Cana-de-macaco – propriedades e benefícios desta planta

Por Nayla Georgia

Cana-de-Macaco

Cana-de-Macaco | Imagem: Reprodução

A planta herbácea de origem brasileira, Cana-de-macaco, aparece mais nas regiões brejeiras e tem várias propriedades benéficas para a saúde das pessoas. Antigamente os caboclos a usavam para dores, edemas e contusões. Ela é conhecida também como cana-do-brejo, cana-branca, cana-do-mato, caatinga, pacová, etc. Possui haste ereta, com até 2 metros de altura e de coloração verde-clara, suas folhas são espiraladas, invaginantes e possui flores com cores diversas, em espiga terminal. Na medicina natural, as partes da cana-de-macaco utilizadas são o colmo e as folhas.

A cana-de-macaco possui os seguintes princípios ativos: ácido oxálico, ácidos orgânicos, matérias aromáticas, magnésio, mucilagens, pectina, óleo essencial, resinas, sapogeninas, saponinas, sisterol, substâncias albuminoides e taninos. Seu cultivo deve ser feito em solos úmidos e ricos em material orgânico.

Propriedades da cana-de-macaco

  • Anti-inflamatória dos rins e da bexiga
  • Anti-diabética
  • Anti-reumática
  • Calmante das excitações nervosas e do coração
  • Depurativa
  • Aperitiva
  • Diurética
  • Tônica
  • Resolve alguns casos de tumores
  • Etc.

A cana-de-macaco é indicada para diversas doenças e condições, tais como: Amenorréia, arteriosclerose, problemas na bexiga, blenorragia, calculo renal, cancro, cistite, corrimentos gonocócicos, distúrbio menstrual, dor nas costas, dor reumática, dores e dificuldade para urinar, gonorreia, hérnia, hidropisia, inchaço, inflamações, insuficiência cardíaca, leucorréia, nefrite, reumatismo, rins, sífilis, uretrite e ulceras.

É contra-indicada em casos de:

Gravidez e período de lactação, a não ser que seja sob orientação médica. Deve-se evitar o uso prolongado da cana-de-macaco, pois poderá resultar no surgimento de urólitos.

Como fazer uso da planta

A planta pode ser usada de várias formas. Segue abaixo alguns exemplos de receitas com a cana-de-macaco para determinadas condições:

  • Suco das hastes: 5 gotas diluídas em 1 colher de chá com água. Beber de 2 em 2 horas. Serve para doenças venéreas, é um tônico, depurativo, diaforético, febrífugo e emenagogo.
  • Decocção: 50 gramas de hastes ou rizoma em 1 litro de água. Serve para leucorreia.
  • Infusão: 20 gramas de folhas e hastes novas em 1 litro de água, 4 a 5 xícaras ao dia. Serve para dores nefríticas.
  • Cataplasma: com rizomas e/ou hastes secos e transformados em pó. Serve para hérnias, inchaços e contrações.