Abajerú ajuda no combate ao câncer e tem outros benefícios

O abajerú, de nome científico Chrysobalanus icaco, é um arbusto originário da América Tropical, incluindo…


O abajerú, de nome científico Chrysobalanus icaco, é um arbusto originário da América Tropical, incluindo Bahamas e Caribe. Comum em beiras de praias e rios, este arbusto mede de 1 a 3 metros, possui caule espesso, folhas com cores que variam de verde a vermelho, casca acinzentada ou marrom avermelhada e flores pequenas, de cor branca, que aparecem no final da primavera. No final do verão, nascem os frutos em gomos, os quais são comestíveis e usados no preparo de doces.

Propriedades e benefícios

O abajerú possui propriedades hipoglicemiante, antiblenorrágico, antidiabético e antirreumático. A planta é indicada no tratamento de casos de blenorragia, diarreias crônicas, leucorreia, reumatismo, câncer e diabetes tipo dois. Acredita-se também que o uso do abajerú é eficaz para abaixar o colesterol e no processo de emagrecimento. A parte utilizada da planta são as suas folhas e a forma indicada para consumo é por meio da infusão de suas folhas.

Como utilizar o abajerú?

Recomenda-se consumir o abajerú por meio da infusão de suas folhas, que podem ser encontradas trituradas e secas em farmácias e lojas de produtos naturais.

Chá de abajerú

Para aproveitar os benefícios proporcionados pelo chá de abajerú, basta seguir os seguintes procedimentos:

Leve ao fogo duas colheres de sopa de folhas do abajerú, junto com meio litro de água filtrada. Deixe ferver por 10 minutos, tampe o recipiente e espere amornar. Beba o chá de acordo com a orientação dada pelo médico.


Abajerú ajuda no combate ao câncer e tem outros benefícios

Foto: Reprodução

O abajerú no combate ao câncer

Das folhas do abajerú, pesquisadores brasileiros isolaram o ácido pomólico, tido como uma substância anticancerígena capaz de destruir células cancerosas, prevenindo alguns tipos de tumores. Além disso, o composto também apresentou atividade contra células cancerosas resistentes, que é a principal causa da falha de quimioterápicos.

A atividade anticancerígena foi observada em testes realizados em laboratórios, em que foram utilizadas linhagens de células de tumores de mama, cérebro, pulmão, intestino, laringe e medula.

O ácido pomólico também apresenta uma baixa letalidade de células normais (12% a 14%) e requer uma menor dose para que tenha o mesmo efeito de outros quimioterápicos, como a cisplatina. As pesquisas ainda estão sendo realizadas e necessitam de outros testes.

Contraindicações e efeitos colaterais

Embora não existam relatos de efeitos colaterais ou contraindicações na literatura pesquisada, lembre-se que todo e qualquer tratamento, inclusive o natural, só deve ser utilizado após a orientação de um especialista.


Reportar erro