Água inglesa – Para que serve?

A água inglesa é um fitoterápico produzido a partir de várias ervas amargas com propriedades…


A água inglesa é um fitoterápico produzido a partir de várias ervas amargas com propriedades medicinais, como a quina amarela, calumba, carqueja, losna e camomila. De sabor não muito agradável, este produto é produzido em laboratório e pode ser encontrado à venda em farmácias convencionais, farmácias de manipulação e algumas lojas de produtos naturais.

Água inglesa – Para que serve?

Foto: Reprodução

Para que serve a água inglesa?

A água inglesa é indicada como medicação aperiente e tônica e, por isso, é utilizada em casos de má digestão ou falta de apetite. Além disso, este produto também é indicado para desintoxicar o organismo de hormônios sintéticos tais como os anticoncepcionais e indutores de ovulação. Também pode ser usado em casos de abortos, endometriose e infecções uterinas.

Até pouco tempo atrás, a água inglesa era indicada por médico após o parto, pois o medicamento auxilia no processo de cicatrização interna e na amamentação. Ainda há algumas pessoas que acreditam que a água inglesa é boa para a produção de leite materno.

As propriedades e os benefícios proporcionados pela água inglesa são devidos especialmente aos princípios amargos de cada um de seus constituintes. A quina amarela contém a quinina, substância que estimula a secreção salivar e dos sucos gástricos, o que faz com que seja indicada como estimulante do apetite e para queixas dispépticas; os princípios amargos e os óleos voláteis presentes na losna justificam a sua utilização contra a perda do apetite e dispepsia; a camomila tem ação espasmolítica devido às flavonas, principalmente à apigenina, assim como o alfa-bisabolol. Já a carqueja amarga e a calumba, também presentes na formulação da água inglesa, atuam como estimulante do apetite.


Como utilizar a água inglesa?

A água inglesa deve ser utilizada via oral, com a ingestão de 30ml do líquido antes das refeições.

Contraindicações da água inglesa

A água inglesa é contraindicada para pessoas com hiperacidez estomacal, epilepsia, gastrite, úlceras gastroduodenais, síndrome do intestino irritável, enfermidade de Crohn, colite ulcerosa, Mal de Parkinson, hepatopatias ou dispepsias hiposecretoras.

Este líquido também não deve ser utilizado durante a gravidez e por pacientes com hipersensibilidade aos componentes do medicamento. Além disso, a água inglesa não deve ser ingerida com nenhum outro medicamento para fertilidade ou durante a reposição hormonal.

Efeitos colaterais e advertências

A água inglesa é bem tolerada nas doses terapêuticas recomendadas, porém em doses elevadas pode causar dor de cabeça, distúrbios da visão, zumbido no ouvido, náuseas, vômitos, gastroenterites e espasmos. Lembre-se de consultar um médico antes de iniciar qualquer tratamento.


Reportar erro