Benefícios do chá de Alecrim

Por Redação

Benefícios do chá de Alecrim

Imagem da planta | Imagem: Reprodução

O chá de alecrim (rosmarinos officinalis) é um chá bastante consumido e tem diversas indicações. Tem seu uso datado desde a época da Idade Média e Renascimento, sendo usado para o rejuvenescimento, como conta uma história a respeito da rainha Elisabeth, da Hungria, que estava paralítica e sofria de gota aos setenta e dois anos, ao receber a receita de um monge e recobrar a saúde e a alegria. Aliás, naquela época antiga, também para a alegria ele era muito usado, considerado uma planta que combate a tristeza, ou seja, usado especialmente em casos de depressão. Costuma ser preparado por infusão (ferve-se a água, desliga-se o fogo e coloca o chá dentro, deixando abafado por alguns minutos).

Veja algumas das indicações do chá de alecrim

  • Age no centro vital e fortalece todo o organismo.
  • Ótimo para cuidar da saúde da pele e contra lesões e queimaduras.
  • Equilibra as funções do sangue e de todo o corpo.
  • É excelente contra anemia, menstruação insuficiente e problemas de circulação sanguínea.
  • Tem poderes para acabar com o cansaço mental e a estafa.
  • É digestivo, resolvendo bem problemas como dispepsias e sudorífero.
  • Ajuda o corpo a metabolizar o açúcar, por isso é ótimo para diabéticos.
  • É eficaz contra resfriado e bronquite.
  • É muito bom em tratamentos para problemas no coração, como arritmia cardíaca.
  • Estimula o metabolismo, agindo no fígado e melhorando a irrigação dos órgãos.
  • É muito usado contra queda de cabelo e caspa. Nesses casos, pode-se beber o chá e enxaguar o cabelo com ele.
  • Ajuda a recompor o sistema nervoso após uma longa atividade intelectual.
  • É ótimo contra perda de memória e estimula a capacidade de aprendizado.

Cuidados

Mas, o chá de alecrim, apesar de todos os benefícios apresentados, tem certas restrições, por exemplo, quanto às pessoas com doenças prostáticas, gastroenterites, dermatoses em geral ou histórico de convulsões. Também seu consumo em excesso pode causar irritações renais ou gastrintestinais.