses, o fucus é um aditivo alimentar usado também na Europa. É comumente usada no tratamento da obesidade associada ao hipotireoidismo graças ao iodo, que é essencial para que a tireoide realize a síntese hormonal. Além disso, rica em fibras mucilaginosas, a alga estimula o funcionamento intestinal e possui ação moderadamente diurética.

É indicada para tratamento de celulite e bulimia, eliminação de gorduras localizadas, melhoria da elasticidade da pele, para regular a menstruação, controlar disfunções da tireoide e da vesícula, além de aliviar dores do reumatismo e a queimação da azia. Suas propriedades envolvem a mucilagem, manitol, beta-caroteno, iodo, bromo, potássio e outros minerais.

Contraindicações e alertas

O consumo é contraindicado para pacientes com hipertireoidismo ou problemas cardíacos e para mulheres gestantes ou em fase de lactação. Em grandes quantidades, seu consumo pode ocasionar hipertireoidismo, tremores, elevação da pressão sanguínea e da pulsação. Além disso, é importante frisar que, devido à alta quantidade de iodo presente na alga, pessoas alérgicas a esse componente não devem consumir.


Reportar erro