Alimentos para investir e largar durante a amamentação

Quando a mulher se descobre grávida, passará por muitas experiências novas e aprenderá como agir…


Quando a mulher se descobre grávida, passará por muitas experiências novas e aprenderá como agir com cada uma delas. Após o parto, ela vive uma nova fase: a de amamentação e total atenção ao seu bebê, além da recuperação do corpo ao seu estado anterior. Para que a nova mamãe consiga desenvolver bem todas essas atividades, ela precisará de energia, a qual deverá ser proveniente de uma alimentação balanceada que a fortaleça e estimule a produção de leite. A vida muda depois que se têm filhos, e a alimentação também – ao menos por um determinado período. Assim, conheça alimentos que poderão ser seus aliados ou os vilões da fase de amamentação.

Alimentos para investir e largar durante a amamentação

Foto: Reprodução

Alimentos benéficos

A matéria-prima da fabricação de leite é a água, assim, é provável que a mulher sinta bastante sede, e deverá supri-la para que possa produzir o leite sem desidratar-se. Além da água, vale a pena investir em sucos e leite. Verduras, legumes e frutas devem ser consumidos em porções diárias. Enquanto os legumes e verduras podem integrar as refeições principais, as frutas podem ser a opção ideal nos horários de lanches, por exemplo. Fibras também devem ser consumidas em maiores quantidades, assim vale a pena trocar alimentos compostos de farinha refinada pelas suas versões integrais, como pães, arroz e bolachas.


Alimentos a serem evitados

É importante lembrar que, através do leite, podemos dizer que o bebê se alimenta ‘por tabela’ da alimentação da mãe. Ou seja, uma alimentação saudável nutrirá uma criança saudável, enquanto uma alimentação fraca possivelmente deixará o bebê com nutrientes aquém do esperado.

Assim, é importante evitar alimentos gordurosos, ricos em carboidratos, extremamente doces ou excessivamente calóricos. Em especial, se deve evitar o consumo de:

  • Cafeína – contida em chás, cafés, refrigerantes e chocolates: pois pode tirar o sono do bebê e deixá-lo irritadiço;
  • Enxofre – contido em brócolis, feijão, espinafre, repolho, couve-flor, rabanete, couve-manteiga: estimulam a produção de gases, causando desconforto;
  • Bebidas alcoólicas: o álcool é transmitido para o bebê, e pode comprometer a produção de leite.

Curiosidades

Durante a gestação, a mulher provavelmente necessitará consumir em torno de 300 calorias diárias. Já na fase de amamentação, essa quantia subirá para 500 calorias. É fundamental que a mamãe tenha consciência de que a amamentação gasta grande quantidade de energia, o que consequentemente reduzirá seu depósito de gordura. Assim, deve-se investir numa alimentação saudável dividida em no mínimo 05 refeições por dia, e quanto mais amamentar, mais rapidamente o corpo voltará ao seu estado normal.


Reportar erro