Alho: condimento popular protege o coração e sistema vascular

Quando o assunto é a redução das taxas de colesterol, pesquisas mostram que o alho brasileiro possui propriedades mais potentes que o tipo chinês


Ingrediente clássico nas panelas brasileiras, o alho é essencial no tempero de pratos típicos no Brasil. Porém, o que as pessoas desconhecem é o potencial que esse condimento possui fora das cozinhas. Depois de diversas pesquisas, essa especiaria passou a integrar a lista de alimentos indicados pelos médicos na prevenção de diversas doenças e, consequentemente, na manutenção da saúde.

Além das propriedades mais conhecidas, como a bactericida, capaz de eliminar as bactérias nocivas ao organismo; antifúngica, prevenindo a proliferação de fungos; e a antivirótica, que como o próprio nome diz combate os vírus; o alho agora também está associado a redução de colesterol no sangue e na prevenção de doenças cardíacas.

Alho: protetor do coração e do sistema vascular

De acordo com pesquisas feitas pela Empresa Brasileira da Pesquisa Agropecuária (Embrapa), o alho brasileiro possui propriedades ainda mais potentes que o tipo chinês, pelo menos quando o assunto é a redução das taxas de colesterol. Outro estudo, elaborado dessa vez por pesquisadores da Universidade de Brasília (UnB), conseguiu identificar qual a substância responsável por essa atuação na saúde cardiovascular. Chamado de alcina, esse composto diminui os risco de infarto agudo no miocárdio.

Imagem de cabeça de alho

Foto: Depositphotos


Para chegar nessas conclusões, os cientistas aplicaram em ratos de laboratório substâncias químicas e físicas extraídas do alho. Como resultado final, os cobaias que possuíam altas taxas de colesterol, sofreram uma redução após entrarem em contato com a alcina do alho brasileiro. Segundo o pesquisador Celso Moretti, ainda não há uma dosagem definida para os humanos. Para chegar a tal definição, ainda será preciso estudos mais avançados.

Outras pesquisas que comprovam a ação benéfica do alho para o coração

Além dos estudos elaborados por órgãos brasileiros, outras pesquisas foram feitas pelo mundo com a mesma proposta: descobrir a atuação benéfica do alho para a saúde cardiovascular. Por exemplo: no Canadá foi feito um experimento com homens de idades variáveis entre 32 e 68 anos. Durante seis meses, o consumo diário de 7,2 g de extrato de alho foi capaz de reduzir em 7% o colesterol sérico total, 5,5% a pressão arterial sistólica e em 4,6% o colesterol de baixa densidade (LDL).

Já nos Estados Unidos, as pesquisas mostraram que consumidores de alho fresco do sexo masculino tiveram suas taxas de agregação plaquetária diminuídas em 10% ou 58%. Isso ocorreu, especificamente, com quem consumia o equivalente a seis dentes desse condimento. Assim como esse estudo, outros sugerem que a ingestão diária de alho pode reduzir os níveis de colesterol no sangue em 9% ou 12%.


Reportar erro