Castanha do Pará contra a depressão

O selênio, substância presente na castanha do Pará, é eficaz no combate à depressão, auxiliando o cérebro na produção de serotonina


Depressão é um transtorno muito comum nos dias de hoje. Muitas pessoas, mesmo sem tomar conhecimento, passam por crises dessa doença. Em uma crise, a pessoa sente falta de energia, alterações de humor, falta de interesse e falta de vontade de fazer coisas habituais. Além destes, existem os sintomas físicos que podem ser dor de cabeça e de estômago.

Segundo o Ministério da Saúde, estima-se que 24 milhões de pessoas sofram com este transtorno mental na América Latina. Nosso cérebro produz uma substância chamada serotonina, um neurotransmissor capaz de trazer a sensação de bem-estar, de regular o humor e também dar a sensação de saciedade. Hábitos alimentares podem auxiliar na produção dessa substância, ajudando a combater a depressão concomitante ao tratamento médico. Um dos alimentos que ajuda neste tratamento é a castanha do Pará.

Castanha do Pará

Castanha-do-pará

Foto: Reprodução

Conhecida por muitos brasileiros, a castanha do Pará é também um alimento muito bom para o organismo. Por conter gordura mono e poli-insaturadas, mantém o nível de açúcar no sangue estável, e ainda ativa o metabolismo para a queima da gordura. Diminui também o nível de insulina liberada pelo pâncreas, ajudando a converter a gordura corporal em energia.


Rica em selênio e ômega 3, a castanha do Pará contribui com a produção da serotonina, auxiliando ainda na redução do estresse. A substância responsável pela redução deste sintoma é o antioxidante selênio. A produção cerebral da serotonina exige substâncias como o triptofano, o magnésio, o cálcio, a vitamina B6 e o ácido fólico. No entanto, não é indicado substituir um tratamento pelas castanhas. Elas devem ser ingeridas como um complemento ao tratamento seja ele por meio de medicamentos ou terapia. A quantidade ideal recomendada para o consumo da castanha do Pará é de duas a três unidades ao dia.

Outros benefícios

Os minerais presentes no alimento ajudam a proteger o cérebro, preservando as células nervosas e evitando doenças provenientes da idade chamadas neurodegenerativas. O cálcio e o magnésio são eficazes na manutenção da saúde dos ossos, e também combatem as doenças cardiovasculares.

O emagrecimento

O selênio, presente na castanha, controla ainda os níveis de colesterol, ajudando a tireoide na síntese dos hormônios, e também acelera o metabolismo. Uma castanha do Pará ao dia é o suficiente para aumentar em cerca de 65% o teor de selênio no sangue. Os ácidos graxos permitem que aja diretamente na região abdominal, queimando gorduras e diminuindo a barriga. No entanto, é preciso ter cuidado, pois o selênio quando consumido em grandes quantidades pode ser prejudicial, podendo causar dores de cabeça fortes, unhas fracas e queda de cabelos.


Reportar erro