Biocídicos: os alimentos capazes de matar a vida

Pobres em nutrientes e ricos em aditivos químicos, estes alimentos causam extrema intoxicação no organismo e envenenam as células


De acordo com a companhia brasileira de cartões-benefícios, Alelo, 67% dos trabalhadores almoçam fora de casa.

A pesquisa feita por esta empresa em parceria com a Conecta-í, do Instituto Ibope, reflete a condição de vida das pessoas atualmente.

Quanto mais tempo longe do lar, mais propício o indivíduo está de consumir alimentos processados, conservados ou com outros aditivos químicos.

A química Conceição Trucom, no livro “Alimentação desintoxicante para ativar o sistema imunológico”, questiona se houve uma inversão no progresso da ciência.

Biocídicos: os alimentos capazes de matar a vida

Foto: depositphotos

“O homem evoluiu tecnologicamente para ter melhor qualidade de vida. Entretanto, aonde toda essa tecnologia o levou em termos de qualidade nutricional e de vida?”

Esta reflexão é necessária, principalmente, quando as refeições contemporâneas estão baseadas em alimentos biocídicos.

Afinal, o que são biocídicos?

Este é um tipo de classificação dos alimentos, assim como existem os biogênicos, que geram e expandem a vida; os bioativos, responsáveis por ativar a vida; e os bioestáticos, que diminuem lentamente a vitalidade.

No caso dos biocídicos, eles matam a vida das células e, consequentemente, diminuem à força vital dos indivíduos.


Pobres em nutrientes e ricos em aditivos químicos, como corantes, conservantes, acidulantes, flavorizantes etc., estes alimentos causam extrema intoxicação no organismo e, gradualmente, envenenam as células.

Desta forma, são responsáveis pela ação desmineralizante e acidificante. Em outras palavras, causam a perda de elementos minerais importantes para o organismo e deixa o corpo ácido, respectivamente. São exemplos destes alimentos:

  • Frituras;
  • Margarina;
  • Produtos de origem animal;
  • Sacarose, proveniente do açúcar (principalmente o refinado);
  • Produtos industrializados que levam aditivos químicos, como conservantes e corantes;
  • Bebidas gaseificadas;
  • Sal;
  • Óleos refinados;
  • Chá preto ou café;
  • Chocolate;
  • Bebidas alcoólicas.

Malefícios proporcionados por estes alimentos

Ainda segundo Trucom, quanto maior o consumo de biocídios menos saúde o indivíduo tem. Para ela, o consumo diário destes alimentos provoca mais intoxicação e desânimo. Isto porque, tanto o potencial nutricional como o energético são anulados após a ingestão desses pratos.

Além disso, a industrialização dos alimentos afeta o funcionamento do intelecto, bloqueia a capacidade de excreção do organismo e ainda permite e colabora com o enfraquecimento do sistema imunológico.

Consequentemente, o corpo fica exposto à diversos problemas de saúde, como reumatismo, câncer e diabetes. Além de estar sujeito à desenvolver várias doenças cardiovasculares, degenerativas e até mesmo mentais.

Por todos estes efeitos maléficos, é recomendado que as pessoas consumam uma quantidade mínima de tais alimentos.

Uma vez que não há como eliminar estas opções de forma definitiva da alimentação, os indivíduos que desejam ter mais vitalidade devem, ao menos, reduzir o consumo para 50% por dia.

Substituindo essas refeições, por alternativas mais naturais e por isso mais saudáveis.


Reportar erro